7 figuras históricas aterrorizantes

7 figuras históricas aterrorizantes

1. Vlad, o Empalador

Vlad III Drácula - mais conhecido pelo pavoroso apelido de “Vlad, o Empalador” - era um governante do século 15 da Valáquia (agora parte da Romênia) que se tornou famoso por seu uso desenfreado de tortura, mutilação e assassinato em massa. As façanhas militares de Vlad o viram como um herói por muitos, mas sua crueldade incomparável e inclinação para execuções bárbaras - muitas vezes contra seu próprio povo - contribuíram para sua reputação como um dos líderes mais sangue-frio da história.

As vítimas de Vlad foram supostamente mortas por meios indizíveis, incluindo estripação, decapitação e até mesmo sendo esfoladas ou fervidas vivas. Ainda assim, seu método preferido era empalamento, um processo horrível no qual a vítima tinha uma estaca de madeira lentamente enfiada em seu corpo antes de ser deixada para morrer por exposição. Depois de uma famosa vitória militar contra o avanço dos turcos otomanos, Vlad supostamente tinha cerca de 20.000 homens empalados nas margens do Danúbio. Quando a segunda onda de invasores chegou, eles teriam recuado imediatamente ao ver a grotesca “floresta” de cadáveres. De acordo com alguns relatos, Vlad gostava de jantar entre os milhares de corpos empalados e até mergulhava seu pão no sangue de suas vítimas. Essa prática bizarra - junto com o nome "Drácula" e o local de nascimento de Vlad na Transilvânia - mais tarde inspiraria parcialmente o vampiro no romance "Drácula" de Bram Stoker, de 1897.

2. Rasputin

Grande parte da vida de Grigori Rasputin está envolta em mitos, mas a história pinta a imagem de um "monge louco" que conduziu a Rússia em direção ao caos. Rasputin começou sua carreira como um homem santo populista e era conhecido por pregar uma doutrina religiosa argumentando que a verdadeira salvação só era possível por meio da indulgência no pecado. Sua reputação como curandeiro acabou levando-o a ser convocado para a corte do czar Nicolau II, onde ele se insinuou para a czarina Alexandra Feodorovna depois de ajudar seu filho hemofílico a se recuperar de uma lesão. Em 1911, Rasputin havia garantido um lugar como conselheiro mais próximo da czarina. Ele então começou a usar sua influência para indicar funcionários incompetentes e corruptos, ao mesmo tempo que se entregava à bebida e a apetites sexuais perversos.

Rasputin tinha o charme de um vigarista e alegadamente se deliciava em humilhar as mulheres da alta sociedade, fazendo-as lamber seus dedos sujos depois de mergulhá-los na sopa. Ele foi acusado de estuprar uma freira e conhecido por se relacionar com prostitutas durante a noite, mesmo quando aconselhou a czarina sobre a política do estado durante o dia. Temendo que o feiticeiro de olhos selvagens estivesse levando a Rússia ao desastre, em 1916 um grupo de conspiradores aristocráticos o envenenou com cianeto. Quando a toxina falhou em surtir o efeito desejado, os homens teriam atirado nele várias vezes e depois espancado antes de despejar seu corpo no congelante rio Neva. A morte de Rasputin acabou chegando tarde demais para salvar a família real da desgraça pública. O czar, a czarina e seus cinco filhos foram assassinados em 1918 durante a Revolução Bolchevique.

3. H.H. Holmes

Nascido Herman W. Mudgett, o notório serial killer H.H. Holmes passou o início de sua carreira como golpista de seguros antes de se mudar para Illinois antes da Feira Mundial de Chicago de 1893. Foi lá que Holmes construiu o que ele chamou de seu “castelo” - uma pousada de três andares que ele secretamente transformou em uma macabra câmara de tortura. Alguns quartos eram equipados com vigias ocultos, canos de gás, alçapões e estofamento à prova de som, enquanto outros apresentavam passagens secretas, escadas e corredores que levavam a becos sem saída. Havia também uma rampa engraxada que levava ao porão, onde Holmes instalou uma mesa cirúrgica, uma fornalha e até uma prateleira medieval.

Antes e durante a Feira Mundial, Holmes conduziu muitas vítimas - principalmente mulheres jovens - ao seu covil apenas para asfixiá-las com gás envenenado e levá-las ao porão para experiências horríveis. Ele então se desfez dos corpos em sua fornalha ou os esfolou e vendeu os esqueletos para escolas de medicina. Holmes acabou sendo condenado pelos assassinatos de quatro pessoas, mas confessou ter cometido pelo menos 27 outros assassinatos antes de ser enforcado em 1896. O "Castelo do Horror de Holmes" foi posteriormente transformado em um museu grotesco, mas o prédio pegou fogo antes de poder ser aberto .

4. Elizabeth Báthory

Frequentemente chamada de "Condessa de Sangue", Elizabeth Báthory era uma nobre húngara amplamente considerada a assassina em série mais louca da história. Ao longo do final do século 16 e início do século 17, Báthory teria atraído jovens camponeses para seu castelo com promessas de empregos bem pagos como servos. Uma vez presas na cidadela, essas vítimas foram sujeitas a torturas indescritíveis. Alguns foram espancados ou apunhalados com agulhas, enquanto outros foram despidos e deixados congelados na neve. Segundo a lenda, Báthory até se banhava no sangue de suas vítimas virgens, acreditando que isso manteria sua pele radiante e jovem.

Báthory supostamente massacrou até 80 camponesas - embora o número possa chegar a 600 - mas foi somente quando ela voltou sua atenção para as jovens nobres que ela finalmente foi impedida. Em 1611 ela foi fechada com tijolos dentro das câmaras de seu castelo, com apenas uma pequena abertura para comida. Ela morreria quatro anos depois, em 1614. Alguns historiadores, desde então, argumentaram que Báthory foi incriminada por inimigos políticos. Embora essa afirmação seja contestada, há poucas dúvidas de que sua reputação se confundiu totalmente com mitos e lendas. Junto com Vlad, o Empalador, ela é considerada uma das influências históricas por trás do romance "Drácula" de Bram Stoker.

