Texas

Texas


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Várias expedições espanholas contribuíram para a exploração inicial do Texas, começando em 1519. Expedições foram enviadas repetidamente nos anos seguintes, mas ouro nunca foi encontrado. Exploradores franceses visitaram o Texas na década de 1680, e La Salle reivindicou grande parte do Texas como parte de sua enorme reivindicação de terras para a França. No entanto, a questão da fronteira foi resolvida por meio de um tratado. Um número crescente de colonos americanos, que a princípio foram bem-vindos, começou a preocupar o México. A independência foi declarada e após uma guerra que viu a derrota no Álamo e a vitória na Batalha de San Jacinto, o Texas emergiu como uma República. Após a guerra mexicana de 1846 a 1848, o México desistiu de todas as reivindicações ao Texas. Embora o Texas tenha ingressado na Confederação durante a Guerra Civil, havia um sentimento pró-União considerável no estado. A batalha final da Guerra Civil foi travada perto da foz do Rio Grande por soldados que não sabiam que a guerra havia terminado um mês antes. Durante a reconstrução do Texas, surgiu uma controvérsia jurídica a respeito da natureza jurídica da secessão do Texas. De acordo com seus defensores, a secessão do Texas da União foi nula e sem efeito desde o início e, conseqüentemente, todas as leis derivadas da secessão e todas as relações públicas e privadas baseadas nessas leis foram, por sua vez, nulas e sem efeito. A opinião da maioria rejeitou esta posição extrema, e os republicanos, o partido da Reconstrução, ficaram profundamente divididos por um período de três anos. No final, o último grupo prevaleceu, embora com alguns compromissos. O Texas continuou a crescer rapidamente. Na década de 1870, o gado do Texas foi levado ao mercado ao longo das trilhas para o Missouri e o Kansas. Começando com a descoberta do campo de petróleo Spindletop em 1901, as indústrias de petróleo e gás natural do Texas tornaram-se as maiores dos Estados Unidos. O Texas, em comum com outros estados do sul, tentou restringir o direito de voto dos negros, apesar das disposições do A alteração XV dá-lhes sufrágio. O Texas promulgou uma lei em 1923 que afirmava que "em nenhum caso um negro será elegível para participar de uma eleição primária do Partido Democrata realizada no estado do Texas." No Sul de partido único, as primárias democratas foram equivalentes às eleições gerais, de modo que essa regra efetivamente privou os negros do Texas. Em 1927, a Suprema Corte decidiu no caso de Nixon v. Herndon, com Oliver Wendell Holmes escrevendo a opinião, que a lei do Texas violou a Décima Quinta Emenda.


Veja também Andrews, Texas e Texas.


Linha do tempo da história do Texas - 50 eventos que moldaram o Texas

Compilamos uma linha do tempo dos 50 eventos históricos mais significativos que moldaram o grande estado do Texas. Sem esses eventos, o Texas poderia parecer muito diferente do que é hoje.

Exploração e Desenvolvimento Antecipados

Antes de 1500 - Antes da chegada dos primeiros exploradores europeus, numerosas tribos de índios do Texas ocupavam a região entre o Rio Grande ao sul e o Rio Vermelho ao norte.

Meados de 1519 - Alonso Alvarez de Pineda, um aventureiro espanhol, partiu de uma base na Jamaica para se tornar o primeiro europeu conhecido a explorar e mapear a costa do Texas.

Novembro de 1528 - Cabeza de Vaca naufragou no que hoje se acredita ser a Ilha de Galveston. Depois de comercializar na região por cerca de seis anos, ele posteriormente explorou o interior do Texas a caminho do México.

1540-1542- Em busca das lendárias Sete Cidades de Cibola, Francisco Vasquez de Coronado liderou uma expedição ao atual sudoeste dos Estados Unidos e ao norte do Texas.

18 de fevereiro de 1685 -Robert Cavelier, Sieur de LaSalle, estabeleceu o Fort St. Louis na Baía de Matagorda e formou a base para a reivindicação da França ao Texas. Dois anos depois, LaSalle foi assassinado por seus próprios homens.

22 de abril de 1689 - Durante uma expedição planejada para restabelecer a presença espanhola no Texas, o explorador mexicano Alonso de Leon chegou ao Forte St. Louis e o encontrou abandonado,

1716-1789 - Ao longo do século 18, a Espanha estabeleceu missões católicas no Texas, bem como nas cidades de San Antonio, Goliad e Nacogdoches.

