Mais do que sangue e blasfêmia: nossas muitas visões dos vikings

Mais do que sangue e blasfêmia: nossas muitas visões dos vikings


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Steven Ashby / A conversa

A popularidade dos Vikings simplesmente surge do romance de mitologia e aventura, ou há algo mais interessante em jogo?

Os vikings têm um apelo duradouro na consciência popular e acadêmica. A narrativa que os cerca está invariavelmente ligada a um debate muito cansativo sobre se os vikings eram invasores ou mercadores. Mas essa dicotomia raider-trader foi amplamente deixada de lado nos círculos acadêmicos.

Portanto, acho muito mais interessante considerar como e em que condições essa panóplia de personagens “Viking” surgiu, rastrear como nossa visão dos Vikings mudou. Nosso interesse nunca foi politicamente neutro. E assim, o estudo do período carrega a responsabilidade inerente de escrever sobre uma Era Viking que não é apenas arqueológica e historicamente precisa, mas também socialmente responsável.

O interesse acadêmico pelos “Vikings” remonta pelo menos ao século 18, enquanto o 19 viu a incorporação da arte e cultura “Viking” no movimento romântico. Na Escandinávia, isso se juntou ao patriotismo e se manifestou em uma enxurrada de escavações arqueológicas. No Reino Unido, os Vikings formaram um componente-chave da Romantização do Norte. Sua causa foi assumida por pensadores como Collingwood, Ruskin, Morris e Scott. Então, na Alemanha, o fenômeno Viking foi apropriado para a narrativa nacionalista, não apenas por meio de Wagner, mas mais tarde por meio de sua incorporação no pacote ariano de Hitler. A década de 1930 viu comícios em alguns monumentos importantes e a escavação de outros.

  • A ponta afiada de um machado viking - recorte para mais de um trabalho
  • Vikings na Irlanda: descobertas recentes lançando uma nova luz sobre os temíveis guerreiros que invadiram as costas irlandesas
  • Vikings na Irlanda: vestígios de guerreiros não apenas enterrados sob o solo, eles estão no DNA

O maior navio Viking já descoberto. O Museu Britânico. (Fonte: The Conversation)

Em tudo isso, um componente-chave era o romance de exploração, de conquista, de chegada ao continente. Portanto, sua obsessão Viking atingiu o imperialismo.

Mas essa leitura dos Vikings não é inerente às fontes, e outras interpretações estão disponíveis para nós. De fato, na Grã-Bretanha, nas décadas de 1970 e 1980, os vikings foram reinventados como colonos escandinavos: não mais invasores e mercenários; agora fazendeiros e pescadores, comerciantes e empresários.

Muitas das evidências do comércio Viking surgiram das escavações urbanas do final dos anos 1970 e 1980. Há uma provável influência do mercantilismo thatcherita nessa mudança de rumo, principalmente considerando o fato de que muitas das evidências foram recuperadas por meio de escavação comercial em ambientes urbanos. Desta forma, as cidades passaram a ser vistas como centrais para muitas narrativas (não marxistas) da Era Viking.

Essa reformulação dos vikings como empresários do primeiro milênio ainda é comum na mídia popular .

E há desenvolvimentos Viking posteriores que são derivados da história recente. Na década de 1990, o conflito na Europa Central e na África exigiu que os arqueólogos revisassem a ideia de etnia. Um dos resultados foi uma consideração mais matizada da identidade “nórdica”. Peter Sawyer tinha sugerido anteriormente que o número de migrantes escandinavos havia sido superestimado. Isso agora se coaduna com a ideia de que os objetos de estilo “Viking” não precisam ser associados a indivíduos de herança nórdica.

O período continua a ser visto como o cadinho da Europa do século 21, um contexto para o surgimento dos Estados-nação escandinavos. Mas recentemente uma perspectiva mais ampla foi apresentado: os vikings como um dos vários grupos contemporâneos de pioneiros marítimos; arquitetos de redes que, juntos, abrangem o globo. Nesse modelo, nossos vikings não são nem furiosos nem proto-capitalistas; eles são pessoas reais.

  • Queimando, pilhando e dividindo as terras: invasões Viking na Inglaterra - Parte II
  • Pesquisa mostra que metade dos britânicos gostariam de ser descendentes de vikings ... e muitos provavelmente são!
  • A percepção implacável dos vikings retorna como evidência do uso de escravos durante a era viking volta ao foco

The Lewis Chessmen. (Fonte: The Conversation)

Na verdade, a Era Viking foi um mundo militarizado e econômico. Era um mundo de consumo conspícuo, mas também de intimidação, exploração e oportunismo. Pode-se imaginar algo como o cenário de “estado falido” do conflito nos Bálcãs, ou o senhor da guerra de Ruanda e Congo dos anos 90. Essas analogias são imprecisas, mas servem para contrabalançar nossa fetichização do glamour e destruição Viking.

A coleta, curadoria, exibição e distribuição de riqueza portátil eram fundamentais para a sociedade e a economia da Era Viking. Esses senhores da guerra usavam vestidos elaborados, com ornamentos pessoais conspícuos e modificações corporais, e envolvida em cuidados pessoais. Portanto, talvez sejam mais bem vistos como dândis endinheirados do que como bárbaros desleixados e hirsutos. Outra reviravolta do caleidoscópio, e aqui estão os vikings modernos, reflexos de nossa sociedade consumista.

Portanto, não é surpreendente (e correto) que hoje nos concentremos na cultura material de riqueza e status, mas nossa compreensão de tais fenômenos deve ser fundamentada no contexto social apropriado. Se continuarmos voltando para esses gigantes quase míticos, então devemos saber que o fazemos porque vemos pedaços de nós mesmos neles. E, portanto, devemos ver algumas de nossas falhas nas deles: a prosperidade é sempre construída sobre as adversidades dos outros.

Cada navio de guerra, cada tesouro de prata deve ressoar com a desigualdade que caracterizou a sociedade do passado. Essas narrativas, sem dúvida, ficarão claras na exposição do Museu Britânico, e não devemos exigir menos da imprensa popular. Temos a responsabilidade de enfocar agudamente na riqueza e no poder, para que possamos ver as arquiteturas de exploração e coerção que os apoiavam.


Netflix & # 8217s & # 8216Vikings: Valhalla & # 8217 Temporada 1: tudo o que sabemos até agora

Vikings: Valhalla é um novo spin-off do History Channel e assinatura do # 8217s Vikings Series. O Netflix Original chegará globalmente em algum momento de 2021 e demos nossa primeira olhada durante o evento Netflix Geeked Week! Aqui está tudo o que sabemos sobre Vikings: Valhalla em breve no Netflix.

Vikings: Valhalla é um futuro drama histórico Netflix Original criado por Michael Hirst e um spin-off da popular série History Channel, Vikings. A série será produzida pela MGM Productions como seu antecessor.

