Jamestown Colony

Jamestown Colony


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Em 14 de maio de 1607, um grupo de cerca de 100 membros de uma joint venture chamada Virginia Company fundou o primeiro assentamento inglês permanente na América do Norte, nas margens do rio James.

Fome, doença e conflito com tribos nativas americanas locais nos primeiros dois anos levaram Jamestown à beira do fracasso antes da chegada de um novo grupo de colonos e suprimentos em 1610.

O tabaco se tornou a primeira exportação lucrativa da Virgínia, e um período de paz se seguiu ao casamento do colono John Rolfe com Pocahontas, filha de um chefe algonquino. Durante a década de 1620, Jamestown se expandiu da área ao redor do James Fort original para uma nova cidade construída a leste. Permaneceu a capital da colônia da Virgínia até 1699.

Colônia Inglesa no Novo Mundo

Após a viagem histórica de Cristóvão Colombo em 1492, a Espanha dominou a corrida para estabelecer colônias nas Américas, enquanto os esforços ingleses, como a "colônia perdida" de Roanoke, fracassaram. Em 1606, o rei James I concedeu um alvará para um novo empreendimento, a Virginia Company, para formar um assentamento na América do Norte. Na época, Virginia era o nome inglês de toda a costa leste da América do Norte ao norte da Flórida; eles a deram o nome de Elizabeth I, a "rainha virgem". A Virginia Company planejava procurar depósitos de ouro e prata no Novo Mundo, bem como uma rota fluvial para o Oceano Pacífico que lhes permitiria estabelecer comércio com o Oriente.

Aproximadamente 100 colonos deixaram a Inglaterra no final de dezembro de 1606 em três navios (o Susan Constant, o Godspeed e o Discovery) e chegaram à baía de Chesapeake no final de abril seguinte. Depois de formar um conselho governamental - incluindo Christopher Newport, comandante da viagem marítima, e o capitão John Smith, um ex-mercenário que havia sido acusado de insubordinação a bordo por vários outros membros da companhia - o grupo procurou um local de assentamento adequado. Em 13 de maio de 1607, eles pousaram em uma península estreita - praticamente uma ilha - no rio James, onde começariam suas vidas no Novo Mundo.

Sobrevivendo aos primeiros anos

Conhecido como James Forte, James Towne e James Cittie, o novo assentamento consistia inicialmente em um forte de madeira construído em um triângulo ao redor de um depósito de armas e outros suprimentos, uma igreja e várias casas. No verão de 1607, Newport voltou para a Inglaterra com dois navios e 40 tripulantes para dar um relatório ao rei e reunir mais suprimentos e colonos. Os colonos deixados para trás sofreram muito com a fome e doenças como febre tifóide e disenteria, causadas pelo consumo de água contaminada do pântano próximo. Os colonos também viviam sob constante ameaça de ataque por membros de tribos algonquianas locais, a maioria das quais organizada em uma espécie de império sob o chefe Powhatan.

LEIA MAIS: Como era a vida em Jamestown?

Um entendimento alcançado entre Powhatan e John Smith levou os colonos a estabelecerem um comércio muito necessário com a tribo de Powhatan no início de 1608. Embora as escaramuças ainda ocorressem entre os dois grupos, os nativos americanos trocaram milho por contas, ferramentas de metal e outros objetos (incluindo alguns armas) dos ingleses, que dependeriam desse comércio para seu sustento nos primeiros anos da colônia. Depois que Smith retornou à Inglaterra no final de 1609, os habitantes de Jamestown sofreram um longo e rigoroso inverno conhecido como “The Starving Time”, durante o qual mais de 100 deles morreram. Relatos em primeira mão descrevem pessoas desesperadas comendo animais de estimação e sapatos de couro. Alguns colonos de Jamestown até recorreram ao canibalismo. George Percy, o líder da colônia na ausência de John Smith, escreveu:

"E agora a fome começa a parecer horrível e pálida em todos os rostos que nada foi poupado para manter a vida e fazer aquelas coisas que parecem incríveis, como desenterrar cadáveres de túmulos e comê-los, e alguns lamberam o sangue que caiu de seus companheiros fracos. "

Na primavera de 1610, quando os colonos restantes deveriam abandonar Jamestown, dois navios chegaram trazendo pelo menos 150 novos colonos, um depósito de suprimentos e o novo governador inglês da colônia, Lord De La Warr.

Crescimento da Colônia

Embora De La Warr logo adoecesse e fosse para casa, seu sucessor Sir Thomas Gates e o segundo no comando de Gates, Sir Thomas Dale, assumiu o comando da colônia e emitiu um sistema de novas leis que, entre outras coisas, controlava estritamente o interações entre colonos e algonquinos. Eles assumiram uma linha dura com Powhatan e lançaram ataques contra as aldeias algonquianas, matando residentes e queimando casas e plantações. Os ingleses começaram a construir outros fortes e povoados ao longo do rio James e, no outono de 1611, eles próprios conseguiram colher uma safra decente de milho. Eles também aprenderam outras técnicas valiosas com os Algonquianos, incluindo como isolar suas moradias contra o clima usando casca de árvore, e expandiram Jamestown em uma nova cidade a leste do forte original.

Um período de relativa paz se seguiu ao casamento em abril de 1614 do colono e plantador de tabaco John Rolfe com Pocahontas, uma filha do chefe Powhatan que havia sido capturada pelos colonos e convertida ao cristianismo. (De acordo com John Smith, Pocahontas o resgatou da morte em 1607, quando ela era apenas uma menina e ele era cativo de seu pai.) Em grande parte graças à introdução de Rolfe de um novo tipo de tabaco cultivado a partir de sementes das Índias Ocidentais, Jamestown's economia começou a prosperar. Em 1619, a colônia estabeleceu uma Assembleia Geral com membros eleitos pelos proprietários de terras do sexo masculino da Virgínia; se tornaria um modelo para governos representativos em colônias posteriores. Nesse mesmo ano, os primeiros africanos (cerca de 50 homens, mulheres e crianças) chegaram ao assentamento inglês; eles estavam em um navio negreiro português capturado nas Índias Ocidentais e trazido para a região de Jamestown. Eles trabalharam como servos contratados no início (o sistema de escravidão baseado em raça desenvolvido na América do Norte na década de 1680) e provavelmente foram colocados para trabalhar na colheita de tabaco.

LEIA MAIS: 5 mitos sobre Pocahontas

Powhatans depois de Pocahontas

A morte de Pocahontas durante uma viagem à Inglaterra em 1617 e a morte de Powhatan em 1618 prejudicaram a já frágil paz entre os colonos ingleses e os nativos americanos. Sob o sucessor de Powhatan, Opechankeno, os algonquinos ficaram cada vez mais irritados com a necessidade insaciável de terras dos colonos e o ritmo da colonização inglesa; enquanto isso, doenças trazidas do Velho Mundo dizimaram a população nativa americana. Em março de 1622, o Powhatan fez um grande ataque aos assentamentos ingleses na Virgínia, matando cerca de 350 a 400 residentes (um quarto da população). O ataque atingiu os postos avançados de Jamestown com mais força, enquanto a própria cidade recebeu um aviso prévio e foi capaz de montar uma defesa.