5. Jack, o Estripador

Em 1888, o distrito de Whitechapel em Londres foi dominado por relatos de um assassino em série cruel que espreitava as ruas da cidade. O louco não identificado era conhecido por atrair prostitutas para praças escuras e ruas laterais antes de cortar suas gargantas e sadicamente mutilar seus corpos com uma faca de trinchar. Entre agosto e novembro, cinco prostitutas foram encontradas massacradas no oprimido distrito de East End, gerando um frenesi na mídia e uma caça ao homem em toda a cidade. Enquanto ele era originalmente conhecido simplesmente como o assassino de Whitechapel, o assassino logo ganhou um novo apelido assustador: Jack, o Estripador.

Sem técnicas forenses modernas, a polícia vitoriana estava perdida na investigação dos crimes hediondos do Estripador. Os testemunhos oculares costumam ser contraditórios e, depois de fazer sua última vítima em 9 de novembro, o assassino parece desaparecer como um fantasma. O caso foi finalmente encerrado em 1892, mas Jack, o Estripador, continuou sendo uma fonte duradoura de fascínio. As teorias mais populares sugerem que a compreensão do assassino sobre anatomia e vivissecção significa que ele era possivelmente um açougueiro ou cirurgião. Mais de 100 possíveis suspeitos foram propostos, e o termo “Ripperology” foi cunhado para descrever o extenso estudo que o caso recebe.

6. Gilles de Rais

Gilles de Rais foi um nobre francês do século 15, soldado e companheiro de armas de Joana d'Arc durante a Guerra dos Cem Anos. A carreira militar de Rais rendeu-lhe muitos aplausos, mas sua reputação distinta e estilo de vida opulento escondiam um lado negro horrível que incluía acusações de satanismo, estupro e assassinato. Começando na década de 1430, Rais supostamente começou a torturar e matar brutalmente crianças pequenas, muitos deles meninos camponeses que tinham vindo ao seu castelo para trabalhar como pajens. Depois de molestar sexualmente esses servos, Rais os matava cortando suas gargantas ou quebrando seus pescoços com um porrete. Outros foram decapitados e desmembrados, e Rais ficou conhecido por beijar as cabeças decepadas de algumas de suas vítimas.

Rais se entregou a esses hábitos sádicos sem controle até 1440, quando atacou um padre por causa de uma disputa de terras. Isso atraiu a ira da igreja, que lançou uma investigação e logo revelou a história de depravação do barão. Seguiu-se um famoso julgamento no qual Rais foi acusado de assassinato e sodomia e acusado de praticar alquimia e outros ritos satânicos. Ele acabou confessando, sob tortura, ter assassinado 140 crianças - embora alguns afirmem que o número pode ser muito maior - e foi enforcado até a morte e depois queimado em outubro de 1440. Alguns historiadores têm sugerido que Rais foi a influência para o dia 17 - conto popular do século “Barba Azul”, que segue um barão rico que assassina suas jovens esposas.

7. Tomás de Torquemada

De 1483 a 1498, Tomás de Torquemada presidiu a Inquisição Espanhola, o notório tribunal católico usado para julgar hereges e descrentes. A fim de forçar sua confissão, essas vítimas foram submetidas a punições horríveis, incluindo estrangulamento ou sendo esticadas na cremalheira. Outros foram submetidos a afogamento ou submetidos a strappado, uma tortura extenuante em que os indivíduos eram pendurados pelos pulsos até que os braços se deslocassem.

Monge franciscano, Torquemada foi o homem responsável por reorganizar a Inquisição e expandir seu escopo para incluir crimes como blasfêmia, usura e até feitiçaria. Torquemada também ordenou a expulsão de milhares de judeus, muçulmanos e negros, todos os quais ele acreditava que prejudicariam a pureza espiritual da Espanha. Aqueles que se converteram ao Cristianismo tiveram permissão para ficar, mas correram o risco de serem torturados ou executados se tentassem praticar sua fé em segredo. Ao todo, cerca de 2.000 pessoas foram assassinadas durante o reinado de Torquemada como Grande Inquisidor, a maioria delas decapitada ou queimada na fogueira.


Quando a Itália fascista se alinhou com os nazistas, poucos abraçaram a aliança mais do que Pietro Caruso. Ele era o chefe de polícia de Roma e responsável por manter a lei e a ordem. No entanto, ele acabou fazendo exatamente o oposto.

Caruso era um cão de caça leal de Mussolini. Junto com Herbert Kappler, o comandante da Gestapo de Roma, ele participou de muitos horrores e perseguiu alegremente os inimigos de Mussolini. Sua maior atrocidade foi a execução em massa de Fosse Andeatine em 1944: em apenas um dia, ele reuniu mais de 300 pessoas diante de rifles nazistas. Caruso era especialmente famoso por seu sadismo e mdasha notável realização durante uma época em que nazistas sedentos de sangue vagavam livremente pelo país.

Após a guerra, Caruso foi levado a julgamento por seus crimes. Ele foi considerado culpado e condenado à morte por um pelotão de fuzilamento. Mas ele quase não conseguiu sua própria execução: os furiosos romanos atacaram sua guarda antes do tiroteio e tentaram afogá-lo no rio Tibre.


7 eventos da vida real que foram mais aterrorizantes do que qualquer filme de terror

Há uma razão pela qual tantos filmes de terror afirmam ser baseados em eventos reais. A realidade pode ser assustadora como o inferno, e muitas vezes é mais estranha e mais causadora de pesadelos do que qualquer coisa na tela grande. Aqui estão sete eventos que parecem enredos de alguns filmes de terror aterrorizantes, exceto que eles são Muito de mais perturbador. Porque eles são completamente verdadeiros.

1) As cartas do observador

Você pode se lembrar deste conto assustador, porque é recente e foi muito divulgado. Uma família de Nova Jersey processou os proprietários anteriores de sua casa depois que eles receberam três cartas perturbadoras de alguém que se autodenominava "o Vigilante", que tinha uma fixação fixa na casa de estilo colonial de 1905 e seus novos ocupantes. O escritor de cartas não identificado certamente tinha um jeito espetacularmente assustador com as palavras, referindo-se aos três filhos de Derek e Maria Broaddus como "o sangue jovem que você trouxe para mim" e perguntando coisas como: "Eles já descobriram o que está nas paredes? ? ” (Você pode ler todo o processo, que está repleto de material de pesadelo, aqui.)