8 de agosto de 1812 - A Expedição Gutierrez-Magee com cerca de 130 homens cruzou o rio Sabine vindo da Louisiana em um movimento rebelde contra o domínio espanhol no Texas.

1817-1820 - Jean Laffite ocupou a Ilha Galveston e a usou como base para sua operação de contrabando e corsário.

3 de janeiro de 1823 -Stephen F. Austin recebeu uma bolsa do governo mexicano e iniciou a colonização na região do rio Brazos.

Meados de 1824 - A Constituição de 1824 deu ao México uma forma republicana de governo. Ele falhou, no entanto, em definir os direitos dos estados dentro da república, incluindo o Texas.

6 de abril de 1830 - As relações entre os texanos e o México atingiram um novo nível quando o México proibiu mais emigração para o Texas por colonos dos Estados Unidos.

26 de junho de 1832 - A Batalha de Velasco resultou nas primeiras vítimas nas relações do Texas com o México. Após vários dias de luta, os mexicanos comandados por Domingo de Ugartechea foram forçados a se render por falta de munição.

1832-1833 - A insatisfação com as políticas do governo na Cidade do México desencadeou a Convenção de 1832 e a Convenção de 1833 no Texas.

A Revolução e a República

2 de outubro de 1835 - Os texanos repeliram as tropas da cavalaria mexicana na Batalha de Gonzales. A revolução começou.

9 de outubro de 1835 - A Campanha Goliad de 1835 terminou quando George Collingsworth, Ben Milam e 49 outros texanos invadiram o presidio em Goliad e uma pequena tropa de defensores mexicanos.

28 de outubro de 1835 -Jim Bowie, James Fannin e 90 texanos derrotaram 450 mexicanos na Batalha de Concepcion, perto de San Antonio.

3 de novembro de 1835 - A Consulta se reuniu para considerar opções para uma regra mais autônoma para o Texas. Um documento conhecido como Lei Orgânica delineou a organização e funções de um novo Governo Provisório.

8 de novembro de 1835 - O Grass Fight perto de San Antonio foi vencido pelos Texans sob Jim Bowie e Ed Burleson. Em vez de prata, no entanto, os texanos ganharam uma recompensa inútil de grama.

11 de dezembro de 1835 -Os mexicanos sob o comando do general Cos renderam San Antonio aos texanos após o cerco de Bexar. Ben Milam foi morto durante o cerco prolongado.

2 de março de 1836 - A Declaração de Independência do Texas foi assinada por membros da Convenção de 1836. Um anúncio provisório o governo foi formado para a recém-criada República do Texas.

6 de março de 1836 - Texanos sob o comando do coronel William B. Travis foram oprimidos pelo exército mexicano após um cerco de duas semanas na Batalha de Alamo em San Antonio. O Runaway Scrape começou.

10 de março de 1836 - Sam Houston abandonou Gonzales em uma retirada geral para o leste para evitar a invasão do exército mexicano.

27 de março de 1836 -James Fannin e quase 400 texanos foram executados pelos mexicanos no Massacre de Goliad, sob a ordem de Santa Anna.

21 de abril de 1836 - Texanos sob o comando de Sam Houston derrotaram as forças mexicanas de Santa Anna na Batalha de San Jacinto. Assim, a independência foi conquistada em uma das batalhas mais decisivas da história.

Novembro de 1839 - O Congresso do Texas se reuniu pela primeira vez em Austin, o local de fronteira selecionado para a capital da República.

11 de agosto de 1840 - A Batalha de Plum Creek, perto do atual Lockhart, encerrou o desafio Comanche mais ousado e penetrante à República do Texas.

Junho de 1841 - A expedição Texan Santa Fe partiu para o Novo México. Perto de Sante Fe, eles foram interceptados pelas forças mexicanas e marcharam 2.000 milhas até a prisão na Cidade do México.

5 de março de 1842 - Uma força mexicana de mais de 500 homens sob o comando de Rafael Vasquez invadiu o Texas pela primeira vez desde a revolução. Eles ocuparam San Antonio por um breve período, mas logo voltaram para o Rio Grande.