Em um esforço para assumir maior controle da situação, o rei James I dissolveu a Virginia Company e transformou a Virginia em uma colônia oficial da coroa, com Jamestown como sua capital, em 1624. A área de New Town de Jamestown continuou a crescer, e o forte original parece ter desaparecido após a década de 1620. Embora o povo Powhatan continuasse a montar uma resistência (Opechankeno, então em seus 80 anos, liderou outra grande rebelião em 1644), a colônia continuou a se fortalecer, e seu sucessor Necotowance foi forçado a assinar um tratado de paz que cedeu a maioria dos Powhatans 'terra e os forçou a pagar uma homenagem anual ao governador colonial.

Rebelião de Bacon

A rebelião de Bacon foi a primeira rebelião nas colônias americanas. Em 1676, problemas econômicos e agitação com os nativos americanos levaram os virginianos liderados por Nathaniel Bacon a se rebelar contra o governador William Berkeley. Colonos, furiosos com a queda dos preços do tabaco e impostos mais altos, procuraram um bode expiatório nas tribos locais que ainda lutavam periodicamente com colonos e viviam em terras que esperavam obter para si.

Um ataque de julho de 1675 pela tribo Doeg gerou retaliação, e quando o governador Berkeley marcou uma reunião entre as duas partes em conflito, vários chefes tribais foram assassinados. Em 1675, a Assembleia Geral declarou guerra às tribos “hostis” e proibiu os comerciantes de trabalhar com elas. Convenientemente, o comércio era restrito a amigos de Berkeley.

LEIA MAIS: Por que os primeiros rebeldes coloniais da América queimaram Jamestown até o chão

Bacon, um parente distante de Berkeley, liderou uma milícia voluntária e exigiu que o governador lhe desse uma comissão para lutar contra os nativos americanos. Berkeley recusou, então Bacon os atacou e os matou sozinho. O governador Berkeley nomeou Bacon um rebelde, mas isso não impediu Bacon de ser eleito burguês e retornar a Jamestown para cercar o palácio do governo com seu exército.

O grito de guerra de Bacon foi sua "Declaração em Nome do Povo", que acusava Berkeley de ser corrupto e "proteger, favorecer e fortalecer os índios contra seus súditos leais". As forças de Bacon expulsaram o governador Berkeley da capital e incendiaram Jamestown em 19 de setembro de 1676. Bacon morreu de disenteria em outubro, e navios mercantes armados de Londres, seguidos por forças enviadas pelo rei Carlos II, logo acabaram com a resistência.

Jamestown Abandoned

Em 1698, a casa governamental central em Jamestown foi incendiada, e Middle Plantation, agora conhecida como Williamsburg, a substituiu como capital colonial no ano seguinte. Enquanto os colonos continuaram a viver e manter fazendas lá, Jamestown foi praticamente abandonado.

A Ilha Jamestown abrigou postos militares durante a Guerra Revolucionária e a Guerra Civil. No século 20, os preservacionistas realizaram uma grande restauração da área. O National Park Service agora o administra como parte do Colonial National Historical Park, chamado de "Historic Jamestowne". O projeto arqueológico Jamestown Rediscovery, iniciado em 1994, examina artefatos descobertos no assentamento para obter uma melhor compreensão da vida diária na primeira colônia inglesa permanente no Novo Mundo.


A trágica história verdadeira do assentamento Jamestown

Quando se trata da "descoberta" da América, a narrativa do livro de histórias que você aprendeu na escola primária está muito errada. É difícil contestar a arrogância - e hostilidade - das potências europeias que reivindicam terras que foram ocupadas por culturas indígenas por séculos, e a colonização na vida real definitivamente não era um conto fantasioso de peregrinos, mesas de jantar de Ação de Graças e acordos de aperto de mão: Foi uma época brutal e sangrenta em que pessoas como Cristóvão Colombo cometeram ações monstruosamente genocidas, guerras estouraram a cada década e as doenças se espalharam. Coisas feias.

Mais de um século depois de Colombo, no entanto, e anos antes de os peregrinos navegarem para Massachusetts em busca de liberdade religiosa, a história dos EUA realmente começou com uma pequena colônia chamada Jamestown, Virgínia, que entraria para a história como a primeira inglesa de sucesso liquidação do Novo Mundo. Se você acha que acampar na floresta é difícil, também. Os primeiros colonos de Jamestown tiveram que lidar com o clima severo, doenças fatais e fome tão intensas que eles (literalmente) começaram a canibalizar os cadáveres uns dos outros. Claramente, a verdadeira história de Jamestown não se parecia em nada com a da Disney Pocahontas.


O que os colonos de Jamestown da Virgínia comeram?

Em 2006, arqueólogos em Jamestown, Virginia, descobriram um poço de água subterrânea do século 17 em James Fort, o local do primeiro assentamento inglês permanente na América. Agora, como Andrew Harris relata para o Williamsburg Yorktown Daily, eles estão cavando o poço para ver o que podem aprender sobre a história do Fort & # 8217s e as pessoas que viveram lá.

Conteúdo Relacionado

A equipe que separa os artefatos do poço faz parte de um grupo de arqueólogos da Preservation Virginia, que está trabalhando desde 1994, quando o James Fort de 1607 foi descoberto. & # 160 O poço só funcionou por um curto período de tempo antes que os colonos começassem a com lixo e resíduos alimentares. Ao classificar esses artefatos, os pesquisadores esperam entender melhor o que estava na mesa de jantar há centenas de anos.

& # 8220Espero que & # 8217 possamos usar essas informações para preencher uma importante peça que faltava no quebra-cabeça da história de Jamestown & # 8217s, que é o que está acontecendo nos dezesseis adolescentes, & # 8221 Jamestown Rediscovery Assistant Curator Hayden Bassett diz Harris. & # 8220Sabemos muito sobre 1607 a 1610, sabemos muito sobre a década de 1620 em diante, mas este foi um período que esteve ausente de nossos registros até hoje. & # 8221

Embora o projeto ainda esteja em seus estágios iniciais, os arqueólogos já descobriram cerca de 30.000 ossos de animais em apenas uma das seis camadas de solo. O que os colonos estavam comendo? Eles tinham um "gosto por peru", escreve Harris.