A ação, que ainda está em julgamento, foi movida depois que a família Broaddus abandonou a casa, temendo por sua segurança. Sua base é que os proprietários anteriores sabiam sobre "o Vigilante", mas não se preocuparam em avisá-los com antecedência. A casa foi colocada à venda em fevereiro de 2015, mas a listagem foi removida assim que a história começou a receber a atenção da mídia.

No mês passado, a família Broaddus fez uma jogada ousada, de acordo com NJ.com. Como ninguém quer pagar um milhão de dólares por uma casa que tem um estigma tão forte associado a ela, eles solicitaram uma autorização do conselho de planejamento para demolir a casa e substituí-la por duas novas moradias. É uma maneira de aliviar seus encargos financeiros enquanto o processo ainda está no tribunal e, como um bônus, é um bom FU para o perseguidor também.

2) O ladrão de túmulos russo

Nesse caso, uma foto - mesmo que seja um pouco borrada - diz muito.

Esta é apenas uma das 29 “bonecas” feitas de cadáveres femininos mumificados recuperados da casa de Anatoly Moskvin, de 45 anos, descrita pela BBC como uma “historiadora local e exploradora de cemitérios” na cidade russa de Nizhny Novgorod. Cada boneca humana estava cuidadosamente vestida, com as mãos e o rosto cobertos por um pano. Alguns estavam empoleirados em móveis, outros em prateleiras. Um corpo foi feito para parecer um ursinho de pelúcia, com uma cabeça de animal de pelúcia no topo do pescoço.

The Mirror, que relata que os corpos eram de meninas de três a doze anos, roubados de dezenas de sepulturas escavadas, afirma que Moskvin tinha um propósito específico em mente ao montar sua coleção:

Moskvin, que fala 13 línguas e foi descrito por alguns como "um gênio", também deu nomes aos cadáveres mumificados e organizou festas de aniversário para eles. Moskvin também compilou informações atualizadas sobre a vida de cada garota que ele desenterrou e imprimiu instruções em um computador sobre como produzir bonecos com restos humanos.

Suas atividades terríveis foram aparentemente descobertas quando seus pais lhe fizeram uma visita surpresa. Embora ele tenha sido preso em 2011, ele foi considerado incapaz de ser julgado.

3) O Incidente da Casa Assustadora

Em agosto de 2006, pouco antes do início do último ano do ensino médio, um grupo de meninas dirigia pela cidade natal de Worthington, Ohio. A noite entediante de repente se encheu de um potencial empolgante quando eles decidiram fazer um cruzeiro pelo que as crianças locais chamavam de “casa assustadora”, uma casa degradada com um quintal coberto que ficava perfeitamente situado do outro lado da rua de um cemitério. Os adolescentes pensaram que estava abandonado. Eles estavam, infelizmente, muito enganados.

Não foi a primeira vez que Allen S. Davis, de 41 anos, um recluso que morava na casa com sua mãe idosa, foi assediado por hóspedes indesejados que havia impedido algumas invasões em 2006. Ele havia um rifle como proteção e, quando ouviu as garotas do lado de fora, imaginou que dispararia alguns tiros de advertência, já que tinha funcionado antes. Mas desta vez, uma bala rebelde atingiu Rachel Barezinsky, de 17 anos, na cabeça.

Milagrosamente, ela sobreviveu e o caso que se seguiu dividiu a comunidade. Algumas pessoas acreditavam que Davis provavelmente tinha problemas mentais, mas ainda agia dentro de seus direitos para proteger sua propriedade. Mas, como a Fox News relatou em 2007:

A polícia determinou que as meninas não estavam invadindo porque não haviam entrado na propriedade o suficiente e nenhuma placa claramente visível havia sido colocada.

Davis disse em entrevistas na prisão que não tinha a intenção de machucar ninguém. Ele acabou se confessando culpado de duas acusações de agressão criminosa para evitar uma investigação prolongada sobre sua vida pessoal.

Em 2009, a mãe de Davis morreu em casa enquanto seu filho estava na prisão cumprindo pena de 19 anos. Em 2013, a família de Barezinsky disse que a jovem estava "90 por cento recuperada" dos ferimentos. Nesse mesmo ano, a “casa fantasmagórica” foi adquirida em leilão por novos proprietários que estavam determinados a renovar completamente o local. Uma pesquisa no Google Earth prova que eles fizeram um trabalho incrível, embora não haja como esconder aquela vista do cemitério.

4) O sequestro do ônibus escolar de Chowchilla

Em julho de 1976, 26 crianças de 5 a 14 anos estavam em seu ônibus amarelo, voltando para casa do penúltimo dia de aula de verão em Chowchilla, Califórnia. O clima era festivo até que uma van aparentemente quebrada bloqueou a estrada e homens mascarados com armas irromperam pela porta da frente do ônibus. As crianças e seu motorista logo foram conduzidos a um par de vans e dirigidos por 11 horas sob um calor sufocante, eventualmente parando em uma pedreira perto de Livermore - cerca de 160 quilômetros ao norte de Chowchilla.

A provação só ficou mais estranha e assustadora a partir daí. Em um retrospecto do caso em 2015, a CNN falou com várias vítimas de sequestro, incluindo Lynda Carrejo Labendeira, que estava na quarta série na época.

Os sequestradores perguntaram a cada criança seu nome, idade, endereço e número de telefone. Eles também levaram uma peça de roupa ou pertences de cada aluno.

Mas os atiradores nunca explicaram por que estavam sequestrando as crianças.

“Só me lembro deles nos mandando calar a boca e ficar quietos”, disse Carrejo Labendeira.

Com apenas algumas luzes de construção iluminando a pedreira escura, os sequestradores ordenaram que as crianças e o motorista do ônibus entrassem no que parecia ser uma enorme cova - uma van em movimento escondida no subsolo.