11 de setembro de 1842 - San Antonio foi novamente capturado, desta vez por 1400 tropas mexicanas comandadas por Adrian Woll. Mais uma vez, os mexicanos recuaram, mas desta vez com prisioneiros.

Outono de 1842 - Sam Houston autorizou Alexander Somervell a liderar um ataque retaliatório ao México. A Expedição Somervell resultante foi dissolvida, no entanto, após tomar brevemente as cidades fronteiriças de Laredo e Guerreo.

20 de dezembro de 1842 - Cerca de 300 membros da força Somervell decidiram continuar os ataques ao México. Dez dias e 20 milhas depois, a malfadada Expedição Mier se rendeu na cidade mexicana de Mier.

29 de dezembro de 1842 - Sob as ordens de Sam Houston, funcionários chegaram a Austin para remover os registros da República do Texas para a cidade de Houston, desencadeando a exangue Guerra dos Arquivos.

25 de março de 1843 - Dezessete texanos foram executados no que ficou conhecido como Episódio do Feijão Negro, que resultou da Expedição Mier, um dos vários ataques dos texanos ao México.

27 de maio de 1843 - A Expedição Snively do Texas alcançou a Trilha de Santa Fé, esperando capturar vagões mexicanos que cruzavam o território reivindicado pelo Texas. A campanha parou, no entanto, quando as tropas americanas intervieram.

Estado e mais além

29 de dezembro de 1845 -O presidente dos EUA, James Polk, seguiu em frente com uma plataforma de campanha prometendo anexar o Texas e assinou uma legislação que tornava o Texas o 28º estado dos Estados Unidos.

25 de abril de 1846 -A Guerra Mexicano-Americana começou como resultado de disputas sobre as reivindicações de limites do Texas. O resultado da guerra fixou a fronteira sul do Texas no Rio Grande.

25 de novembro de 1850 -Em um plano para resolver disputas de limites e pagar sua dívida pública, o Texas cedeu cerca de um terço de seu território no Compromisso de 1850, em troca de US $ 10.000.000 dos Estados Unidos.

Maio de 1852 - A primeira Feira Estadual Lone Star em Corpus Christi simbolizou um período de relativa prosperidade no Texas durante a década de 1850. O organizador Henry L. Kinney convenceu o Dr. Ashbel Smith a ser o gerente da feira.

29 de abril de 1856 - Apoiado pelos militares americanos, um carregamento de 32 camelos chegou ao porto de Indianola. O experimento de camelo do Texas resultante usou os animais para transportar suprimentos pelo "Grande Deserto Americano".

1 de fevereiro de 1861 - O Texas se separou da União Federal após uma votação de 171 a 6 pela Convenção de Secessão. O governador Sam Houston fazia parte de uma pequena minoria que se opunha à secessão.

22 de outubro de 1861 - Unidades avançadas da recém-formada Brigada do General H. H. Sibley marcharam para o oeste de San Antonio para reivindicar o Novo México e o sudoeste americano para a Confederação.

1 ° de janeiro de 1863 - Após várias semanas de ocupação federal do porto marítimo mais importante do Texas, a Batalha de Galveston restaurou a ilha ao controle do Texas pelo restante da Guerra Civil.

13 de maio de 1865 - O último confronto terrestre da Guerra Civil foi travado na Batalha de Palmito Ranch, no extremo sul do Texas, mais de um mês após a rendição do general Lee em Appomattox, VA.

1866 - A abundância de gado longhorn no sul do Texas e o retorno dos soldados confederados a uma economia de reconstrução pobre marcaram o início da era das trilhas do Texas para os mercados do norte.

30 de março de 1870 - O Congresso dos Estados Unidos readmitiu o Texas na União. A reconstrução continuou, entretanto, por mais quatro anos.

17 de janeiro de 1874 -A disputa Coke-Davis terminou pacificamente em Austin quando E. J. Davis renunciou ao cargo de governador. Richard Coke deu início a uma dinastia de partido democrático no Texas que continuou ininterrupta por mais de 100 anos.

4 de outubro de 1876 - Agora conhecido como Texas A & ampM, a abertura do Agricultural and Mechanical College of Texas marcou o primeiro empreendimento do estado no ensino superior público. As mensalidades totalizaram US $ 10 por semestre.