O peru é uma ave nativa da América do Norte, mas os gobblers têm uma longa história de domesticação. Algumas das primeiras evidências de domesticação remontam à região dos Quatro Cantos do Planalto do Colorado há quase 2.000 anos e à Guatemala entre 300 a.C. a 100 d.C. Nativos americanos também estavam provavelmente no negócio de domar perus bem cedo, com evidências de domesticação desde 1200 & # 160 a 1400 d.C., Grennan Milliken escreve para Placa-mãe. Mas não está claro exatamente de onde os pássaros do James Fort vieram; eles poderiam ser pássaros domesticados pelos nativos americanos ou poderiam ter sido caçados nos estoques abundantes de perus selvagens.

Os tempos para os colonos nem sempre foram fáceis, no entanto. O poço também abriga camadas de solo com abundantes restos de cavalos, ratos e até mesmo cobras venenosas e refeições menos preferidas dos primeiros colonizadores de Jamestown. Os arqueólogos acreditam que esses vestígios provavelmente datam de um período conhecido como Starving Time, que ocorreu entre 1609 e 1610. & # 160 Durante este período, uma seca e falta de suprimentos quase eliminou a população da colônia & # 8217s, de acordo com Jamestowne histórico, e eles foram forçados a recorrer a fontes alternativas de alimentos.

Ao correlacionar suas descobertas de alimentos com documentos históricos, os arqueólogos esperam obter informações sobre os eventos para descobrir os eventos que ocorreram durante este período, relata Josh Lowe em Newsweek. & # 8220 Quando essa dieta muda, isso deve indicar que algo está acontecendo, & # 8221 Bassett diz ao & # 160 Williamsburg Yorktown Daily . "As pessoas não mudam sua dieta apenas aleatoriamente, principalmente em um ambiente como este. & # 8221

Por exemplo, os pesquisadores encontraram ossos de gado em uma camada de solo que data de 1610. A partir de documentos históricos, a equipe descobriu que os primeiros colonos raramente comiam carne antes dessa época. O gado vivo não foi enviado da Inglaterra até 1610 ou 1611.

Os pesquisadores esperam que suas descobertas os ajudem a descobrir quando precisamente o poço foi construído & # 8212 e a obter mais informações sobre a vida desses primeiros colonos.

Sobre Julissa Treviño

Julissa Treviño é escritora e jornalista radicada no Texas. Ela escreveu para Columbia Journalism Review, BBC Future, The Dallas Morning News, Racked, CityLab e Padrão do Pacífico.


Qual é o significado histórico do assentamento de Jamestown?

O assentamento de Jamestown na atual Virgínia foi o primeiro assentamento sob a licença concedida à Virginia Company pelo rei James I. Os colonos da Virginia Company fizeram terras na Ilha Jamestown em 14 de maio de 1607. O assentamento cresceu e eventualmente realizou a primeira assembléia representativa inglesa na América do Norte.

O capitão Bartholomew Gosnold liderou os colonos para construir uma colônia na ilha Jamestown porque estava em uma posição onde os navios espanhóis não seriam capazes de atacar facilmente. No entanto, os índios atacaram o assentamento poucos dias após o desembarque. Depois de sobreviver ao ataque, o povo começou a construir um forte rudimentar.

Em 1609, o forte sofreu uma explosão de pólvora, que feriu o capitão John Smith, o homem encarregado de ajudar a abastecer o povoado com produtos da Inglaterra. O assentamento mal sobreviveu ao inverno seguinte devido à falta de suprimentos, ataques aos índios e ao clima adverso, apenas 60 colonos sobreviveram até a primavera de 1610. Em junho, um navio da Inglaterra finalmente chegou, trazendo novos suprimentos e um novo governador, Lord De La Warr.

Além disso, a colônia era conhecida por ser associada aos nativos americanos Pocahontas e a seu pai, o chefe Powhatan. Ela se casou com o fazendeiro de fumo John Rolfe em 1614.


Jamestown Colony of Virginia

A colônia Jamestown na Virgínia foi o primeiro assentamento inglês permanente na América do Norte fundado em 1607 EC. Foi a terceira tentativa da Virginia Company of London de estabelecer um centro comercial permanente nas Américas após as falências da Colônia Roanoke (1587-1590 CE) e da Colônia Popham de 1607-1608 CE. O objetivo principal da Colônia Jamestown era lucrar para os acionistas que financiavam a expedição e, a princípio, parecia um fracasso. Aqueles que foram selecionados para estabelecê-lo revelaram-se inadequados para a tarefa, exceto o Capitão John Smith (l. 1580-1631 EC), que foi capaz de negociar com a tribo nativa Powhatan e assumir a liderança dos colonos.

Depois que Smith deixou o assentamento para a Inglaterra em 1609 CE, no entanto, a colônia parecia condenada, suportando o inverno angustiante de 1609-1610 CE, que matou a maioria dos colonos. Um navio de abastecimento em maio de 1610 CE trouxe dois dos homens que inverteriam sua sorte: John Rolfe (l. 1585-1622 CE) e Sir Thomas Gates (lc 1585-1622 CE) e outro, em junho de 1610 CE traria o terceiro , Thomas West, Lord De La Warr (l. 1577-1618). Rolfe teve uma ideia inovadora para uma nova mistura de tabaco que se tornou a safra comercial da colônia, Gates organizou a colônia como governador e De La Warr evitou sua deserção e dirigiu Gates. Em 1611 CE, Sir Thomas Dale (l. C. 1560-1619 CE) chegou para iniciar a fundação da Colônia Henricus da Virgínia e iniciar a remoção das tribos indígenas Powhatan das terras vizinhas.

Propaganda

O tabaco era uma cultura de mão-de-obra intensiva, o que levou à política de servidão contratada e, por fim, à escravidão. Em 1619 EC, os primeiros africanos chegaram a Jamestown e, a princípio, parecem ter trabalhado na mesma capacidade e sob as mesmas políticas que os servos contratados.

Nesse mesmo ano, foi convocada a assembleia da House of Burgesses, o primeiro órgão governamental representacional inglês nas Américas e, também, foi lançado o programa Jamestown Brides. Em 1622 CE, a Confederação de Powhatan lançou um ataque unido para expulsar os colonos e, em 1624 CE, o Rei Jaime I da Inglaterra (r. 1603-1625 CE) assumiu o controle direto de Jamestown por meio de uma carta real.

Propaganda

O assentamento continuou a prosperar até 1699 CE, quando foi abandonado em favor de Williamsburg como capital colonial. O local foi comprado por um casal, Sr. e Sra. Edward Barney, em 1892 CE para evitar o desenvolvimento, e os esforços de preservação começaram em 1900 CE com esforços arqueológicos continuando até os dias atuais na área, agora um parque nacional.

Esforços de colonização inicial

A colonização europeia das Américas começou com Cristóvão Colombo (l. 1451-1506 CE), que colonizou as ilhas do Caribe para a Espanha entre 1492-1504 CE. O sucesso dessas primeiras colônias e a riqueza que geraram inspirou a Espanha a enviar outros em busca de ouro e expandir sua presença colonial até que, no final do século 16 EC, a Espanha detinha terras que iam do Caribe ao sul, centro e sudoeste Américas do Norte. França e Holanda também reivindicaram terras na região durante esse mesmo período. A Inglaterra, portanto, chegou atrasada.