“Foi enterrado na terra. Parecia uma tumba ”, disse Carrejo Labendeira. “Era como um caixão. Era como um caixão gigante para todos nós. ”

Cada refém teve que descer uma escada na parte de trás do veículo escondido, que havia sido transformado em um cercado para o grupo. Havia comida mínima e nenhuma ventilação. Depois de 16 horas, o único adulto presente, o motorista Edward Ray, e algumas das crianças mais velhas bolaram um plano, empilhando colchões o mais alto que podiam, empurrando uma placa de metal no teto da van e cavando seus caminho para a liberdade.

Os sequestradores, que adormeceram durante a fuga, não foram difíceis de localizar; um deles era o filho do dono da pedreira. Todos os três homens vinham de famílias ricas, então o motivo do crime - um resgate de US $ 5 milhões que eles nunca chegaram a exigir, já que a polícia de Chowchilla recebia tantas ligações dos pais frenéticos dos alunos - continua um tanto desconcertante. (O advogado deles explicou como, "Eles são gananciosos".)

Dois dos sequestradores já receberam liberdade condicional, o terceiro, que passou por um período tumultuado atrás das grades, é o próximo elegível em 2018. A sobrevivente Jennifer Brown Hyde tinha apenas nove anos em 1976 no ano passado, ela disse à CNN que a experiência ainda a assombra.

“Não é normal que alguém com quase 50 anos tenha medo do escuro”, disse Brown Hyde.

Até recentemente, ela tinha que dormir com a luz noturna acesa. E ela ainda tem pesadelos crônicos.

“Os tipos de pesadelos que tenho, estava preparada para morrer”, disse ela. “Na verdade, tive pesadelos em que alguém me matou. Eu me vi no meu próprio funeral. ”

5) Carta de Albert Fish

Albert Fish era molestador de crianças, torturador (ele tinha um conjunto do que chamava de “instrumentos do Inferno”, incluindo um cutelo), serial killer, fetichista de merda, canibal e automutilador. Mas ele tinha mais uma característica desagradável que o elevou de mero monstro a algo ainda pior: seu desejo de se gabar. Veja a obscena carta anônima que ele escreveu para a mãe de sua última vítima conhecida, Grace Budd, de 10 anos.

É endereçado a "Minha cara Sra. Budd" e essa é a única coisa educada sobre isso. Aqui está a parte pior e mais horrível (e você pode querer pular a leitura):

No domingo, 3 de junho de 1928, visitei você em 406 W 15 St. Trouxe queijo de maconha - morangos. Nós almoçamos. Grace sentou no meu colo e me beijou. Decidi comê-la. Com a pretensão de levá-la a uma festa. Você disse que sim, ela poderia ir. Eu a levei para uma casa vazia em Westchester que eu já tinha escolhido. Quando chegamos lá, disse a ela para ficar do lado de fora. Ela colheu flores silvestres. Subi as escadas e tirei todas as minhas roupas. Eu sabia que se não o fizesse, iria sujar o sangue dela neles. Quando tudo ficou pronto, fui até a janela e liguei para ela. Então me escondi no armário até ela entrar no quarto. Quando ela me viu todo nu, começou a chorar e tentou descer as escadas correndo. Eu a agarrei e ela disse que contaria para sua mãe. Primeiro eu a despi. Como ela chutou - mordendo e arranhando. Eu a sufoquei até a morte, então a cortei em pequenos pedaços para que eu pudesse levar a carne para meus quartos. Cozinhe e coma. Como seu pequeno traseiro foi assado no forno doce e tenro. Levei 9 dias para comer seu corpo inteiro. Eu NÃO transei com ela embora eu pudesse ter desejado. Ela morreu VIRGEM. ”

Estremecimento. A polícia conseguiu rastrear o papel timbrado usado por Fish para enviar esta carta tóxica, levando à sua prisão. Ele confessou e, em 1936, foi executado em "Old Sparky" na prisão de Sing Sing, em Nova York.

6) O assassinato da vigia

As mortes em navios de cruzeiro chegam às manchetes com frequência perturbadora. Um dos primeiros a alcançar notoriedade foi o assassinato da atriz inglesa Eileen Gibson, também conhecida por seu nome artístico, Gay Gibson. Em 1947, o jovem de 21 anos voltava da África do Sul para a Inglaterra a bordo do Durban Castle, recém-saído de sua aparição em uma produção da peça de Clifford Odets Menino de ouro.


6 arraia gigante do rio

As arraias já solidificaram seu lugar nos anais do terror ao fazer o que tantos animais maiores e mais venenosos não conseguiram fazer no passado: matar Steve Irwin. Mas há um lá fora que provavelmente teria mantido o Caçador de Crocodilos fora da água.

Lamentamos informar que isso não foi feito em Photoshop ou modificado, e é, na verdade, uma arraia de 5 metros de comprimento. Parece que a Mãe Natureza foi preguiçosa e maliciosa quando esculpiu o que é basicamente um lençol king-size e colocou uma ponta de veneno serrilhada de 15 polegadas em sua bunda. Essa farpa, aliás, é conhecida por empalar partes do corpo, às vezes espetando-as completamente e até penetrando nos ossos.

A arraia gigante do rio é uma abominação enviada por fax diretamente para nós desde a era jurássica, 100 milhões de anos atrás. Ver? Não precisamos de uma equipe de cientistas que brincam de Deus para trazer de volta os horrores do Jurássico, eles já estão aqui.

Tailândia, Nova Guiné, Bornéu e, surpresa surpresa, Austrália. Eles vivem exclusivamente em rios em uma parte do mundo onde os rios são uniformemente turvos, tornando esses peixes gigantes venenosos invisível também. Como se você realmente precisasse de outro motivo para evitar o hemisfério sul.

Relacionado: Fotos do passado que parecem fantasia trippy


11 Entrada do Museu Kafka - Praga

Praga claramente queria que o museu de seu maior autor, Franz Kafka, fosse algo especial. É por isso que temos a escultura acima no pátio. Se você acha que parece que eles estão mijando em uma piscina no formato da República Tcheca, dê uma olhada mais de perto.

. diz que é exatamente o que você está olhando.

Este é o trabalho de David Cerny, um artista saudado por metade de seus colegas como um gênio controverso e desprezado pela outra metade como um idiota absoluto. Esta não será sua única parada nesta lista.