15 de setembro de 1883 - A Universidade do Texas abriu suas portas em Austin para sua sessão inaugural. Os primeiros cursos foram oferecidos no Departamento Acadêmico e no Departamento Jurídico.

16 de maio de 1888 - A dedicação da atual capital do estado em Austin encerrou sete anos de planejamento e construção. O edifício foi financiado com 3.000.000 acres de terra no norte do Texas.

20 de janeiro de 1891 - Com base em uma plataforma de campanha pedindo a regulamentação das ferrovias e grandes negócios, James Hogg assumiu o cargo como o primeiro governador nativo do Texas.

10 de janeiro de 1901 - A descoberta de “ouro negro” no campo de petróleo Spindletop perto de Beaumont lançou o Texas em um século de exploração de petróleo, eletrônica e viagens espaciais tripuladas.


Cultura do Texas e fatos interessantes

O Estado da estrela solitária

O Texas é famoso por seu senso de identidade local e sua independência. The Lone Star State valoriza sua história e tradições únicas. O parque de diversões Six Flags vem do Texas, em homenagem às seis bandeiras que voaram sobre o Texas - Espanha, França, México, a República do Texas, os Estados Unidos da América e os Estados Unidos da América. O contorno do Texas é popular em bens de consumo como fivelas de cintos e ferros para waffles. Nas últimas décadas, o slogan ambiental "Não bagunce o Texas" tornou-se um slogan de orgulho texano. E, mais do que em qualquer outro estado, permanece hoje um movimento notável pela independência do Texas dos Estados Unidos.

Capital Mundial da Música ao Vivo

Austin, Texas, é conhecida por seu slogan "a Capital Mundial da Música ao Vivo". Austin tem mais shows ao vivo per capita do que qualquer outra cidade dos Estados Unidos. As estimativas dizem que em uma determinada noite em Austin há 100 apresentações de música ao vivo, abrangendo uma ampla gama de gêneros. A história da música de Austin remonta aos anos 1800, mas realmente decolou nos anos 1960. A cidade abriu vários grandes locais e cultivou uma cena de música country alternativa dos músicos mais convencionais centrados em Nashville. Hoje a cidade tem grandes cenários de folk, country, jazz, tejano, zydeco, punk e indiemusic.

Pecuária no Texas

O cowboy é amplamente visto como um ícone do Texas. Embora os cowboys do Velho Oeste não sejam comuns no Texas hoje, ainda é a capital da pecuária dos Estados Unidos. O Texas é o maior produtor de lã do país e também possui enormes rebanhos de gado. King Ranch, no Texas, é maior que o estado de Rhode Island e abriga mais de 35.000 cabeças de gado. A cultura da pecuária se estende a outras áreas da vida do Texas, influenciando a moda e o entretenimento - o rodeio, um esporte que testa várias habilidades da pecuária, como amarrar o gado e montar em animais selvagens, é o esporte oficial do estado do Texas.

Cozinha Tex-Mex

Talvez a maior exportação cultural do Texas para o resto do país seja a comida. A comida Tex-Mex se origina da grande população mexicana-americana do estado (também conhecida como Tejanos), especialmente ao longo da fronteira sul com o México. A culinária Tex-Mex, assim como a culinária do norte do México, é uma fusão da comida espanhola com as tradições alimentares nativas locais, geralmente usando ingredientes relacionados à indústria pecuária. Após a década de 1960, o Tex-Mex tornou-se mais americanizado com ingredientes como o queijo amarelo, e começou a se popularizar em todo o país. Hoje, a comida mexicana (em grande parte Americanizada Tex-Mex) gera mais de US $ 40 bilhões por ano nos EUA.