Inscreva-se para receber nosso boletim informativo semanal gratuito por e-mail!

Inicialmente, a Inglaterra se contentou em financiar corsários como Sir Francis Drake (lc 1540-1596 dC) e Sir Martin Frobisher (lc 1535-1594 dC) para apreender a carga de navios espanhóis que retornavam de suas colônias ou invadir cidades portuárias espanholas, mas, eventualmente, A Rainha Elizabeth I da Inglaterra (r. 1558-1603 DC) entendeu que seria mais eficiente estabelecer suas próprias bases nas Américas, onde os navios poderiam ser construídos e lançados contra os espanhóis. Ela deu a tarefa de organizar um esforço concertado a Sir Walter Raleigh (l. C. 1552-1618 CE), que enviou a Expedição Amadas-Barlowe para reivindicar terras adequadas, ainda não reivindicadas por uma nação europeia, em 1584 CE.

Recebendo um bom relatório de seus capitães após seu retorno, Raleigh nomeou a região que eles mapearam Virgínia após Elizabeth, a rainha virgem, e enviou outra expedição, sob Ralph Lane (d. 1603 DC), que estabeleceu uma colônia de curta duração em Roanoke ( na atual Carolina do Norte). A colônia de Lane não sobreviveria, principalmente devido aos maus tratos de Lane aos nativos e à traição de sua hospitalidade inicial, e nem uma segunda criada por John White em 1587 DC, a chamada “colônia perdida”.

Propaganda

Fundação de Jamestown

A Rainha Elizabeth I morreu em 1603 EC e foi sucedida por Jaime I, que reacendeu os esforços de colonização. Ao contrário de Elizabeth I, Jaime I não precisava temer a intervenção da Espanha, já que a Armada Espanhola fora paralisada e em grande parte destruída em 1588 dC pelos esforços de Drake, Frobisher e uma tempestade repentina. James I concedeu alvará a duas sociedades anônimas (empreendimentos comerciais nos quais os investidores compram ações na expectativa de retorno), a Virginia Company of London e a Virginia Company of Plymouth.

Ambas as cartas permitiam-lhes estabelecer assentamentos na América do Norte, desde que não infringissem os territórios um do outro. A Virginia Company of London enviou a expedição que iria encontrar Jamestown na Virginia, a expedição da empresa Plymouth fundou a Popham Colony no atual Maine. A Colônia Popham duraria apenas 14 meses antes de ser abandonada.

Propaganda

O local da colônia Jamestown foi selecionado com base nas cartas da Expedição Amadas-Barlowe de 1584 DC, mas para protegê-lo da passagem de navios espanhóis, os capitães navegaram por uma enseada que chamaram de James River e reivindicaram uma península em um pântano região como seu site. O sucesso dos espanhóis levou os ingleses a acreditar que as Américas eram uma terra de abundância, repleta de ouro, prata e pedras preciosas esperando para serem encontradas, e uma grande porcentagem dos colonos eram nobres de classe alta que assinaram acreditando que eles iriam apenas embolsar qualquer ouro encontrado e voltar para casa. A realidade da situação era que não havia ouro à mão, os colonos chegaram tarde demais para fazer o plantio e muitos nem sabiam como fazê-lo, e os brejos - que os indígenas evitaram - era um terreno fértil para os mosquitos, a maioria dos colonos morreram poucos meses depois de sua chegada.

John Smith e Pocahontas

O capitão John Smith veio de uma classe trabalhadora, passado agrícola, e ele relata em seus diários e outras obras como os colonos da classe alta eram completamente inúteis para se sustentar e tiveram que forçá-los a construir uma paliçada para proteção (mais tarde conhecida como Fort James). Newport explorou o rio James para cima e para baixo em um dos navios menores para encontrar um local mais propício para a agricultura, enquanto Smith iniciava relações amigáveis ​​com o líder da tribo Powhatan, Chefe Powhatan (também conhecido como Wahunsenacah, l. C. 1547 - c. 1618 dC).

A relação amigável inicial com os nativos locais iria se deteriorar devido aos abusos dos colonos. Newport partiu para a Inglaterra para trazer mais suprimentos e, à medida que os alimentos escasseavam e os colonos não podiam - ou não queriam - produzir os seus próprios, começaram a roubar dos Powhatans. A situação piorou quando Newport voltou com os suprimentos e 100 novos colonos que não encontraram casa, comida, nem nada que se parecesse com o que havia sido prometido na Inglaterra. Newport saiu em outra corrida de abastecimento, e Smith instituiu sua política de “quem não vai trabalhar, não vai comer”, proibiu o roubo dos Powhatans e estabeleceu tarefas para os colonos.

Propaganda

De acordo com uma versão inicial de seu relato sobre as relações com os Powhatans, ele conheceu Pocahontas (lc 1596-1617 dC) quando ela tinha dez anos e foi enviado por seu pai para Fort James para negociar a libertação de alguns guerreiros Powhatan que tinham foi capturado após uma altercação. Nenhuma das partes falava a língua da outra, mas os Powhatans foram liberados com presentes para o chefe, e Smith presenteou Pocahontas com “as ninharias que a deixaram satisfeita” (Smith, 35).

Em um relato posterior, ele relata como, durante uma missão de reconhecimento em uma área mais ampla, foi capturado pelo meio-irmão de Wahunsenacah, Opchanacanough (l. 1554-1646 dC), que o tratou como um convidado de honra e o trouxe para o chefe. Wahunsenacah ordenou que ele fosse jogado no chão para ser executado, mas Pocahontas interveio, salvando sua vida. Os estudiosos modernos geralmente descartam essa história como uma invenção posterior ou como Smith interpretando mal um ritual no qual ele seria "morto" e renasceria como membro da tribo Powhatan. O debate sobre o significado e a precisão desse relato continua, mas é claro que Pocahontas era pelo menos 16 anos mais jovem do que Smith, e em nenhum dos relatos de Smith há qualquer evidência da relação romântica entre os dois, que se tornou assim muito uma parte da mitologia de Jamestown.

The Starving Time & Prosperity

A disciplina de Smith e a organização da colônia permitiram que o assentamento sobrevivesse, mas ele estava frustrado com o influxo de ainda mais pessoas no retorno de Newport com um segundo navio de abastecimento. Em agosto de 1609 EC, havia mais de 500 colonos em Jamestown que precisavam de comida, roupas e abrigo, todos escassos. Smith foi ferido por uma explosão de pólvora e deixou a colônia para retornar à Inglaterra em outubro de 1609 EC, e os colonos foram deixados para se defenderem sozinhos. Ao mesmo tempo, o chefe Powhatan se recusou a permitir que os colonos drenassem mais os suprimentos de seu povo.