Os dongs das estátuas são robóticos, então eles realmente mover. Eles mijam formas na água, e você também pode fazê-los mijar uma frase sua, enviando um SMS para um número pago. E Cerny conseguiu que alguém concordasse com isso. E, a propósito, este não era nem mesmo seu projeto mais ridículo relacionado ao pênis. Ele já esteve muito, muito perto de conseguir fazer o Teatro Nacional Tcheco ficar assim:

Essa peça seria chamada de "Nation to Itself Forever", um homem dourado de 9 metros ejaculando vapor em intervalos aleatórios. Infelizmente, ele foi cancelado um pouco antes da instalação, o que supomos que significa que Cerny foi forçado a pagar uma aposta que fez a outro artista anos atrás sobre quanta merda ele poderia conseguir antes que alguém parasse de preencher cheques para ele.

Felizmente, esta não é a única homenagem artística de Praga a Kafka. Também tem isso.

Relacionado: Tirando Políticos das Janelas: Uma Tradição Histórica de Praga


4 A Tumba dos Crânios Afundados

Em 2009, os arqueólogos estavam escavando o fundo do leito de um lago seco pré-histórico em Motala, na Suécia, quando encontraram as fundações de uma misteriosa estrutura de pedra. selado no fundo de um antigo lago maldito. Em vez de dar meia-volta e fugir tão rápido que suas pernas giraram inutilmente no ar por alguns minutos como um desenho animado do Scooby-Doo, os estupidamente corajosos cientistas começaram a cavar. Eles finalmente descobriram o tipo exato de coisa que se espera de estruturas misteriosas primitivas: ossos de animais, ferramentas de pedra e, oh sim - os crânios de 8 mil anos de 10 pessoas, com idades variando de crianças pequenas a idosos.

E então eles encontraram um 11º crânio enterrado nas profundezas da antiga lama do fundo do lago.

E então eles encontraram fragmentos de um dos outros crânios. deliberadamente alojado dentro do crânio do 11º crânio.

Vamos recapitular: por motivos que não são claros para nós, alguma sociedade antiga provavelmente massacrou 11 pessoas em uma cabana de pedra no fundo de um leito de lago e, em seguida, colocou os pedaços do crânio de uma pessoa morta dentro do espaço do cérebro de outra pessoa, como o a boneca de aninhamento mais horrível do mundo.

Mas o horror não termina aí: não só alguém talvez tenha esmagado o crânio de uma pessoa com o crânio de outra, mas, antes de serem enterrados dentro da tumba, vários dos corpos tiveram estacas cravadas e foram então incendiados. Isso não exigiu dedução cuidadosa por parte dos escavadores para descobrir: dois dos crânios foram encontrados com as estacas ainda embutidas (e em um caso, totalmente fundidas).

As teorias oficiais estão espalhadas por todo o mapa, desde práticas funerárias bizarras até um grupo de guerreiros montando os crânios de seus oponentes derrotados como troféus de guerra. Mas pensamos de forma diferente: talvez os misteriosos homens pré-históricos que colocaram os ossos lá em primeiro lugar fossem os mocinhos, apenas tentando acabar com uma antiga infestação de vampiros.

Por uh. espancando os vampiros até a morte com os crânios de seus entes queridos, nós achamos? Essa é uma das suas fraquezas, certo? Alho, luz do sol, água benta, sendo golpeados na cabeça com a cabeça decepada de seu próprio irmão. Você sabe: coisas normais do cânone.

Relacionado: Uma curta e estranha história dos crânios reais usados ​​em 'Hamlet'


7 desastres de sumidouro aterrorizantes

AP Photo / Cortesia Golfmanna

Os buracos parecem ser assustadoramente instantâneos - em um momento você está no 14º buraco em um campo de golfe em Waterloo, Illinois, e no momento seguinte você está 18 pés abaixo do solo. Mas, tecnicamente, sumidouros se desenvolvem ao longo do tempo em áreas subterrâneas que não podem drenar adequadamente. Um acúmulo de água dissolve lentamente a rocha, criando cavernas que eventualmente rompem a superfície, às vezes de uma forma terrivelmente dramática. Felizmente, o jogador de golfe neste caso, Mark Mihal, sobreviveu à sua queda surpreendente e amigos conseguiram içá-lo para um local seguro com uma corda em 20 minutos. Mas outras pessoas, residências e vias públicas importantes da cidade não tiveram tanta sorte. Vamos fazer uma viagem pelo caminho do buraco da memória.

1. O sumidouro da Flórida que engoliu um homem: Jeff Bush, marido e pai de 37 anos, estava em seu quarto na Flórida em 28 de fevereiro quando a Terra se abriu, engolindo ele e tudo em seu quarto. O buraco expansivo tinha cerca de 6 metros de largura e tinha sido quase completamente escondido pela casa à medida que crescia e se deslocava. As outras cinco pessoas da casa escaparam ilesas. Jeremy Bush tentou salvar seu irmão pulando no buraco, mas ele mesmo teve que ser resgatado. Três dias depois, a busca pelo corpo de Bush foi cancelada, pois o terreno era considerado muito instável e perigoso para continuar. A casa (veja acima) foi arrasada e as casas vizinhas foram evacuadas. "Dificilmente há um lugar na Flórida que seja imune a ralos, diz Sandy Nettles, um consultor de geologia em Tampa." Não há como prever onde um ralo vai ocorrer. "(Edward Linsmier / Getty Images)

2. O sumidouro guatemalteco com 30 andares de profundidade: Em 30 de maio de 2010, um enorme sumidouro "colidiu com a existência" na Cidade da Guatemala, na Guatemala, matando pelo menos um homem e engolindo um prédio inteiro de três andares. O buraco, que media cerca de 18 metros de largura e 30 andares de profundidade, pode ter levado meses ou mesmo anos para ser construído. Mas especialistas suspeitam que a tempestade tropical Agatha, que varreu o país e despejou mais de um metro de água da chuva, foi provavelmente o gatilho final. (AP Photo / Moises Castillo)

