Planetas do 'globo ocular' podem conter vida extraterrestre

Planetas do 'globo ocular' podem conter vida extraterrestre


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

De acordo com os cientistas, planetas que se assemelham a globos oculares gigantes devido à distribuição incomum de gelo, água e terra, podem existir em torno de estrelas anãs vermelhas e podem ser capazes de sustentar vida.

Quando um planeta está muito perto de sua estrela, a atração gravitacional da estrela pode forçar o mundo a ficar travado de forma maré nele. Isso significa que o planeta tem um dia permanente de um lado e uma noite permanente do outro. O resultado é um mundo incomum em que o lado noturno seria coberto por qualquer casca de gelo, enquanto o lado diurno conteria um gigantesco oceano de água. "Para mim, os globos oculares são apenas um exemplo da infinidade de coisas malucas que estamos descobrindo no espaço", disse o autor principal do estudo, Daniel Angerhausen.

A ideia de um globo ocular da Terra, como esse mundo é chamado, foi estimulada pela detecção de um exoplaneta chamado Gliese 581g a cerca de 20 anos-luz de distância, que pode ser o primeiro mundo alienígena potencialmente habitável conhecido.

Dadas as diferenças entre os lados diurno e noturno do globo ocular da Terra, "eles são potencialmente os planetas terrestres habitáveis ​​mais fáceis de detectar e distinguir", disse Angerhausen. No entanto, ainda não se sabe como são fáceis de detectar e quão habitáveis ​​realmente são.

Angerhausen e sua equipe investigarão essas questões por meio de um projeto no Brasil denominado ‘Explorando a habitabilidade do globo ocular-Exo-Terras’.

Os cientistas pretendem primeiro construir uma variedade de modelos de globo ocular da Terra que variam em massa, distância de suas estrelas, quanta radiação eles recebem, força do campo magnético e sua composição e densidade do gelo. Ao fornecer casos gerais e extremos de globos oculares estáveis ​​e transitórios, eles podem ajudar a prever quão bem os levantamentos de telescópio podem detectá-los e caracterizá-los. Os pesquisadores então pretendem testar o quão bem a vida poderia sobreviver em um globo ocular da Terra usando uma câmara de simulação planetária. Os pesquisadores vão testar a sobrevivência e a atividade genética dos micróbios para ver como eles se comportam.

De acordo com Angeerhausen: "Esses planetas - água, globo ocular ou bola de neve - provavelmente serão os primeiros planetas habitáveis ​​que encontraremos e poderemos caracterizar remotamente. É por isso que é tão importante estudá-los agora."