Isso não foi bem, pois os colonos, que agora incluíam mulheres e famílias, não podiam viver da terra e eram vulneráveis ​​às doenças estimuladas pelo local úmido e pantanoso e pelos crimes perpetrados uns contra os outros. O inverno de 1609-1610 EC é conhecido como o Tempo da fome porque, à medida que os suprimentos acabavam, as pessoas comiam ratos e outros vermes, depois cachorros, depois cavalos e, finalmente, os cadáveres dos mortos. Um colono - que mais tarde foi executado - até matou e comeu sua esposa.

Um terceiro navio de abastecimento, comandado por Sir George Somers (l. C. 1554-1610 CE), supostamente os alcançou antes que tivessem qualquer problema, exceto seu navio, o Sea Venture, naufragou em um furacão na costa das Bermudas. Somers e sua tripulação - que incluía Newport, John Rolfe, Sir Thomas Gates e Stephen Hopkins (l. 1581-1644 CE, depois da expedição do Mayflower) - construíram dois novos navios nas Bermudas e chegaram a Jamestown em maio de 1610 CE. Gates assumiu o controle do assentamento - cuja população havia caído de cerca de 500 para menos de 150 - mas sentiu que a colônia era simplesmente insustentável. Ele ordenou que as pessoas embarcassem nos navios e abandonassem Jamestown e eles estavam navegando pelo rio James quando outro navio, transportando Lord De La Warr, chegou e revogou a ordem de todos os navios retornarem à colônia e os passageiros desembarcarem.

De La Warr, Rolfe e Dale

Em uma carta para a Virginia Company escrita logo após sua chegada, De La Warr escreve que eles encontraram a colônia em um estado lamentável, parecendo "mais como as ruínas de alguma fortificação antiga do que qualquer pessoa viva poderia agora habitá-la" (Neill, 39). De La Warr ordenou que Somers voltasse às Bermudas para buscar novos suprimentos e então reorganizou a colônia e passou a administração de sua operação para Gates. As terras foram pesquisadas e divididas para cultivo e a política de John Smith em relação ao trabalho para a alimentação foi mantida. De La Warr afastou-se da política de Smith em relação aos nativos, no entanto, e instituiu medidas mais duras, iniciando a Primeira Guerra Powhatan (1610-1614 CE), que mataria mais de 400 colonos.

Rolfe trouxera consigo uma mistura de sementes híbridas que havia cultivado a partir do tabaco espanhol, que achava que daria bem em solo da Virgínia. Em 1611 CE, Rolfe colheu com sucesso sua primeira safra, que se tornaria um sucesso comercial na Europa. Jamestown não foi apenas salva pela safra de tabaco, mas floresceu. Naquele mesmo ano, Sir Thomas Dale chegou com mais suprimentos, colonos e gado e instituiu outras leis. De La Warr adoeceu em 1613 EC e entregou sua autoridade a Sir Samuel Argall (l. C. 1580-1626 EC), depois partindo para a Inglaterra.

Dale foi incumbido pela Virginia Company de estabelecer uma colônia para se defender contra os espanhóis e compreendeu que mais e melhores terras eram necessárias para a cultura do tabaco. Ele estabeleceu uma nova colônia, Henricus (em homenagem a seu benfeitor, Henry, filho de James I), rio acima da antiga colônia. Ao mesmo tempo, esforços evangélicos estavam em andamento para converter membros da Confederação Powhatan ao cristianismo, e Dale estabeleceu uma faculdade fora de Henricus para promover sua educação, bem como um hospital - a primeira escola inglesa e instituição médica na América do Norte.

Por volta de 1614 EC, John Rolfe era um homem rico com uma grande plantação e se casou com a recém-convertida Pocahontas (que adotou o nome cristão de Rebecca), que encerrou a Primeira Guerra Powhatan. À medida que mais terras eram desmatadas para o fumo, gado e assentamentos, os Powhatans foram empurrados cada vez mais para o interior, afastando-se dos canais que sempre haviam sido seus meios tradicionais de subsistência e de viagem, mas o casamento do rico Rolfe com os nobres Pocahontas manteve-se bem relações entre as tribos indígenas da Confederação Powhatan e os imigrantes.

Em 1616 dC, Rolfe levou Pocahontas e seu filho, Thomas Rolfe (l. 1615- c. 1680 dC), para a Inglaterra no que equivalia a uma viagem de relações públicas para a Virginia Company para encorajar mais investimentos na colônia. Pocahontas foi bem recebido e se tornou uma celebridade nacional, mas morreu em 1617 EC, pouco antes de seu retorno. O chefe Wahunsenacah morreu pouco depois, e Opchanacanough assumiu a liderança da Confederação de Powhatan mais ou menos na mesma época em que a Casa dos Burgesses foi convocada para aprovar leis sobre os colonizadores das antigas terras de Powhatan.

Guerras, servidão e rebelião de Powhattan

As Guerras Powhatan podem ser entendidas como combates periódicos começando em 1610 CE, quando Jamestown começou a se expandir, e concluindo em 1646 CE, quando Opchanacanough foi baleado nas costas, enquanto um prisioneiro, e morto. O encontro mais significativo é o chamado Massacre Indiano de 1622 dC, quando Opchanacanough organizou a confederação em um ataque coordenado que matou mais de 300 colonos e destruiu a colônia de Henricus. James I rescindiu o contrato da Companhia da Virgínia posteriormente em 1624 CE e assumiu o controle direto por meio de um contrato real. Uma longa paliçada foi construída pelos colonos marcando uma fronteira entre suas terras e as dos Powhatans e uma trégua foi convocada em 1626 CE, estabelecendo uma paz incômoda.

Pouco depois que a primeira safra de tabaco de Rolfe foi bem-sucedida, servos contratados começaram a chegar a Jamestown. Essas eram pessoas que não tinham dinheiro para reservar passagens para o Novo Mundo e então assinaram um contrato conhecido como escritura, assim chamada porque foi rasgada ou cortada com entalhes de “dentes” no centro e cada parte manteve metade dos dois poderiam ser colocados juntos mais tarde para provar a autenticidade. Os servos contratados concordavam em trabalhar por um período de tempo (geralmente sete anos, mas às vezes quatro) e, então, recebiam um pedaço de terra. Os primeiros africanos chegaram à colônia em 1619 EC, mas, como a escravidão não foi institucionalizada na América do Norte nessa época, eles parecem ter sido tratados da mesma forma que servos contratados. O acadêmico David A. Price esclarece:

Embora seja tentador presumir que esses primeiros africanos registrados na América inglesa também foram os primeiros escravos, há evidências que sugerem que não. Em vez disso, eles podem ter tido a posição legal de servos contratados, como muitos dos recém-chegados brancos, elegíveis para a liberdade após completar um período de serviço. (197)

Essa dinâmica mudou em 1640 dC, quando um servo contratado negro chamado John Punch recusou-se a cumprir seu contrato e deixou o serviço de seu senhor junto com dois servos brancos. Os três foram capturados e devolvidos e, enquanto os dois servos brancos só tiveram seus termos de servidão estendidos por quatro anos, Punch foi condenado a continuar como escravo pelo resto da vida. Em 1661 CE, a escravidão seria institucionalizada na Virgínia e os colonos negros não seriam mais vistos como iguais aos brancos.