3. O poço de alcatrão do Texas: Daisetta, Texas, tem a infeliz distinção geológica de sentar-se no topo de uma cúpula de sal. E isso provavelmente causou buracos em 1969, 1981 e, mais recentemente, em 2008. A última abertura começou modestamente, com apenas 6 metros de largura. Mas ao longo do dia, o fenômeno parecia ter um apetite insaciável por terra, crescendo a cerca de 300 metros de largura e 260 metros de profundidade. Os residentes próximos observaram enquanto o esfomeado sumidouro consumia equipamentos do campo de petróleo, árvores e veículos - criando o que parecia ser um ameaçador poço de alcatrão graças à mistura de óleo e lama em seu centro. Felizmente, o sumidouro finalmente se estabilizou e ninguém ficou ferido. (AP Photo / The Beaumont Enterprise, Dave Ryan)

4. O naufrágio da cidade fantasma de Oklahoma: Localizada no nordeste do estado, Picher, Oklahoma, já foi o campo de mineração de chumbo e zinco mais produtivo da região. Quase um século depois, é uma cidade fantasma. Toda aquela mineração danificou severamente a geologia da cidade, tornando-a inviável devido à infinidade de sumidouros, como este (fotografado em 2008), bem como montanhas ou rochas com chumbo e água contaminada. (AP Photo / Charlie Riedel)

5. A ira dos furacões: 2004 foi um ano difícil para o povo de Deltona, na Flórida. Eles sofreram com três dos quatro furacões do estado. E então, em dezembro, um sumidouro se abriu, engolindo uma movimentada via pública de quatro pistas e ameaçando a área residencial ao redor. Momentos depois de aparecer em 13 de dezembro, o sumidouro consumiu árvores, pedaços de calçada, um poste de serviços públicos e uma placa piscando na estrada. Com pelo menos 225 pés de largura e 50 pés de profundidade, a caverna, provocada pelas tempestades, foi uma das maiores a aparecer no centro da Flórida em décadas. (AP Photo / Barbara V. Perez)

6. Separando San Diego: Depois que um duto subterrâneo rompido em 23 de fevereiro de 1998, um buraco se abriu a oeste da Interestadual 15, cortando pelo menos duas estradas principais e paralisando o comércio local. Estava escuro e chovendo quando o buraco apareceu pela primeira vez, e um viajante dirigiu seu Honda direto para a vala. Ele conseguiu escapar ileso, embora seu carro não tenha escapado, e ele foi capaz de alertar outros motoristas que se aproximavam sobre o buraco, ajudando duas mulheres a escapar por pouco do mesmo destino, saltando de sua caminhonete momentos antes de ela cair no buraco. A via foi fechada por pelo menos cinco meses, forçando cerca de 30.000 motoristas a desvios extensos. (REUTERS)

7. Quebrando o banco da cidade: Em 1995, uma forte tempestade quebrou o solo sob um esgoto de tijolos de 100 anos em São Francisco, causando a ruptura do esgoto, que estava em reconstrução na época. Em seguida, um imenso sumidouro medindo 240 pés de comprimento, 150 pés de largura e mais de 12 metros de profundidade consumiu uma mansão e danificou casas próximas no sofisticado distrito de Seacliff da cidade. Embora ninguém tenha ficado ferido, a cidade sofreu um grande golpe financeiro com reparos, limpeza e reivindicações de proprietários de propriedades adjacentes. (AP Photo / George Nikitin)


2 espermatozoides 20 vezes o tamanho da criatura de onde vem

Espere, por que uma mosca de fruta está nesta lista? Temos predadores gigantes arrancados do centro de terror do cérebro, e estamos incluindo os pequenos bastardos que você tem que enxotar para longe de suas bananas? Bem, não é a mosca da fruta que é assustadoramente grande. Vamos apenas dizer que a mosca está acumulando um grande calor na região do andar de baixo.

Realmente não conseguimos descobrir uma maneira de fazer com que soe menos estranho, então vamos apenas dizer: ele tem espermatozóides gigantes. A próxima imagem não foi editada ou feita no Photoshop de forma alguma - é uma imagem em escala. Voe no centro, seu esperma enrolado em torno dele:

Agora, o fato de que em algum lugar lá fora há uma criatura que precisa forçar a saída de um espermatozóide muitas vezes enquanto seu corpo é assustador em si mesmo. But we're just scratching the surface.

After all, you figure that surely the female must be a huge hulking example of the species to even be able to fit a sperm longer than the freaking male of the species inside of . oh we can't even finish this sentence it's just too weird. Show the damn picture.

Just what -- that . holy crap, how does that even . wait . it's longer than the female too so that must mean. the female of the species has an equally as long and terrifying reproductive tract. So all you guys and ladies reading this, just imagine being a fruit fly and consider that a six-foot-tall male would have a sperm 120-feet long. If your brain has rightly prevented that image from entering your mind, take a look here.

Related: 5 Underwater Creatures That Look Like Terrifying Nightmares


10 Notable People Thought To Be Immortal

Death is terrifying to most people. For many, the idea of living forever and attaining immortality is a much better alternative than death. This list includes ten human beings declared to be immortal during their life (and sometimes after&mdashdespite death) and as with every story of mystery, myth and legend gets mixed with facts and history, making things even more complicated for us.

Common sense tells us that everything dies. But rather than face that dark truth, humankind continues to believe in alternative sources of infinite life and these ten stories are no exception to this rule.

The stories of the Three Nephites comprise one of the most striking religious legends in the United States. Bearing some resemblance to stories of the prophet Elijah in Jewish lore, or of the Christian saints in the Catholic tradition, the Three Nephite accounts are nevertheless distinctly Mormon. The members of the Church of Jesus Christ of Latter-day Saints, known as Mormons, believe that Jesus Christ visited America after his resurrection and chose 12 apostles from among an ancient group of people there called the Nephites to help spread his Gospel message in the new world. Three of those apostles asked Jesus to change them from human beings into angels and let them remain on Earth until the end of the world so they could help people in need wherever they traveled on the planet, according to the Book of Mormon. Those three translated beings (people who have become angels) are known as the Three Nephites, and stories about their appearances have become a popular part of Mormon lore.