Hirst ofereceu seus pensamentos sobre se a nova série será compatível Vikings eun escopo e escala e deu um pequeno vislumbre de como o mundo mudou na prequela:

& # 8220Não poderia ser em uma escala maior do que os episódios finais do meu Vikings. Porque os exércitos e as grandes batalhas que travamos & # 8230 Você realmente não pode ser muito maior do que isso, na verdade. Mas o que posso dizer? Está sendo feito nos mesmos lugares, muito. Voltamos para Kattegat. Esse, é claro, é o lar espiritual dos vikings. Mas é um Kattegat alterado. It & # 8217s um estabelecido & # 8230 It & # 8217s um dos maiores portos realmente, portos comerciais na Europa. Ele cresceu em tamanho e importância. O rei da Inglaterra tornou-se um viking. Os vikings invadiram a maior parte da Inglaterra e são donos da Normandia. & # 8221

Jeb Stuart está a bordo para escrever quem é mais conhecido por seu trabalho em filmes, incluindo O fugitivo de 1993, Duro de Matar de 1988 e também é trabalhado em O libertador para Netflix.

O primeiro olhar para Vikings: Valhalla foi lançado como parte da Netflix & # 8217s Geeked Week em 7 de junho de 2021.

Você tem esperado pacientemente e a espera acabou!

Dê uma olhada em Vikings: Valhalla, cortesia de @NetflixGeeked pic.twitter.com/9XW19sTH2b

& mdash Netflix (@netflix) 7 de junho de 2021

Qual é o enredo de Vikings: Valhalla?

Passados ​​mais de 100 anos após os eventos de Vikings, o fim da era Viking se aproxima cada vez mais, à medida que o Reino da Inglaterra se ergue contra seus invasores escandinavos. Após a morte do rei Eduardo, o Confessor, três lordes reivindicam o trono inglês, mudando o futuro da Inglaterra para sempre.

Em uma entrevista recente, Hirst comentou sobre como Valhalla será conectado ao original Vikings show, confirmando que veremos muitos dos mesmos locais a partir dele:

“O que Jeb [Stuart] faz na verdade é prestar atenção à mitologia dos vikings. Então, sempre que eles se encontram no grande salão em Kattegat, e é claro, eles falam sobre as grandes eras que costumavam se sentar no mesmo salão na mesma mesa, e eles eram Ragnar Lothbrok, Lagertha e Bjorn Ironside, e Ivar, o sem ossos, que agora são personagens míticos, mesmo dentro da série, mesmo dentro Vikings: Valhalla. Essa é uma conexão e um efeito realmente excelentes. Ele dá histórias prontas para o novo show. Portanto, você não precisa saber quem é Ragnar para assistir ao novo show. Mas enriquece o show e espero que faça as pessoas voltarem e descobrirem, & # 8216Bem, quem são essas pessoas de quem eles vivem falando? Ragnar foi tão bom? Por que essas pessoas são personagens míticos? & # 8217 Então, tudo se conecta de uma forma útil, interessante e fascinante. ”

A página oficial do Netflix foi atualizada com uma sinopse que é a seguinte:

Quem é escalado em Vikings: Valhalla e quem eles estão jogando?

Do canto superior esquerdo para o canto inferior direito: Sam Corlett, Frida Gustavsson, Leo Suter, Bradley Freegard, Johannes Johannesson, Laura Berlin, David Oakes, Caroline Henderson, Pollyanna McIntosh, Asbjorn Krogh Nissen

Em janeiro de 2021, Deadline revelou dez membros do elenco principais e recorrentes de Vikings: Valhalla junto com as descrições de suas funções:

Sam Corlett (Aventuras arrepiantes de Sabrina) interpretará Leif Eriksson, um groenlandês criado nas periferias do mundo conhecido. Ele vem de uma família muito unida, imersa nas antigas crenças pagãs. Um marinheiro intrépido e fisicamente forte, Leif é a nossa entrada em um mundo Viking em meio a uma mudança violenta.

Frida Gustavsson (O Mago) é Freydis Eriksdotter, que é ferozmente pagão, impetuoso e obstinado. Ela acredita piamente nos "velhos deuses". Como seu irmão, Leif, ela chega a Kattegat como uma forasteira, mas se torna uma inspiração para os antigos. Se você se lembra, Frida foi um dos membros do elenco que revelamos antes.

Leo Suter (O libertador) vai jogar Harald Sigurdsson. Nascido na nobreza Viking, Harald é um dos últimos furiosos Viking. Carismático, ambicioso e bonito, ele é capaz de unir os seguidores de Odin e os cristãos.

Bradley Freegard (Mantendo a Fé) reproduz o rei Canuto. O rei da Dinamarca. Um líder viking sábio, experiente e implacável. Mantém seus amigos próximos e inimigos mais próximos. Suas ambições irão moldar o curso da história no século 11 e torná-lo uma figura definidora da era Viking.

Johannes Haukur Jóhannesson (Amaldiçoado) retrata Olaf Haraldson. Olaf é o meio-irmão mais velho de Harald. Ele é fisicamente enorme e ambicioso, ele é um viking severo e implacável. Olaf é um cristão do “Antigo Testamento”.

Laura Berlin (Equilibrando) interpreta Emma da Normandia. A jovem e ambiciosa Emma da Normandia é da corte normanda e de sangue viking. Politicamente astuta e uma das mulheres mais ricas da Europa. Ela é provavelmente uma descendente de Rollo do original Vikings Series.

David Oakes (Os Bórgias) é Earl Godwin. O último sobrevivente. Conselheiro-chefe do Rei da Inglaterra. Nascido na periferia política, seus modos astutos o levam longe. David foi outro dos vários membros do elenco que revelamos nos últimos meses.

Caroline Henderson (Estrela de Natal) jogará Jarl Haakon. Um grande guerreiro e líder tolerante, Haakon governa Kattegat com mão firme. Embora pagã, ela conseguiu manter Kattegat uma cidade aberta a todas as religiões em uma época desafiadora. Ela se tornará uma mentora poderosa para Freydis, que é atraído por sua sabedoria.

Pollyanna McIntosh (Mortos-vivos) reaparece como Rainha Ælfgifu. Calculadora e ambiciosa, a rainha Ælfgifu da Dinamarca tem um papel a desempenhar nas lutas de poder político que estão ocorrendo no norte da Europa. Ela usa seu charme e astúcia com grande efeito enquanto promove os interesses de sua terra natal, Mércia, e tenta se afirmar na crescente estrutura de poder de Canuto.

Asbjorn Krogh Nissen (Bron) é Jarl Kåre, que representa uma ameaça aos antigos costumes pagãos.