Conclusão

De acordo com os termos da servidão contratada, cada vez mais ex-trabalhadores se tornavam proprietários de terras. As terras desses proprietários posteriores ficavam mais para o interior e eram consideradas de menos valor do que as do litoral, porém, e mais vulneráveis ​​a ataques de nativos cujas casas tradicionais estavam sendo invadidas por mais e mais colonos. Um desses proprietários de terras posteriores, Nathaniel Bacon (l. 1647-1676 CE), levantou uma revolta (Rebelião de Bacon) em 1676 CE, exigindo o massacre ou realocação de nativos americanos na região e a derrubada do governador William Berkeley (l. 1605 -1677 dC) cuja administração ele alegou ser corrupta em favor dos proprietários de terras costeiras mais velhos e dos nativos.

Bacon e seus seguidores queimaram Jamestown, forçando Berkeley e seus partidários a fugir da cidade, mas antes que pudesse fazer mais, ele morreu de disenteria e a rebelião falhou. A revolta acabou com a servidão contratada, o aumento da necessidade de trabalhadores encorajou o comércio de escravos e os nativos americanos tiveram suas terras e direitos civis negados. Jamestown was rebuilt but, when the statehouse accidentally caught fire again in 1698 CE, the colonial capital was moved to the area known as the Middle Plantation, later Williamsburg, and Jamestown was eventually abandoned. Its legacy continued, however, as more slaves were brought from West Africa and more of the Native Americans were forced from their land into reservations to make room for more colonists pursuing the same American dream that had drawn the first to the land of plenty.


It would also be useful if they could stay fit, healthy and alive

No small undertaking for a group of people whose number was not much above one hundred.

They were not a group of people chosen at random, many came with specific skills suited to the purpose. About a third of them were skilled workers who would be needed both on the voyage and when they arrived. Carpenters such as William Laxon or blacksmiths such as James Reed. Who would cut your hair or amputate your leg if need be? Why that would be barber Thomas Couper. A priest was needed to say prayers for the dead and Robert Hunt stood up for this role. A labouring force would also be required. The rest of the settlers were made up of gentlemen, one wonders how the aptly named Captaine Archer fared? Find out more names in the list here.

The expedition finally set sail in three small ships, the Discovery, Susan Constant e Boa Sorte Vá com Deus in December 1606, with around 140 colonists bound for Virginia. The ships left the Port of London but due to adverse weather conditions they were delayed. The River Thames often froze in the winter during this period.

Christopher Newport was the captain in charge of the three ships, he and John Smith clashed during the voyage and lucky for him, Smith only escaped being hanged for mutiny, when sealed orders were opened that named him one of the leaders of the new colony.

The search for a suitable site for the new colony ended on May 14th 1607, when the Virginia Company explorers landed on a small peninsular of land on the banks of a river some 45 miles from the Atlantic Ocean and entrance to the Chesapeake Bay. They named their new town Jamestown, in honour of King James I.

Of the first colonists who landed in April 1607, only thirty-eight survived the winter. They struggled on all fronts, shelter, food and disease.

They were not defeated though and more and more colonists crossed the seas. In the first fifteen years, 10,000 settlers left England but it is thought only 20% of these survived. They first months of the colony were chronicled by John Smith, Edward Wingfield and George Percy.


Jamestown Colony

1854 image of the ruins of Jamestown showing the tower of the old Jamestown Church built in the 17th century

Joint-stock companies in England had tried numerous times to establish a colony in North America. It was no sure thing that Jamestown would be the first.

Jamestown was a settlement founded by the Virginia Company of London, a joint-stock company named for Elizabeth I – the “virgin queen” – that had been given a monopoly by King James I. They departed England in 1607 with three ships, stopping in the West Indies before proceeding on to the Chesapeake Bay. They first made their settlement on an island, but found it too swampy and soon moved up the river they named the James. Their goal was to find silver and gold as the Spanish had done.

Early Troubles

They constructed the settlement of Jamestown, but many of the 500 colonists were “gentlemen” who were unaccustomed to physical labor. On top of that they had arrived too late in the year to put in a crop. Many of the original colonists “went native,” joining with the indigenous peoples of the region in order to survive. About ten percent of them died in the first few months and up to half were dead the following spring. By the “starving time” of the winter of 1609-10 only about 60 colonists remained alive and living in Jamestown.

The military leader of the original group was Captain John Smith who had instituted martial law the second year to get the settlers to put in a crop., but suffered a wound to the knee and was forced to return to England. The 1610 remnant population actually abandoned Jamestown briefly but soon encountered relief ships coming from England with supplies and more settlers. Among the replacements were Polish artisans whose skills included glassblowing, the first product exported by English colonists.

Tobacco

On a pass through the West Indies on the way to Virginia, John Rolfe had acquired a few pounds of tobacco seed. Europeans had had adequate time to become addicted to tobacco since the early Spanish colonists had sent the dried leaves back from the New World. This demand proved to be the lifeblood of the new English colony and new lands for the crop were needed. Further colonial expansion into the Indian lands exacerbated the rather tense relations between the two groups.

In order to alleviate these tensions, arrangements were made between the leader of the Powhatan Confederacy, the Algonquian-speakers who lived in the region, and the English colonists. Wahunsenecawh, the leader of the Confederacy whom the colonists called Powhatan, had a daughter known to the colonists as Pocahontas. This daughter was married to John Rolfe in order to cement relations between the English and the Confederacy in the Chesapeake.

During this period, the colony continued to grow its tobacco economy. Labor was obtained through the importation of indentured servants, usually indigent young men from England who had no prospects in the Mother Country and were willing to sign themselves into servitude, usually for a period of between three and seven years. To attract Englishmen of some means who were able to outfit a tobacco plantation, the Virginia colonists created the Headright System. For every member of a gentry’s household, the Virginia Company promised 50 acres if he could afford to set up a plantation. In this way, the colony expanded further onto Indian lands.

1619: A Significant Year

By the year 1619, the colony was established enough to form a governing body. They formed the House of Burgesses for the purpose of self-governance in this country far from the organizing forces of King-in-Parliament. Also in this year, it was acknowledged in the Mother Country that the ratio of men to women in Virginia had reached 5:1. In response, a ship with a “cargo” of women was dispatched to Jamestown where they were sold for 120 pounds of tobacco each. Also in 1619, a Dutch slave ship sold over 20 African slaves at the dock, the first in English North America.