In Greek mythology, Memnon was an Ethiopian king (probably the most popular figure of African heritage in Greek mythology) and son of Tithonus and Eos. During his life he was thought to be an immortal, while as a warrior he was considered to be inferior only to Achilles. At the Trojan War, he brought an army to Troy&rsquos defense but he was killed by Achilles in retribution for killing Antilochus. The death of Memnon echoes that of Hector, another defender of Troy whom Achilles also killed out of revenge for a fallen comrade, Patroclus. Memnon&rsquos death is related at length in the lost epic Aethiopis, composed after The Iliad around the 7th century B.C. Quintus of Smyrna records Memnon&rsquos death in Posthomerica. His death is also described in Philostratus&rsquo Imagines. Memnon&rsquos story might not be very popular, but it&rsquos definitely one of the most intense to read if the chance is given.

Leonard Jones wasn&rsquot an immortal of course and he knew it very well. He was not a very successful politician either, but like most politicians he had the power of convincing others. No matter how unbelievable it might sound to us now, the fact is that he ran his political campaign on the platform of his immortality, and what&rsquos even more odd is that he convinced a lot of people who subsequently voted for him.

The eccentric American who was born in Kentucky in 1797, repeatedly ran for President of the United States and Governor of Kentucky, citing his self-proclaimed immortality as his main political argument. According to Mr. Jones immortality could be achieved through prayer and fasting. He obviously didn&rsquot do enough of these two, because he died from Pneumonia on August 30, 1868 at the young age (for an immortal) of 71.

Most people think of Merlin as an elderly man with a long white beard and a tall pointed hat, who was a magician at the court of King Arthur. But the question is, did he really exist? His father according to legend was an incubus, a demon in male form, who had sexual intercourse with his mortal mother. Merlin was an infamous immortal, who has appeared in various folklore, fairy tales and films. The eternally ancient warlock originates in Old English history, and is most popularly associated with King Arthur, the Lady of the Lake and the Knights of the Round Table. Some fans, even to this day believe that as an immortal he&rsquos still around and protects the royal family of England. As every mythical human figure, Merlin the man behind the myth, probably existed, but like so many other &ldquoimmortals&rdquo before and after him, he probably died too.

Many historians today would agree that Achilles existed and Homer just exaggerated his warrior-skills and accomplishments. Most scholars nowadays believe that Troy itself was no imaginary Shangri-la but a real city, and that the Trojan War indeed happened. Archaeologists who have been digging into the myth of Homer&rsquos poem, believe the legendary war may have been a process rather than a single event and most (if not all) figures mentioned by Homer, indeed existed.

Back to our topic, according to the myths, Achilles was dipped into the river Styx as a baby by his mother to gain impenetrable skin against any weapons, so he was practically invincible . . . Until the moment that Paris decided to poison his heel, which his mother held onto him by. It is generally believed that Achilles was shot in the heel with an arrow and the tendon of the heel has become known as Achilles Tendon and the term Achilles&rsquo Heel has become a metaphor for vulnerability of any sort, after the story of the great epic warrior.

If you&rsquore into mysteries, magic and adventures, then you should definitely check out the story of Nicolas and Perenelle Flamel. In Harry Potter and the Philosopher&rsquos Stone, Nicholas Flamel is featured as the creator of the &ldquoPhilosopher&rsquos Stone.&rdquo Because this stone allows its owner to live forever, it must be protected from falling into the hands of the evil Lord Voldemort.

Although Harry Potter is fictional, Frenchman Nicolas Flamel lived during the late 14th and early 15th centuries. A scholar and scribe, Flamel devoted his life to understanding the text of a mysterious book filled with encoded alchemical symbols that some believed held the secrets of the Philosopher&rsquos Stone. Many myths surround Flamel, including the belief that he successfully created the Stone. His death in 1417 didn&rsquot hurt that myth, and his quest for the Philosopher&rsquos Stone lives on in his writings. Although modern scholarship has cast doubt on the authenticity of alchemical texts ascribed to him, he remains an important figure in the alchemical world.

As Christ was carrying His cross to Golgotha, He stopped for a moment to rest outside the house of a shoemaker named Ahasuerus. When Ahasuerus saw this, he jeered at the Savior, asking Him why He was dallying. Christ then looked at Ahasuerus and pronounced the curse: &ldquoI will stand here and rest, but you must wander the Earth until I return&rdquo. The Wandering Jew many centuries later would become a very popular figure all over the medieval Christian world that spread widely in Europe in the thirteenth century and became a fixture of Christian mythology and literature. The legend of the wandering Jew is founded in part on Jesus&rsquo words given in Matthew 16:28: &ldquoVerily I say unto you, There be some standing here, which shall not taste of death, till they see the Son of Man coming in his kingdom.&rdquo The story has endless variations. Sometimes Ahasuerus is an old man sometimes he remains forever young sometimes he ages and then returns to youth. Ahasuerus is condemned to remember all his past lives according to the myth, but for some reason I tend to believe that the real person Ahasuerus lived only one life and he has been long gone since then.

Enigmatic and attractive, the young count&rsquos skin seemed not to have experienced the passage of time. He used to move from one place to another every moment, taking with him the great secret of his personality, as captivating as it was mysterious. Myths, legends and speculations about St. Germain began to be widespread in the late 19th and early 20th centuries, and continue today. They include beliefs that he is immortal, the Wandering Jew, an alchemist with the &ldquoElixir of Life&rdquo, and that he prophesied the French Revolution. The Count of St. Germain has been variously described as a courtier, adventurer, charlatan, inventor, alchemist, pianist, violinist and amateur composer, but his story remains one of the biggest mysteries to this day.

After a charmed life of meeting leaders and dignitaries from around the globe, in 1779 the mysterious count arrived in Eckenförde, Germany, where&mdashaccording to some official records&mdashhe passed away in his residence there in the year 1784 however, there is no tombstone in that town bearing his name. Almost 200 years after his death, Richard Chanfray, a French magician and singer claimed to be the Count of St. Germain, but unfortunately he died too.

Heracles&rsquo story is one of the most famous around the world. No other individual has achieved so much glory on a universal level, for so many centuries. The stories and labors of Heracles, a man who was so strong and courageous, whose deeds were so mighty, and who so endured all the hardships that were given to him, eventually and according to the legend made him an immortal (metaphorically for sure).