Aqui está uma lista mais completa do Vikings: Valhalla elenco:

Membro do elenco Função Onde os vi / ouvi antes?
Sam Corlett Leif Eriksson Aventuras arrepiantes de Sabrina
Frida Gustavsson Freydis Eriksdotter The Witcher, Swoon
Leo Suter Harald Sigurdsson Sanditon, Victoria
Bradley Freegard Rei Canuto Mantendo a Fé
Johannes Johannesson Olaf Haraldsson Game of Thrones, amaldiçoado
Laura Berlin Emma da Normandia Break Even, Einstein
David Oakes Earl Godwin The Borgias, Victoria
Caroline Henderson Jarl Haakon Estrela de natal, gooseboy
Pollyanna McIntosh Rainha Ælfgifu The Walking Dead, Middle Earth: Shadow of War
Asbjørn Krogh Nissen Jarl Kåre Bron, Copenhague
Yvonne Mai Merin A Coroa, Casa das Sombras
Bill Murphy Odga Titanic: Blood and Steel
Bosco Hogan Aethelred & # 8216 the Unready & # 8217 Vikings, os Borgias
Karen Connell anjo da Morte Vikings
Gavan O & # 8217Connor Duffy Njall Vikings
Kenneth Christensen TBA A pipa
Louis Davison Edward Poldark, Miss Peregrine & # 8217s Home for Peculiar Children
Álfrún Laufeyjardóttir TBA Felizmente para Nunca Depois
Ethan Dillon TBA Dub Daze
Pääru Oja TBA Coragem fria
Brian Robinson Yngvi 2 garotas quebradas
Jack Mullarkey Toke

Será que alguém do original Vikings aparecer na nova série?

Sim, e o primeiro e mais notável ator de Vikings que vai aparecer em Valhalla é John Kavanagh, conforme confirmado pelo currículo de sua agência. Ele retratou o Vidente Ancião ao longo de todas as seis temporadas de Vikings e mais tarde começou a aparecer em alguns personagens & # 8217 visões. Presumimos que ele aparecerá em visões em Valhalla também.

John Kavanagh como o vidente

Outros membros do elenco de Vikings que vai aparecer em Valhalla incluem Karen Connell, Bosco Hogan e Gavan O & # 8217Connor Duffy. Connell apareceu em Vikings como o Anjo da Morte, então presumimos que ela terá o mesmo papel também, enquanto Hogan e Duffy terão papéis totalmente novos. Em Vikings, eles apareceram como Abade de Lindisfarne e Rei Frodo, respectivamente.

Com quem mais está envolvido Vikings: Valhalla?

Além do elenco, sabemos de alguns outros membros da equipe trabalhando no show:

  • Steve Saint Leger está atualmente atrelada a dirigir três episódios da primeira temporada. Ele não dirigiu apenas uma série de episódios no principal Vikings série, mas também está definido para dirigir na Netflix & # 8217s Barbarians chegando no final de 2020.
  • Niels Arden Oplev, o diretor dinamarquês vencedor do BAFTA que dirigiu episódios de séries como Sr. Robô e Sob a redoma também está definido para dirigir um ou mais episódios para a primeira temporada de Valhalla.
  • Hannah Quinn também foi confirmado para estar entre os diretores da primeira temporada de Vikings: Valhalla. Seus trabalhos mais recentes incluem Destino: a saga Winx e O estranho, ambos no Netflix.

Steve Saint Leger retornará ao universo dos Vikings para dirigir episódios de Vikings: Valhalla, da Netflix & # 39s. pic.twitter.com/BqkgbP2r3N

& mdash What & # 39s on Netflix (@whatonnetflix) 1 de setembro de 2020

  • Trevor Morris que serve como compositor durante grande parte da sexta temporada de Vikings vai voltar para Valhalla. Seus outros créditos incluem The Tudors e Caçador assassino.

Qual é o status de produção de Vikings: Valhalla?

Status de produção oficial: em hiato (última atualização: 28/11/2020)

Pré-produção para Vikings: Valhalla tinha começado no início deste ano, mas foi interrompido devido à pandemia COVID-19. Felizmente, foi retomado em julho de 2020 e agora podemos confirmar que as filmagens começaram no Ashford Studios, Irlanda em agosto de 2020. Não sabemos exatamente quanto tempo as filmagens vão durar, mas originalmente estava planejado para ser de março a outubro 2020.

Por outro lado, estamos ouvindo que a segunda temporada de Vikings: Valhalla já está em desenvolvimento. Considerando que o anterior Vikings temporadas foram filmadas com intervalos não muito grandes, poderíamos esperar Vikings: Valhalla a segunda temporada deve entrar em produção no segundo semestre de 2021 para um possível lançamento no final de 2022 ou no início de 2023.

Em setembro de 2020, recebemos mais algumas fotos do set. Abaixo, você pode ver uma galeria de fotos das primeiras semanas de filmagem no Ashford Studios. Como você pode ver, é claramente Kattegat. Muitas das fotos são de Broadsheet & # 8216s Harry Warren.

Crédito da foto: Harry Warren Crédito da foto: Harry Warren
Crédito da foto: Harry Warren



Em 8 de outubro de 2020, foi relatado pelo The Irish Times que as filmagens para Vikings: Valhalla foi suspenso naquela semana depois que uma dúzia de membros do elenco e da equipe deram positivo para Covid. Mais tarde naquela semana, a produção foi retomada depois que foi esclarecido que eram apenas falsos positivos e que o elenco e os membros da equipe estavam bem. A parada da produção durou apenas alguns dias e os vikings estavam de volta ao seu negócio viking.

No final de novembro de 2020, o elenco e a equipe começaram a postar atualizações sobre a produção de embrulho no Vikings: Valhalla depois de filmar por quatro meses. Não se sabe quanto material eles filmaram e se este é um verdadeiro wrap da primeira temporada ou um hiato de Natal / Covid até o início de 2021.

Em março de 2021, BreakingNews.ie relatou que as filmagens de Vikings: Valhalla foi interrompido por dois meses. O elenco de figurantes e atores também foi interrompido. As razões exatas para isso são desconhecidas, mas provavelmente se deve a critérios de bloqueio rígidos.

Onde vai Vikings: Valhalla ser filmado?

Conforme mencionado acima, a pré-produção já foi retomada e o local é um lugar muito querido e familiar para Vikings fãs: Ashford Studios, Wicklow, Irlanda. Este é o lugar onde a maior parte do original Vikings série estava sendo filmada por muitos anos. Para adicionar a isso, em 2019, após as filmagens da última temporada de Vikings foi concluído, o Ashford Studios garantiu a permissão para uma expansão de € 90 milhões, permitindo-lhes construir cinco novos estúdios e espaço de apoio. Isso provavelmente refletirá na qualidade da produção de Vikings: Valhalla.

Com o centro de produção principal sendo o mesmo para Valhalla, podemos esperar ver muitos locais familiares externos da Irlanda que estão próximos. Também podemos esperar muitos membros da mesma equipe trabalhando no Vikings spin off.

Quantos episódios vão Vikings: Valhalla ar?

Foi confirmado que 24 episódios de Vikings: Valhalla foram encomendados até agora. São muitos episódios para a Netflix se comprometer, considerando que a quantidade normal é algo entre oito e treze.

Graças a Vikings já em uma programação que divide as temporadas pela metade, esperamos a primeira temporada de Vikings: Valhalla para fazer o mesmo. Isso significa que haveria doze episódios para Vikings: Valhalla primeira temporada.