Conflict with Indians

Members of the Powhatan Confederacy, of which the main group were the Pawmunkeys, had saved the lives of the colonists in the early days. Since then, the John Rolfe – Pocahontas marriage had maintained an uneasy peace. Pocahontas, whose real name was Matoaka, had gone to England with Rolfe, where she was trussed up in English clothing and shown about the Court and aristocratic circles of London. During this trip she contracted an Old World disease and died in England at the age of 17. Her father, Wahunsenecawh, died soon afterward.

The leadership of the Confederacy fell then to Opechancanough, the brother of Wahunsenecawh. The new leader did not care for the English and wanted to see them driven into the sea. The expansion of the plantations and the dismissive way many of the English treated the Indians wore on Opechancanough and his followers. In 1622, the Indians attacked the outlying plantations and villages that had only recently been built. Several hundred English were killed and the remainder had to retreat to the garrison at Jamestown.

The English, however, were very good at warfare, and their counter-attack drove the Indians into the woods. The English sacked and burned their villages, killing many of the Confederacy and destroying their winter stores. In the broader view, this conflict began what has been called the “Indian Wars,” a centuries long conquest of North America by the English, their colonists, and subsequent generations of immigrants. King James I, fearful of losing control of the now-profitable Virginia Colony, declared it a Royal colony in 1624, thus ending the private venture. The colony grew as a part of the “plantation complex” of the British Empire, where staple crops were produced by slaves to create wealth for the planters.


Jamestown Colony - HISTORY

I write this especially for our Maoist brothers. While the US is commonly vilified as the bastion of capitalism, it is little known that the US too has tried communism. It was only when communism failed that property rights and capitalism took hold.

Let us go back into history and see what lessons America learned from its relatively short dalliance with Maoism much before the ‘great leader' himself was born.

The year was 1607. The first 104 settlers had arrived from Europe in Jamestown in the Virginia Tidewater region of the US in May. They found soil which was fertile beyond what they had seen in the lands which they had left. Fruits were abundant. Wild game such as deer and turkey were everywhere. There was no shortage of fish and other seafood. And yet within six months 66 of the original Jamestown, Virginia settlers had died. Only 38 survived.

Another 500 settlers were again sent to settle in Virginia in 1609 and within six months 440 of these too died by starvation and disease. This was called ‘starving time' and one eyewitness described it in English of those times, ‘So great was our famine, that a Savage we slew and buried, the poorer sorte took him up againe and eat him and so did divers one another boyled and stewed with roots and herbs.'

How could this be? How could there be such death and starvation amidst so much plenty of meat, fruits, and fish. The fault as the witness said lay not in the ‘barrenness and defect of the Countrie' but in the ‘want of providence, industry and government'.

What caused this lack of ‘industrie'? Were the Virginian settlers lazy and indolent? It could not be. People who were sent there were the chosen ones – the very best of men.

The problem was that all the men who were sent were bonded labourers. They had no stake in what they produced. They were bound by contract to put all they produced into a common pool to be used to support their colony as a whole. This was communism in its purest form. Everyone was supposed to work according to ability and take according to need.

As so frequently happens with present day government policies, the results were the opposite of what was intended. Since hard work was not personally beneficial for the settlers they responded by stopping work.

Phillip A. Bruce, a late 19th century US historian, wrote of the Jamestown immigrants, “The settlers did not have even a modified interest in the soil … . Everything produced by them went into the store, in which they had no proprietorship.” The result as Bruce wrote would be what anyone who has any knowledge of human nature would expect, men, even the most energetic, refused to work.

This is what happened in Mao's China and in Soviet Russia on a grand scale. In America a few hundred deaths stopped the communist experiment, in China and Russia, millions had to die before these nations abandoned the principles of Marx, Lenin, and Mao.

Jamestown changed course just two years later in 1611 with arrival of the ‘high marshall' Sir Thomas Dale from the UK. He understood the problem, freed the settlers by abrogating communal ownership. Each man received three acres of land and, other than a lump sum tax of 2 ½ barrels of corn, did not have to contribute anything to the common pool. The colony immediately began to prosper. It prospered because each individual directly benefited by his labour and knew that he would also bear the full consequences of any reduction in output. Private ownership and capitalism worked.

Communism doesn't work because it destroys the reward and work nexus. Communism doesn't work because the absence of property rights heralds the end of all incentive to produce. Communism doesn't work because humans do no wish to sacrifice themselves to the common good.

I do not know or care about the political philosophy of the Maoists. I would, though, like to know what their economic policies are going to be. Do they want to take back Nepal to what America experimented with almost 400 years ago? Nepal lags behind the US in economic development, but is it to be put back by four centuries?.


Fatos e informações importantes

GEOGRAPHIC INFORMATION

  • The Jamestown Colony was founded on the eastern banks of the James River.
  • While its location was chosen for being highly defensible against potential attacks, Jamestown was settled in a poor location the land was marshy and difficult to work on.
  • The Jamestown Colony was established in the middle of Paspahegh (a tributary of the Powhatan tribe) territory, leading to conflict with Native Americans during the time.

EARLY HISTORY

  • The first group of settlers arrived in Jamestown in May 1607.
  • Having arrived at their destination so late into the summer, the colonists were unable to plant crops to support themselves in their first year. This caused many of the first colonists to starve.
  • If starvation didn’t get to the Jamestown colonists, disease did. Because the colony was founded on a marsh, mosquitos carrying deadly diseases, like malaria, were rampant in their settlement, causing many colonists to get sick.
  • By the winter of 1607, only 39 of the 100+ colonists to originally settle in Jamestown were left alive.
  • The Virginia Company, still expecting to find gold in Jamestown, was disappointed with the lack of progress made by the colonists. They sent a list of outrageous demands with their first supply ship to the colonists, demanding the colonists pay for the expenses of their trip and supplies with gold and information.
  • John Smith, an early leader of the colonists, stood up to the Virginia Company and its investors, insisting they needed additional supplies and skilled workmen for the colony.
  • Between 1609 and 1610, the Jamestown Colony fell to chaos when John Smith was injured in a gunpowder explosion, leaving the colony to George Percy. Percy was unable to form stable relationships with the Native Americans, causing turmoil.
  • In addition to Percy’s incompetence, several supply ships bound for Jamestown became lost or wrecked in a hurricane on their trip to the colony, leaving the colonists without necessary supplies. This became known as the “Starving Period,” killing over 100 colonists.
  • During the Starving Period, many colonists began boiling shoe leather to eat it for food – some even resorted to cannibalism.