Was there a real Heracles, a man behind these stories? We can&rsquot know for sure. The only certain thing is that just like with the discovery of the city of Troy, archaeologists, fired up the curiosity of historians and the imagination of people around the world, when in 2010 they claimed that evidences showed that the tomb they found in the state of Peloponnese, could be the one of the great mythical hero. The only certain thing is that Heracles, the man who probably existed behind the myth, never achieved real immortality of course, but he managed to become the most famous hero of ancient times and probably the most beloved one too. More stories have been told about him than any other hero and his name has indeed remained immortal in time.

Qin Shi Huang, the founder of the Qin dynasty, is until this day best remembered as the person who gave China a face. His marvelous construction of the Great Wall and the famous Terra cotta Army are both known to everyone in the world. He was one of the most significant Chinese emperors, shaping the country&rsquos history and culture. The people around him, heavily influenced by his great accomplishments started to believe that he was immortal and he tried to make it come true.

According to legend, in his search for eternal life, Qin Shihuang sent one of his servants to find the secret of immortality. The servant, Xu Fudong set sail eastward with thousands of young boys and girls. They never returned to China, perhaps because they feared punishment for failing the mission. Legend says that they found and populated the island we now know as Japan. Qin Shihuang died at the age of 50 in 210 B.C. He died of a quick and lethal disease and proved to his dedicated followers that he was as mortal as every other human being.

Theodoros II is a collector of experiences and a law graduate. He loves History, Sci-Fi culture, European politics, and exploring the worlds of hidden knowledge. His ideal trip in an alternative world would be to the lost city of Atlantis. His biggest passions include writing, photography, and music. You can view his photostream here.


History's 7 Most Bizarre Beauty Trends

There are definitely some peculiar beauty trends out there in 2015, such as "tattooths" and "toe-besity surgery," arguably stemming from the era's obsession with body modifications and losing weight. By revealing what the people of their time found aesthetically and socially valuable, weird beauty trends throughout history help us better understand changing social climates. But they're also just plain fun to learn about, and often inducing of a chuckle or two.

Imagining women covering their teeth in black lacquer (like the Japanese circa the Meiji Era) or plucking out every last eyelash and brow hair to accentuate the forehead (I guess the ladies of the Middle Ages hadn't heard of contouring), shows just how constantly-evolving the world of beauty actually is. One day, I'm sure my penchant towards winged eyeliner and a bold purple lip will be viewed as strange and archaic as well.

Of course, it's arguably important to embrace beauty as an act of body positivity, creativity, and agency. But these extreme techniques remind us that the history of the beauty routine is pretty sexist and body negative.

Check out some of these weird beauty trends throughout history. Some are pretty rad, while others are just out of this world bizarre.

1. Unibrows Made Of Goat's Hair

As we all know, the beautiful Frida Kahlo rocked the hell out of her unibrow. However, it was a popular beauty trend long before her existence. De acordo com New York Times, the ancient Greeks valued the beauty of a unibrow as it became known to signify intelligence and beauty in women. Women who didn't have unibrows would even connect their brows with kohl or dark powder. According to Mental Floss, some actually fashioned false brows out of goat's hair and tree resin!

2. Accentuated Veins Á La Marie Antoinette

During pre-revolution era France, pale skin was all the rage thanks to trendsetters like Marie Antoinette. With pale skin, however, often come more noticeable veins (something feminine people of today's society don't necessarily appreciate), and they were coveted just as much by women of this time. So much so that they would often color in their veins with blue pencil to highlight their vascular features, according to BuzzFeed.

3. Removing Eyelashes In The Middle Ages

Today, many of us do whatever we can to have the fullest and longest set of lashes around, whether that be using mascara that promises volume or conditioning treatments for growth and enhancement. However, it hasn't always been this way. During the Middle Ages, the forehead was considered the sexiest part of a woman's face. De acordo com Marie Claire, women often removed most or all of their eyelashes (and eyebrows as well!) to accentuate this part of their faces. This is one wild look that I don't think I would sempre have the strength to get behind honestly.

4. DIY Blush In The Victorian Era

England in the Victorian era did not see very much makeup thanks to the Queen, who condemned it as a practice limited to actors and prostitutes. To make up for the lack of rogue, women of this time had to get super DIY. According to Into The Gloss, they would privately bite their lips and pinch their cheeks to create a rosy glow on the face and mouth before meeting suitors. Based on my (albeit brief) attempts at this look, the ladies must have been biting and pinching pretty damn hard and for longer periods of time to achieve it. Beauty is pain, I guess.

5. Black Teeth

In a world where white teeth are embraced and every other toothpaste on the market seems to have some kind of whitening agent inside it, it's interesting to consider the Japanese beauty trend Ohaguro, popular in the Meiji era. Ohaguro refers to black lacquered teeth, which can be achieved by drinking "an iron-based black dye tempered with cinnamon and other aromatic spices," according to popular blog Stuff Mom Never Told You. This practice was banned in the 1870s when the empress of Japan daringly rocked white teeth as a move toward modernization. Fun facts: Blackened teeth held up better than untreated ones (rad!), and the darkened smiles symbolized women's submission to men (gross).

6. The Dead White Look

Humans of the 18th century (as well as centuries before then) were huge fans of a pale face. However, the way in which they achieved it was pretty sketchy. Using a mixture involving white lead and vinegar, people would powder their faces as makeup and as a whitening agent. De acordo com NBC News, the white lead would also even out the skin and erase freckles. Sometimes, they'd top it off with a bit of red lead for a rosy glow.

However, this heavy duty stuff was not made for faces, and would eventually break down the skin and cause scarring as well as illness. At least they looked just the perfect amount of ghostly, I suppose, considering this look could come with deadly consequences.

7. A Perfect Complexion Thanks To Arsenic

Once using lead for the complexion came to an end, eating arsenic for the purpose of beauty became all the rage (I guess that seemed safer?). This product, which we know to be deadly, also helps in evening out complexion and whitening the skin. De acordo com New York Magazine, "They could also make you go bald. To add insult to injury, if you stopped taking them abruptly, it would cause your complexion to go haywire, thus incentivizing you to keep taking them." Sears even sold Arsenic Wafers in 1902, according to Mental Floss.