Será o original Vikings série chegará ao Netflix?

diferente Lúcifer e Sobrevivente Designado, Vikings: Valhalla não é uma continuação de Vikings e é, em vez disso, um spin-off. Isso é importante porque, anteriormente, a Netflix US acabou pegando todas as temporadas de programas da rede cancelados.

Vikings está atualmente disponível no Hulu e Amazon nos EUA, mas o acordo para Vikings: Valhalla não é provável que inclua o Netflix recebendo todas as seis temporadas de Vikings. Especialmente agora que o MGM foi comprado pela Amazon, suspeitamos que os direitos serão devolvidos exclusivamente ao Amazon Prime.

Você está animado para o lançamento de Vikings: Valhalla? Deixe-nos saber nos comentários abaixo!


Bem-vindo ao Universo Expandido de Michael Qing

Pelo que já aprendi sobre as culturas dos vikings e da mitologia nórdica em geral, tenho certeza de que um de meus ex-amigos treinadores entende isso mais do que eu esperava saber. Essa pessoa, alguém que eu conhecia, está em seu sangue puro, que na verdade viveu na Dinamarca e na região nórdica da Suécia # 8211. Na verdade, a equipe de natação dinamarquesa ou mesmo sueca é boa, porque ele ajudou a treiná-la.

A escritora e historiadora da ciência Heather Pringle é autora de três livros, incluindo In Search of Ancient North America e suas atribuições geralmente levam a encontros memoráveis ​​com os vivos e os mortos de eventos históricos escandinavos.

Os escandinavos são poderosos, brutais e destemidos, porque têm aquele instinto natural de serem os mais duros nas mentes que buscam atacar muito antes de Adolf Hitler desenvolver o governo nazista e antes mesmo do surgimento da história da Segunda Guerra Mundial. As culturas Viking foram moldadas pela geografia única da Escandinávia. Embora nem todos os escandinavos tenham escolhido a vida de invasor, a escassa terra arável e o desejo de buscar riquezas no exterior levaram muitos aos mares.

As novas visões dos Vikings encontraram mais de 50 culturas do Afeganistão ao Canadá, de acordo com a Fundação de Pesquisa da National Geography. Eriçados com lanças e espadas, os reencenadores vikings e eslavos se enfrentam em uma batalha simulada durante um festival em Wolin, na Polônia. O que começou como pequenos grupos de invasores na era Viking se transformou em exércitos que conquistaram grandes áreas da Europa no século 11. Durante o século 11, foi a época de ouro para os vikings e suas conquistas por toda a Europa. Velozes e mortais, os vikings dominaram os mares do norte da Europa do final do século 18 ao 11. Seus navios & # 8211 feitos tecnológicos usados ​​para exploração, comércio, guerra e até enterros & # 8211 foram essenciais para a vida dos formidáveis ​​invasores. Atacando em pequenos grupos no início, as frotas no final da era Viking podiam chegar a 250 navios ou mais durante os tempos antigos de nossa história humana.

Guerreiros escandinavos de cabelos loiros que saquearam seu caminho através da demografia da Europa moderna, pois agora existem cerca de 20 a 30 milhões de pessoas em todo o mundo. Acontece que a maioria dos vikings não eram vampiros de cabelos louros e olhos azuis como as lendas e a cultura popular levaram as pessoas a acreditar antes de Hitler liderar a Alemanha nazista, porque de acordo com um novo estudo sobre o DNA de mais de 400 vikings permanece desconhecido, a maioria Os vikings tinham alguns cabelos e olhos escuros de uma minoria indígena distinta. Na verdade, suas grandes misturas genéticas mostram que não havia um grupo étnico distinto em um determinado momento, mas sim uma mistura de vários grupos, & # 8220com ancestralidade de caçadores-coletores, fazendeiros e populações das estepes da Eurásia. & # 8221 O estudo revelou quais países escandinavos influenciaram mais as regiões externas. Os vikings dinamarqueses foram para a Inglaterra, enquanto os vikings suecos foram para o Báltico e os vikings noruegueses foram para a Irlanda, Islândia, Vinland e Groenlândia, & # 8221 de acordo com a Universidade de Copenhagen & # 8217s Ashot Margaryan. Três áreas geneticamente diversas, uma na moderna Dinamarca e uma cada nas ilhas suecas de Gotland e Oland & # 8212, foram provavelmente centros comerciais importantes. Achávamos que sabíamos tudo sobre os vikings. Mas algumas novas pesquisas sugerem que estamos entendendo errado. No maior estudo desse tipo, publicado na revista Nature quarta-feira, os pesquisadores descobriram que muitos vikings na verdade tinham cabelos castanhos dos direitos de pesquisa dos mercados negros da história medieval onde não havia forma de governos ou organizações internacionais sendo cometidos. E eles não eram apenas da Escandinávia. As conclusões desta análise genética sugerem que a própria ideia de ser um Viking era provavelmente mais um modo de vida ou trabalho.

Aprender sobre o Ragnorak foi um fator importante pelo que posso entender para transmitir a mensagem de que a história torna tudo melhor sendo autoritário para o bem estar para nossa tradição. A sombria lenda nórdica de Ragnorak, o fim da criação e a batalha final, na qual todos os deuses, todos os seres sobrenaturais e todos os humanos e outras criaturas vivas morrem. Diz-se que Ragnorak começou com Fimbulwinter, uma época mortal em que o sol escurece e o clima se torna amargo e traiçoeiro & # 8212 eventos que são estranhamente paralelos ao véu de poeira que começou no ano de 536. Guerreiros vikings lutaram por riquezas e reputação com espadas descoberto em Gnezdovo, Rússia. Os guerreiros frequentemente cortavam o saque em pedaços de metal precioso que poderiam ser usados ​​como moeda para fazer compras. Mas alguns guerreiros Viking valorizaram os tesouros que roubaram por sua beleza & # 8211 e como símbolos de status cobiçados. Esses broches anglo-saxões e o alfinete de ouro, cantado por pássaros, foram descobertos em um tesouro por um viking rico na Escócia. Os vikings viveram de acordo com sua reputação violenta: desde cedo os homens escandinavos foram treinados para a batalha e socialmente condicionados para o derramamento de sangue. Os ornamentos feitos por um ourives habilidoso na ilha sueca de Gotland, esses delicados pingentes foram projetados para mulheres ricas. Os vikings usavam principalmente prata e peças de ouro teriam sido raras e preciosas.

Apesar de, por milhares de anos, os homens terem se esgotado na população mundial em muitas batalhas, há mais mulheres de todo o mundo com esse traço de cabelo loiro que transmitem melhor a mensagem do que os homens. A distribuição de homens noruegueses na história passada que são loiros ou cabelos louros tem a mesma distribuição de quantidade que em nossa sociedade moderna hoje. No passado profundo da história da Escandinávia, a maioria dos homens queria deixar crescer a barba ou o bigode, por causa da tradição. As jovens escandinavas ainda são atraentes, seja na era moderna ou na história antiga de nosso passado. O povo norueguês do passado veio do mesmo ancestral & # 8217s dos ossos fósseis humanos de Cro-Magnon. Nos últimos anos, a era moderna das culturas norueguesas, sem conflitos internacionais entre a supremacia de interesses avassaladora, houve inovações tecnológicas significativas e o aumento da industrialização e os escandinavos agora desfrutam de alguns dos mais altos padrões de vida da cultura demográfica nas democracias europeias.