NATIVE AMERICAN RELATIONS

  • The Jamestown colonists had a strained relationship with the local tribes, having encroached on the land of the Powhatan Confederacy.
  • Members of the Native community attempted to move the Jamestown settlement off their land, but had little success.
  • In 1607, the Powhatan Confederacy captured the colonial leader John Smith and threatened to kill him over the land dispute between the natives and the colonists. Having survived this encounter, Smith attributed his safe return to the colony to the Chief’s daughter, Matoaka (better known by her nickname – Pocahontas), who he stated saved him from execution.
  • By 1610, the tensions between colonists and natives grew exponentially, initiating the Anglo-Powhatan War. The first part of the war would go on for 4 years.
  • During the Powhatan Wars, the Powhatan’s beloved princess, Pocahontas, was captured by the British and held hostage. She was never allowed to see her family again and was forced to convert to Christianity.
  • Pocahontas would later marry one of her captors, John Rolfe, bear him a son, and move back to England two years later only to die from illness.

COLONIAL SUCCESS

  • After the Anglo-Powhatan War, the Jamestown Colony would strike it rich by finding a cash crop they could grow for profit: tobacco.
  • Having found a successful money-maker for the colony, the Virginia Company began advertising for people to move to the colony under the headright system, promising them 50 acres of land if they were to move to Jamestown to begin farming.
  • Hundreds of people traveled to Jamestown as indentured servants, promising to work the land for a rich farmer for an agreed upon amount of years before earning their freedom to work independently.
  • Jamestown would later set up the first representative government in the colonies – the House of Burgesses, in 1619, to set up a colonial economy and preserve peace between the colonists.

Jamestown Colony Worksheets

This is a fantastic bundle which includes everything you need to know about Jamestown Colony across 20 in-depth pages. These are ready-to-use Jamestown Colony worksheets that are perfect for teaching students about the Jamestown which was the first successful British colony to be established in North America.

Complete List Of Included Worksheets

  • Jamestown Colony Facts
  • Jamestown: The Not-Lost Colony
  • Jamestown Cause and Effect
  • Scrapbook Snapshot
  • Wanted: Indentured Servants
  • Pocahontas v. Disney’s Pocahontas
  • Letter Home
  • Wedding Bells
  • Picture Notes
  • Jamestown Colony: Fact or Fiction
  • Love, or…. Redação

Link/cite this page

If you reference any of the content on this page on your own website, please use the code below to cite this page as the original source.

Use With Any Curriculum

These worksheets have been specifically designed for use with any international curriculum. You can use these worksheets as-is, or edit them using Google Slides to make them more specific to your own student ability levels and curriculum standards.


Meet Real Women From Jamestown’s History

If you’re a big Jamestown fan like we are, you know that women played a significant role in colonial Virginia. Over the past three seasons, we’ve seen Alice, Verity, Jocelyn and other women of the colony navigate all sorts of political and personal challenges in the New World. But the Jamestown we see on the screen – with witch trials, assault, and some serious plotting – is still a romanticized version of the truth. So what was life really like for women in Jamestown? We dug into the history books to find out more.

Patsy Ferran as Mercy and Naomi Battrick as Jocelyn. Mercy and Jocelyn share a last moment together before the wedding

We know the show is based on true history. After the first group of male colonists landed in Virginia in 1607, the gender imbalance started to become a problem. Women were in high demand, so Jamestown’s leaders set up a marital immigration process to bring wives to the colony.

Leaving England for Jamestown allowed working-class Englishwomen to avoid a life of domestic service in their home country. It turns out that female colonists enjoyed freedoms that they probably would have never gotten back in England. Unlike on the show, women were usually given the honor of choosing their husband after they arrived. Once a woman chose her new husband, the man would pay back the Virginia Company and cover the costs of getting her to the New World in the form of “good leaf” tobacco – leading to the term “tobacco wives.”

Women who came to the colony could become landowners themselves, and if they become widows – as we've seen with Jocelyn – they were allowed to inherit substantial amounts of land which made them economically independent and gave them the option of choosing not to re-marry. What a novel idea!

Of course, English women were not the only women in Virginia at this time. Colonists encountered Native Americans, and captured Africans arrived in 1619 and were forced into servitude.

Here are some stories from real-life women in colonial Virginia.

Temperance Flowerdew Barrow Yeardley West
Temperance is one of the only characters from Jamestown based on a real person. Now, this was one tough woman! She arrived in Jamestown after a treacherous voyage from England, just ahead of the “Starving Time,” a harsh winter in which 80 percent of Jamestown’s colonists died. But Temperance survived – and thrived. Her husband from England died in 1613 and she went on to marry George Yeardley, future governor of Virginia. And (possible spoiler alert!) when George died and left her land in his will, Temperance became one of the wealthiest women in all of Virginia.

Claire Cox as Temperance and Jason Flemyng as Governor Yeardley and Kalani Queypo as Chacrow

Cockacoeske, “Queen of the Pamunkey”
One of the reasons we love Jamestown is its inclusive representation of Native Americans on screen. After her husband died, Cockacoeske became the leader of the Pamunkey, one of the remaining Powhatan tribes. Playing a crucial role in political negotiations between the English colonists and Indians, Cockacoeske managed to protect her tribe from future attacks. She met with colonial leaders, including Governor William Berkeley, and signed the Treaty of Middle Plantation, which gave the tribes legal protections under Virginia’s Royal government.

Anne Burras
Anne was venturing into the unknown when she arrived in Jamestown in 1608 at just 14 years old. Like Mercy, she came as a maidservant – but that all changed when her mistress died. Just two months later, Anne took part in the first known marriage in the colony when she married laborer John Laydon. Along with Temperance Flowerdew, her resilience helped her survive the deadly winter of 1609, and go on to flourish – she had four daughters in the colony.

Abiola Ogubiyi as Maria and Abubakar Salim as Pedro

Angelo
Angelo was the first documented African woman in the Jamestown settlement. Like Maria and Pedro, she arrived in 1619 from the Portuguese colony of Angola, and was originally bound for Mexico before her ship was intercepted in the Caribbean. The Africans were taken to Virginia and bought by wealthy English planters. Sadly, not much else is known about Angelo's life, aside from her being listed in official documents as a servant in the household of Capt. William Pierce in 1625.

Sarah Harrison
Sarah Harrison’s story shows that the independent streak of many of Jamestown’s women is surprisingly accurate. According to records, Harrison refused to comply with a key part of a marriage ceremony. When the officiant asked for her promise to “obey” her husband, Harrison supposedly said “No obey.” She repeated the response two more times, until the clergyman skipped over that part of the ceremony. We don't know about you, but we could see Verity doing the same thing!

Ann Jackson
Ann Jackson’s quest for a new life did not go as planned. She sailed for Virginia in 1621 in a group of 56 skilled women, hoping to join her brother, who was already living in the colony. Along with 17 other women, she was captured by Powhatan Indians in an attack on the settlement in 1622. She survived six years in captivity – but after her experiences in the new world, she would eventually return to England.

Digital Producer, creating news, food, history, and arts content and everything in between.


Assista o vídeo: Jamestown Settlement. Jamestown Colony. Educational Story for Kids. Kids Academy