Nativos e residentes famosos do Texas

Alvin Aileycoreógrafo
Wes Andersoncineasta
Mary Kay Ashempresário de cosméticos
Stephen Fuller Austinfundador do Texas
Gene Autrycantor e ator
Carol Burnettcomediante
George W. BushPresidente
Cyd Charisseatriz e dançarina
Denton A. Cooleycirurgião de coração
Joan Crawfordatriz
Dwight David EisenhowerPresidente
tom Forddesigner, diretor
A. J. Foytpiloto de automóveis
Ben Hoganjogador de golfe
Sam Houstonpolítico

Howard Hughesindustrial e produtor de filmes
Jack johnsonboxer
Lyndon B. JohnsonPresidente
George Jonescantor
Tommy Lee Jonesator
Janis Joplincantor
Scott Joplincompositor
Beyonce Knowlescantor / performer
Trini Lopezcantor
Mary Martincantora e atriz
Matthew McConaugheyator
Spanky McFarlandator
Audie Murphyator e herói de guerra
Chester Nimitzalmirante
Sandra Day O'Connorjurista

Buck Owenscantor
Selenacantor
Lou Diamond Phillipsator
Katherine Anne Porterromancista
Wiley Postaviador
Dan RatherApresentador de TV
Robert Rauschenbergpintor
Tex Rittercantor
Robert Rodriguezfazedor de fim
Rip Tornator e diretor
Tommy Tunedançarina e coreógrafa
Stevie Ray Vaughanmúsico
Lupe Velezatriz
Dooley Wilsonator e músico
Babe Didrikson Zahariasatleta e jogador de golfe.


o Manual do Texas foi ideia do ex-presidente da TSHA, Walter Prescott Webb, que corajosamente declarou que seria "uma referência a praticamente qualquer tópico da história do Texas". A inicial Manual foi publicado como um conjunto de dois volumes em 1952, com um volume suplementar publicado em 1976.

Hoje, os Manual está totalmente online e inclui 27.346 entradas enciclopédicas sobre pessoas influentes, eras e eventos da história do Texas. Sua equipe de editores trabalha continuamente para adicionar e atualizar as entradas para garantir sua precisão e abrangência.


Manual do Texas

o Manual do Texas é uma enciclopédia estadual digital desenvolvida pela Texas State Historical Association (TSHA) que é gratuita e acessível na Internet para alunos, professores, acadêmicos e o público em geral. o Manual consiste em entradas de visão geral, gerais e biográficas com foco em toda a história do Texas, desde os nativos americanos indígenas e a era pré-histórica até a população diversificada do estado e a idade moderna. Essas entradas enfatizam o papel que os texanos desempenharam na história estadual, nacional e mundial. O TSHA expande continuamente o Manual por meio de projetos especiais de vários anos que se concentram em diversos tópicos para preservar a história de todos os texanos. Em 2016 o Manual O site teve 10.454.137 visualizações de página com 4.657.707 usuários únicos de 201 países e territórios, tornando-o não apenas um recurso do Texas, mas também global.

o Manual do Texas O projeto começou em 1939 como um esforço liderado pelo Professor Walter Prescott Webb da Universidade do Texas para preservar a história do Texas e criar “o livro mais útil que já foi publicado no Texas”. Webb admitiu que seu objetivo pode ser "um sonho impossível", mas sua liderança facilitou o financiamento, a contratação de pessoal e a publicação do livro original de dois volumes Manual em 1952, com um terceiro volume suplementar em 1976. A Universidade do Texas em Austin apoiou uma bolsa de estudos focada na história do Texas e manteve um relacionamento contínuo com a TSHA, fornecendo espaço para escritórios e empregando membros da equipe como professores da Universidade. Em 1996, o seis volumes Manual incluiu 23.640 entradas e 687 ilustrações em 6.945 páginas. A liderança da TSHA reconheceu o crescimento dos computadores pessoais e optou por ignorar um CD-ROM interativo em favor da digitalização de todo Manual para lançamento na Internet. o Manual do Texas Online lançada em fevereiro de 1999 e foi uma das primeiras enciclopédias digitais acessíveis gratuitamente na Internet ao público em geral.

o Manual atualmente inclui 27.346 entradas enciclopédicas. Essas entradas são escritas por historiadores e profissionais voluntários, revisadas pela equipe da TSHA, examinadas por acadêmicos e aprovadas pelo historiador-chefe da TSHA antes de serem publicadas online. O desenvolvimento de novas entradas é conduzido por eventos atuais, sugestões de usuários e identificação interna de tópicos ausentes, que são revisados ​​pelo historiador-chefe para consideração. As entradas existentes são continuamente revisadas ou atualizadas de acordo com as sugestões do usuário e um cronograma de revisão de rotina. Os autores utilizam fontes secundárias e primárias, como livros, registros de censo, jornais, registros de serviço militar, obituários, diários e cartas para criar entradas historicamente precisas. As fontes são compiladas em uma bibliografia e atualizadas regularmente para fornecer aos leitores os estudos mais recentes. o Manual os editores verificam, editam e formatam entradas usando linguagem apropriada para usuários desde o ensino médio até a faculdade.