O que eu conheço e entendo sobre a cultura dos Vikings é o filme God of Thunder & # 8220Thor & # 8221 produzido pela Marvel Entertainment, que fornece poucos insights e falta de propósito para ensinar isso adequadamente. O governo norueguês tem um bom senso de identidade nacional, segurança e um senso de equilíbrio social do que as outras pessoas que são pastores nerf de aparência desleixada no campo. Obrigado do nosso Serviço de Inteligência Norueguês ou Etterretningstjenesten é uma agência de inteligência militar norueguesa subordinada ao Chefe da Defesa e ao Ministério da Defesa da Noruega, porque somos apreciados. Existem muitos líderes corajosos que atualmente são dominados por mulheres que podem trabalhar nas Forças Militares em todo o mundo.


Revisão do episódio 12 da quarta temporada dos Vikings: a visão

Ragnar zarpa e Lagertha ameaça Aslaug no episódio 12 da 4ª temporada dos Vikings.

Esse Vikings a revisão contém spoilers.

Vikings, temporada 4, episódio 12

Quando Ragnar diz a Ivar: "Apresse-se, temos uma maré a pegar", esta mensagem para seu filho mais novo reflete muito da narrativa sublime de "A Visão", o último episódio de Vikings. Os melhores planos muitas vezes dão errado, e o que Michael Hirst apresenta de maneira tão precisa são as raízes de uma sequência de eventos destinada a moldar o futuro de Kattegat e do clã de Lothbrok. Embora teria sido bom ver Rollo, mesmo que por um momento, seus sucessos políticos são mencionados, e temos apenas que esperar por um eventual confronto. A questão, é claro, permanece: quem exigirá que Rollo expie seu pecado de traição e quem se tornará rei.

Assim que nos deleitamos com o retorno de Ragnar a Kattegat na estréia do meio da temporada, ficamos cheios de pena pelo outrora grande homem, com a reputação em frangalhos, forçados a implorar aos homens que o acompanhassem em sua viagem de vingança a Wessex. É difícil assistir Ragnar caminhando pela vila, agora agitada com atividades, mas esta é apenas uma das muitas indignidades que ele enfrenta ao reorganizar sua vida. Ragnar certamente entende as mudanças que ocorreram em sua ausência, mas ele está claramente fora de seu elemento e se sente desconfortável na vila que um dia ajudou a construir. O encontro com o irmão de um fazendeiro que morreu em Wessex reforça os sentimentos que as pessoas têm pelo desgraçado Rei Ragnar. Como os poderosos caíram.

Enquanto o espectador e Ivar assistem Ragnar desenterrar tesouros escondidos de ataques anteriores, suas intenções lentamente entram em foco. Ragnar distribui moedas, metais preciosos e outros objetos de valor na esperança de atrair os homens para se juntarem a sua tripulação, mas apenas os velhos e enfermos se alinham, o que nos leva a imaginar se eles aceitam que estarão navegando para a morte e só querem sustentar seus famílias. Na verdade, esse também pode ser o motivo de Ragnar. E deve ser um tanto humilhante pedir navios a Bjorn, embora, para seu crédito, Bjorn surpreenda seu pai por concordar prontamente.

O conteúdo do anúncio & # 8211 continua abaixo

É aqui que devemos refletir sobre o Ragnar Lothbrok que vemos diante de nós, porque ele não se parece mais com o rei guerreiro que vimos atacar ferozmente e pilhar terras distantes, tudo em nome dos deuses. A vida lhe deu alguns golpes brutais e, embora tenha levado sete anos para aceitar as decisões que tomou, ele não está apenas preparado para aceitar as consequências, mas também para tomar o que pode ser uma posição final. O que ele realmente espera realizar invadindo a Inglaterra permanece conhecido apenas por ele.

Eles dizem que uma maneira de julgar um homem é examinar os filhos que ele cria, e embora possa ser argumentado que suas longas ausências deixaram esse papel para outros, ninguém pode negar que Bjorn Ironside cresceu e se tornou um bom homem por seus próprios méritos. . A cena comovente entre Bjorn e Ragnar enquanto os dois discutem os planos de Bjorn ilumina o vínculo inquebrantável entre os dois, mas sua sugestão de fazer contato com Rollo, que aparentemente está expandindo seu reino, encontra uma reação esperada. Ragnar não vê propósito em falar, enquanto Bjorn adota uma postura mais aberta e com visão de futuro, argumentando que a diplomacia beneficia a todos. Ainda assim, o que percorre essa cena é o reconhecimento da evolução natural da vida, visto que os pais agora precisam que o filho cuide dele em seus últimos anos.

No entanto, o relacionamento de Bjorn com seu pai marca apenas a ponta do iceberg destinado a colidir com o clã Lothbrok quando testemunhamos a outra família de Ragnar começar a se desintegrar durante o jantar. Sigurd continua a zombar de Ivar, chegando a dizer que sua mãe deveria tê-lo deixado com os lobos. É doloroso ver Ivar lutar emocional e fisicamente para confrontar Sigurd e, no final, ele rasteja em direção à porta enquanto Sigurd sai. Curiosamente, seu rastejar literal e figurativo de Ragnar se repetem por toda parte.

Obviamente, o fim do episódio sinistro implica que nem Ivar nem Ragnar sobreviverão para completar a viagem. Ragnar é um homem velho e Ivar é um aleijado, mas sentimos que ambos têm os deuses por trás deles, apesar da contínua crise de fé de Ragnar. Supondo que Ivar retorne a Kattegat, Sigurd, que fica em segurança em casa com sua mãe, empurrará seu irmão mais novo ao limite, deixando Ivar sem escolha a não ser matar seu irmão? O contraste entre os dois irmãos não poderia ser mais pronunciado e a atitude de SIgurd é difícil de explicar. Ele certamente parece bravo o suficiente, e quando Aslaug diz aos meninos que eles precisam encontrar esposas, que o amor não é importante, Sigurd até zomba de sua mãe, perguntando se ela já amou alguém além de Harbard.

É com uma mistura de sentimentos que vemos o rei Harald e seu irmão Halfdan navegar até o porto para se juntar a Bjorn em sua viagem de exploração, porque sabemos da ambição de Harald de longa data. Em uma cena repleta de tons graves, Ragnar observa a flotilha de uma encosta próxima, enquanto Bjorn e sua família aguardam no cais, e a celebração naquela noite para ver Bjorn e seus guerreiros fora oferece espaço para várias subtramas se desenvolverem. Does Ragnar fear his son will be manipulated or worse by Harald?

Ad – content continues below

It’s unclear why Bjorn seems somewhat surprised when his mother and Astrid arrive, but she wants to see her son off on his destiny even though we suspect there might be more to her attendance than immediately meets the eye. We learn that Harald has been conquering area kings on his quest to rule all of Norway, and the fact that Bjorn appears unconcerned about that seems puzzling. The intrigue within the walls of the hall permeates every inch of the room, and it’s comforting to know that our confidence in Bjorn is well founded. Bjorn seems wary of Floki’s warm greeting of Harald and Halfdan, so that relationship is one to keep an eye on even though it seems impossible to believe Floki would ever consciously betray Bjorn.

I’m not sure there’s any scene that fans of Vikings have longed for more than the confrontation between Lagertha and Aslaug. The celebration delivers the perfect opportunity, and we don’t have to wait long to see who makes the first move. On the one hand, it’s disappointing that Lagertha doesn’t take the initiative, but when she suggests they officiate a sacrifice together since Aslaug’s son Hvitserk is going with Bjorn, she seizes the upper hand.

“You forget, Lagertha, that I am the queen,” Aslaug tells her, clearly forgetting with whom she’s conversing. “I never forget anything,” Lagertha tells her and walks away. The scene is pregnant with with intrigue as Bjorn doesn’t trust Harald, and Aslaug knows that Lagertha’s intentions are at best unclear.

The sacrificial ceremony intended to send Bjorn off with the gods’ blessings reminds viewers of the religious mysticism surrounding the Norsemen. The incessant beat of the drums produces a trancelike state as we watch Aslaug, face completely covered in blood and paint, sacrifice the animal drawing its blood into a bowl. Clearly, she takes control leaving Lagertha among the crowd. Using what appears to be a sort of aspergillum, she sprays the blood on the others as a form of consecration, but that’s only the beginning.

Caught up in the religious fervor, Ivar paints his face with blood and then not that shockingly drinks from the bowl. Is this an attempt vitalize himself, perhaps praying for a miracle from above? And then in the midst of this Viking rave, Lagertha approaches Aslaug and tells her she knows she can hear her despite her hypnotic state, lets her know she’ll never forgive her for stealing her husband and world, and that Aslaug will never be queen of Kattegat. It has to grate Lagertha on so many levels to look around at the fruit of Aslaug’s power leading her to her final admonishing words. “Look what you’ve done with it.” I think we all know a showdown is coming if only Aslaug will cooperate.

It was beginning to appear that Ragnar would delay facing his wife Aslaug for as long as possible, and it’s not until Ivar tells his mother that he plans to accompany his father on the voyage to England that she’s reached the end of her patience. What comes next might be the most surprising gesture in the episode as Alyssa Sutherland gives one of her most powerfully emotional performances. Coming on the heels of her encounter with Lagertha and her participation in the sacrificial rites, this unexpected tender scene between husband and wife almost makes us feel sorry for her. We’re not sure where this is headed when Ragnar tells her that, “We both know that love was not what brought us together.” But then in the next breath, as he gently releases the braids of her hair, he gratefully acknowledges that she never poisoned the boys against him despite how terribly he treated her.


8 Timelines

Vikings is a television series that plays with time in a much more interesting way than most, and if you tuned into the Season 4 finale then you already know. In Vikings, time passes. Characters get older, boys become men, men grow old, and so forth. This freedom with time has allowed Vikings to become a more believable story than Guerra dos Tronos. In Westeros, months could pass between each episode, yet this doesn't seem to translate on screen or in the characters motivations. No Vikings, sometimes years pass between episodes and suddenly a young boy is will become a man. They replace the actor and that's it, they keep going. It's these constant changes that keep the makeup departments on their toes, keeping the costume and set looking creative and fresh from season to season.


What is the story with Athelstan?

I think he is one of the more interesting characters, is he Chritian or Pagan? We don't seem to really know where he lies. Maybe he doesn't either. And now the King is sharing his Roman goodies with him. Athelstan is suffering stigmata and seeing devils under his bed. But what does it mean? Is it the pagan gods telling him he is ok or to come back? Is it the Christian God telling him he is needed and important? What are your thoughts?

Well he spit out the body of christ so i'm pretty sure he's committed to the old gods now.

Er, if he were still a Christian, wouldn't he believe that it's a sin to take communion without confession? I saw that same act as meaning he era still Christian.

What I understood from that scene is that he sees no difference between the christian ritual and the norse ritual. He's still divided, but he doesn't believe in just one God now.

When I saw that, I literally punched the air and turned to my Vikings-watching-companion, who was clearly not as moved by that as I was. Up until that point, I just wanted a sign that he was still for the old gods. That moment felt pretty good.

I made a post here that addresses a lot of this I think, as well as a thorough look on his hallucinations in the most recent episode.

In my opinion, the long and short of it is guilt. The hallucinations began with the bleeding book that Floki gave him- the book from the monk he murdered, the man who was in the very same position as Athelstan seven years ago. Shortly thereafter, he was crucified, which was incredibly traumatic. This scene is very important because it not only deconstructed a large part of what Athelstan had grown to be and further established parallels between him and key biblical figures, but also because he was praying in Latin. Though he professes to worship Odin, in the moment of sure death, he cried out to his God.

From this, it's obvious that the conflict between deities is still there in his heart, and the stakes have been raised dramatically. I mentioned guilt being a driving force in his hallucinations, but ultimately. well, to put it frankly, the guy is snapping. I wouldn't be surprised if he had a very strong case of PTSD, given everything that's happened to him thusfar.

I've entertained the idea of his hallucinations actually being visions given to him by a deity- be it Odin or God- but the more I look at it, the more I think that it doesn't quite make enough sense and it sort of undermines the constant inner turmoil he's going through.

I'm planning on doing more of a thorough writeup of the visions he's had once the season is closer to an end- since I'm sure his bleeding stigmata in the last episode isn't the end of it.


Facebook

“To high treason. That's what these men were committing when they signed the Declaration. Had we lost the war, they would have been hanged, beheaded, drawn and quartered, and-Oh! Oh, my personal favorite-and had their entrails cut out and Burned! Então. Here's to the men who did what was considered wrong, in order to do what they knew was right. what they knew was right.”

Benjamin Gates, National Treasure
-
Every year on the 4th of July I post photos from this shoot we did inspired by Assassin’s Creed III based in the American Revolutionary War. In a year of chaos and suffering we need these reminders more than ever before. First, that sometimes good values find themselves at odds. Justice and mercy, liberty and safety, love and honor, or truth and peace can all pit good people, fighting for a good cause against each other. Second is that for any cause that is really worth supporting, sacrifice will be required and blood, sweat and tears (not to mention being subjected to name calling, slander and bullying) is all too often the price of doing the right thing. Human history is the history of conflict. The “good” side does not always win. Sometimes there are no “good” sides, sometimes there are no “bad” sides. All we can do is our best in what whatever time we live and in whatever conflict we are drawn into. Ultimately your personal decisions not only define your battle, they define your life.
-
-
# assassinscreed # ac3 # revwar # revolutionarywar # flintlock # sword # fencing # british # american # ubisoft # hiddenblade # blackpowder # costumedesign # costumedesigner # cosplay # historical # reenactment # nicolascage # nationaltreasure @ Independence Hall


[SPOILERS] Vikings as a Myth

I just finished watching Season 3 of Vikings and can't wait to get going on season 4. Its one of my favorite dramas I've found this year, and a lot of that comes from the atmosphere of the scenes and characters. It feels like a myth. While many of the decisions the writers make may come to "it is a show that needs to be entertaining" I think the mythical feeling is very intentional and can address some of the criticisms people make.

Ragnar Lothbrok was probably a person, but history really isn't sure. If he existed, so did his wives, Lagertha and Aslaug. His sons existed, including Bjorn. Many of the other characters existed, such as King Horik, King Egbert, King Aelle, and Emporer Charles, but not much is known of them. Because of the mystery that shrouds this time period, the show allows itself quite a bit of leniency in how it crafts the characters and plots. The writers can make Ragnar to be a very inquisitive, eccentric, powerful, brooding leader and warrior because they are telling the legend of Ragnar Lothbrok in their own eyes. Its a modern telling of a Norse "myth".

Spiritualism

One of the biggest reasons I think the show mirrors a myth is the massive presence of religion not just as a talking point but a very real presence. Athelstan, Ragnar, and Floki all have visions of different types throughout the show, including seeing Odin or blood flowing. In Season 3, the women of Kattegat foresee the coming of a wanderer who is strongly hinted to be a God or related to them. The Seer of Kattegat is constantly making prophecies that so far have been true. Aslaug is also able to make prophecies that come true. The presence and affect that the Gods have on the Viking world relate it to the Norse Myths, where the Gods were characters who walked among their world and our own.

Another aspect of traditional myths, including Norse myths, is the relatively simplistic yet concise and important dialogue. I think this is reflected in the show, as much of the dialogue is straight to the point and quite simple. While many may critique the show for this, I think it adds to the effect. It is a retelling of a story that has been passed down many times, and other than the occasional eloquent speech, only the main points remain. This is also true for the plot, which often moves very quickly through episodes, focusing only on the most important events.

One of the critiques the show gets, especially in the siege on Paris is how the main characters seem unable to be killed or injured very often. Though almost every drama is a culprit of this, I think Vikings finds a good reason in myth. The main characters, Ragnar, Lagertha, Bjorn, Rollo, and others, are main characters in a myth. Bjorns name is Bjorn Ironside, clearly history and legend shines on him to be resilient. In crafting the characters, the show makes them more legendary, leaning on rumor and stories more than 100% historical accuracy.

Overall, I think that Vikings mirrors myth in many ways. History Channel has chosen to tell the story of a legendary character, and does so with grandiosity. Powerful characters, simplistic dialogue, and the constant presence of the Gods helps build the story and leads to some intense and powerful moments. Many of the innacuracies and critiques of the show can be defended by viewing the show in this light. In many ways, all of history is a myth with varying amounts of accuracy and retelling. Why not fully immerse ourselves in what the time of the Ragnar Lothbrok and the Vikings may have been?


Vikings Will Not Get Season 7

“Vikings” Season 6 will roll out its final episodes on Amazon prior to airing on its linear home on History Channel. The last 10 episodes of the show’s final season will drop on Amazon in the US, UK, Germany, Austria and Ireland on Dec. 30. They will then roll out on History, which has aired the show from the beginning, though the exact date for that has not yet been announced. (Source: variety.com)

‘Vikings’ Season 6 Final Episodes to Premiere on Amazon Before History Channel https://t.co/l2ekVTKxt3

&mdash Variety (@Variety) December 2, 2020

The 20-episode sixth and final season will air in two parts, beginning with a two-hour premiere at 9 p.m. Wednesday, December 4, followed by eight episodes bowing at 10 p.m. every Wednesday. The remaining 10 episodes of Season 6 are slated to air in 2020. (Source: deadline.com).

#NomeAir Dates
1New Beginnings Dec 4, 2019
2The Prophet Dec 4, 2019
3Ghosts, Gods and Running Dogs Dec 11, 2019
4All the Prisoners Dec 18, 2019
5The Key Jan 1, 2020
6Death and the Serpent Jan 8, 2020
7The Ice Maiden Jan 15, 2020
8Valhalla Can Wait Jan 22, 2020
9Resurrection Jan 29, 2020
10The Best Laid Plans 5 de fevereiro de 2020
11King of Kings Jan 1, 2021
12All Change Jan 8, 2021
13The Signal Jan 15, 2021
14Lost Souls Jan 22, 2021
15All At Sea Jan 29, 2021
16The Final Straw Feb 5, 2021
17The Raft of Medusa Feb 12, 2021
18It's Only Magic Feb 19, 2021
19The Lord Giveth… Feb 26, 2021
20The Last Act Mar 5, 2021
#NomeAir Dates
1The Fisher King Nov 29, 2017
2Os defuntos Nov 29, 2017
3Homeland Dec 6, 2017
4O plano Dec 13, 2017
5The Prisoner Dec 20, 2017
6The Message Dec 27, 2017
7Full Moon Jan 3, 2018
8The Joke Jan 10, 2018
9A Simple Story Jan 17, 2018
10Moments of Vision Jan 24, 2018
11The Revelation Nov 28, 2018
12Murder Most Foul Dec 5, 2018
13A New God Dec 12, 2018
14The Lost Moment Dec 19, 2018
15Inferno Dec 26, 2018
16The Buddha Jan 2, 2019
17The Most Terrible Thing Jan 9, 2019
18Baldur Jan 16, 2019
19What Happens in the Cave Jan 23, 2019
20Ragnarok Jan 30, 2019
#NomeAir Dates
1A Good Treason Feb 18, 2016
2Kill the Queen Feb 25, 2016
3Mercy Mar 3, 2016
4Yol Mar 10, 2016
5Promised Mar 17, 2016
6What Might Have Been Mar 24, 2016
7The Profit and the Loss Mar 31, 2016
8Portage Apr 7, 2016
9Death All 'Round Apr 14, 2016
10The Last Ship Apr 21, 2016
11O lado de fora Nov 30, 2016
12The Vision Dec 7, 2016
13Two Journeys Dec 14, 2016
14In the Uncertain Hour Before the Morning Dec 21, 2016
15All His Angels Dec 28, 2016
16Crossings Jan 4, 2017
17O Grande Exército Jan 11, 2017
18Vingança Jan 18, 2017
19On the Eve Jan 25, 2017
20The Reckoning Feb 1, 2017
#NomeAir Dates
1Mercenary Feb 19, 2015
2The Wanderer Feb 26, 2015
3Warrior's Fate Mar 5, 2015
4Scarred Mar 12, 2015
5The Usurper Mar 19, 2015
6Born Again Mar 26, 2015
7Paris Apr 2, 2015
8To the Gates! Apr 9, 2015
9Breaking Point Apr 16, 2015
10The Dead 23 de abril de 2015
#NomeAir Dates
1Brother's War Feb 27, 2014
2Invasão Mar 6, 2014
3Treachery Mar 13, 2014
4Eye for an Eye Mar 20, 2014
5Answers in Blood Mar 27, 2014
6Unforgiven Apr 3, 2014
7Blood Eagle Apr 10, 2014
8Desossado Apr 17, 2014
9The Choice Apr 24, 2014
10The Lord's Prayer May 1, 2014
#NomeAir Dates
1Rites of Passage Mar 3, 2013
2Wrath of the Northmen Mar 10, 2013
3Dispossessed Mar 17, 2013
4Trial Mar 24, 2013
5Raid Mar 31, 2013
6Burial of the Dead Apr 7, 2013
7A King's Ransom Apr 14, 2013
8Sacrifice Apr 21, 2013
9All Change Apr 28, 2013
#NomeAir Dates
1Athelstan's Journal Mar 26, 2015
2The Saga of Ragnar Lothbrok Nov 30, 2016
3A New World Nov 28, 2017
4The Saga of Lagertha Nov 29, 2017
5The Saga of Bjorn Nov 28, 2018
6The Saga of Floki Dec 4, 2019
7The Saga of Vikings Jun 5, 2021

Receive automatic notifications when Vikings Season 7 is renewed.

28311 fans have subscribed

Comments 330

With one episode left, when will Season 6 begin

Hated to see Judith die. She was hot !

I just wanted to add a corrcetion to this schedule, the next episode to air will be Season 5 episode 11, as it was with season 10, season 11 will have 20 episodes not 10 as is indicated above.

Ragnar had to die, to start the war between the Danes and English, The great Heathen Army can only be built when Ragnar dies as it is a great army built for the revenge of their farther. Without the great heathen army England would be split all over and they would not survive.

It was due to the Danes taking over that England finally became a unified England as the king of Wessex would not of dreamed of creating an England.

So please I completely agree with you that yes it is not good without Ragnar, however it is history, people would of started moaning that this was not historical enough and then it would of lost ratings anyway.

Bring Ragnar back.
Not interesting without him. That's why your ratings went down. I feel the same- killing off Ragnar really changes the dynamics of the show. Where he could be tough as nails, brutal and a little unhinged. he had a gentle side, which showed the true family unit of the Vikings. That missing now, sadly.
Try & find a way to bring Ragnar back, Ashe is needed.

I never intended to watch Vikings originally, but I kept seeing the premier being pushed on History Channel, so I thought, "Okay, why not?" Boy, talk about being blown away by that first episode! I agree with many of you, it's kind of difficult to want to watch it now without Ragnar. Some episodes were fantastic, in that the stories were so detailed but, then, the time jumps. they seemed out of place. (They could've waited for the next season to introduce Ragnar's grown sons, IMO.) The actors were perfectly chosen for their parts, with the exception of what's-her-name-something-Polanski, she's the only one who seems like the oddball for me.

Can't wait to start watching Season 5!


Vikings: Why did Ivar the Boneless kill Thora in Vikings?

Link copiado

Vikings: Ivar the Boneless burns Thora in episode eighteen

When you subscribe we will use the information you provide to send you these newsletters. Sometimes they'll include recommendations for other related newsletters or services we offer. Our Privacy Notice explains more about how we use your data, and your rights. You can unsubscribe at any time.

Vikings is a popular historical drama series on History and Amazon Prime, and it follows the sons of the famous Ragnar Lothbrok (played by Travis Fimmel). In the series, Thora (Eve Connolly) is the lover of Hvitserk (Marco Ilsø), but she was killed in season 6 and fans are wondering what happened to her. She had been murdered at the hands of Hvitserk's brother, Ivar the Boneless (Alex Høgh Andersen), and her death haunted Hvitserk for a long time.

Tendendo

Thora was introduced in season five, speaking to Hvitserk about why he did not attend his brother's sacrificial ceremony.

Ivar had made threats to Thora, saying it would be a shame to see her burned alive. He later spots her in a crowd of onlookers who believed Ragnar had been a better leader than him.

Viewers were shocked to see Thora and her family punished, as Ivar had ordered for them to be put to death for turning against him.

She and her family are burned alive, and Thora has to watch as her father is set on fire, before facing the same terrible fate herself.

Vikings: Ivar killed Thora (Image: Sky/History)

Vikings: Thora was murdered by Ivar's men (Image: History)

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO

Ivar had seen a statue which had been dedicated to him had been vandalised, and he was frustrated at the fact not everyone believed in him.

Thora had told him Ragnar would have never forced his power on anyone, and initially Ivar does not seem to take much notice of her words.

However, he leaves a mark on her which indicates to his guards she must be put to death for going against the ruler.

Her death is one of the most horrendous in the series, and it sent Hvitserk on his downward spiral, suffering from post traumatic stress disorder.

Vikings: Hvitserk before his traumatic experience (Image: Sky)

Vikings: A blood-soaked Ivar after battle (Image: Sky)

Hvitserk continues to see visions of Thora with burnt skin and she taunts him over the fact his brother slaughtered her and her family.

The visions drive Hvitserk to madness and he starts drinking heavily and taking drugs to try and bury the thoughts.

However, his instability peaks when he ends up stabbing shieldmaiden Lagertha (Katheryn Winnick) by mistake, thinking she was an evil serpent coming to kill him.

Fans were left heartbroken after seeing the way Thora's death has such an impact on Hvitserk and his mental health.

Artigos relacionados

One fan said on Twitter: "Ivar you evil b**, I honestly hope Hvitserk kills him for what he did to Thora #Vikings."

However, in a strange turn of events fans will know in season six Hvitserk and Ivar end up teaming up in order to launch an attack on their homeland.

Ivar had joined the Rus Vikings who wanted to invade Scandinavia, and he helped bring Hvitserk back to health so he could join in the fight.

Fans could not believe how quickly Hvitserk seemed to forgive Ivar for murdering his lover, and they are wondering whether his plan is a trick.

Another fan said on Twitter: "Hvitserk is just going to leave Thora there after his brother threatened to burn her? I mean, if there's ever a reason to make it a double occupancy room, Hvitsy, this is it."

Artigos relacionados

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO

Hvitserk may be trying to hide his resentment in order to get Ivar on his side, before launching at attack on him.

What Ivar did to Thora was unforgiveable, and fans will be expecting Hvitserk to take some sort of revenge on his brother.

Hvitserk did previously join his brother Bjorn Ironside (Alexander Ludwig) in a fight to overthrow Ivar shortly after Thora's death.

However, all seems to be forgotten in the most recent series, which sees Thora in ghost form driving Hvitserk to insanity.

In Viking mythology, Thora is actually a wife of Ragnar, however, in the series she is in love with Ragnar's son.

Vikings will return to History and Amazon Prime at the end of 2020


Assista o vídeo: Vikings. The End of the Journey