o Manual começou como um recurso de referência impresso sem imagens, mas a expansão para seis volumes incluiu o acréscimo de fotografias e outras ilustrações. o Manual a equipe reconheceu a necessidade de atualizar o digital Manual com mídia apropriada, como imagens, vídeos, áudio e mapas interativos. A equipe agora inclui mídia a cada nova entrada e adicionou mídia às entradas mais vistas. Como resultado, o Manual agora inclui milhares de imagens, centenas de amostras de áudio e dezenas de clipes de vídeo do TSHA Texas Talks webinars. As legendas da mídia identificam o título, o proprietário dos direitos autorais e a localização da mídia, bem como o link para a fonte original. A equipe desativou o recurso de clique com o botão direito dentro do Manual site para limitar a reprodução das imagens e incentivar os usuários a visitar os repositórios e arquivos digitais participantes para acesso e republicação. A TSHA compilou eBooks promocionais compostos por Manual as inscrições se concentraram em uma variedade de tópicos, incluindo: Afro-americanos, Guerra Civil, Tejanos, Revolução do Texas, Mulheres e Música no Texas. Além disso, Manual conteúdo facilitou o desenvolvimento de Texas dia a dia, um programa que fornece atualizações diárias para os computadores, tablets e smartphones dos usuários sobre pessoas, lugares e eventos notáveis ​​na história do Texas.

Depois de mais de 69 anos, o Manual O projeto continua promovendo bolsas de estudo e incentivando o estudo da história do Texas. O TSHA e Manual a equipe colabora com associações históricas no Texas e nos Estados Unidos para promover o estudo da história estadual e local. o Manual O projeto oferece oportunidades para estudantes de graduação, historiadores leigos, acadêmicos e professores preservarem a história pesquisando e escrevendo entradas concisas para fins educacionais e melhoria da sociedade. o Manual entradas são citadas em milhares de livros, artigos, documentários e páginas da web, como Wikipedia, Biblioteca de Referência Legislativa do Texas, Find-a-Grave e Ancestry. O professor Webb não poderia ter imaginado as maneiras pelas quais o Manual cresceu e mudou ao longo do tempo, mas ele certamente ficaria satisfeito se a demanda pública por bolsas de estudo continue tão forte. Nós nos esforçamos para garantir o Manual permanece acessível, inclusivo, preciso e atende aos padrões acadêmicos atuais.

o Manual do Texas O projeto começou em 1939 como um esforço liderado pelo Professor Walter Prescott Webb da Universidade do Texas para preservar a história do Texas e criar “o livro mais útil que já foi publicado no Texas”. Webb admitiu que seu objetivo pode ser "um sonho impossível", mas sua liderança facilitou o financiamento, a contratação de pessoal e a publicação do livro original de dois volumes Manual em 1952, com um terceiro volume suplementar em 1976. A Universidade do Texas em Austin apoiou uma bolsa de estudos focada na história do Texas e manteve um relacionamento contínuo com a TSHA, fornecendo espaço para escritórios e empregando membros da equipe como professores da Universidade. Em 1996, o seis volumes Manual incluiu 23.640 entradas e 687 ilustrações em 6.945 páginas. A liderança da TSHA reconheceu o crescimento dos computadores pessoais e optou por ignorar um CD-ROM interativo em favor da digitalização de todo Manual para lançamento na Internet. o Manual do Texas Online lançada em fevereiro de 1999 e foi uma das primeiras enciclopédias digitais acessíveis gratuitamente na Internet ao público em geral.

o Manual atualmente inclui 27.346 entradas enciclopédicas. Essas entradas são escritas por historiadores e profissionais voluntários, revisadas pela equipe da TSHA, examinadas por acadêmicos e aprovadas pelo historiador-chefe da TSHA antes de serem publicadas online. O desenvolvimento de novas entradas é conduzido por eventos atuais, sugestões de usuários e identificação interna de tópicos ausentes, que são revisados ​​pelo historiador-chefe para consideração. As entradas existentes são continuamente revisadas ou atualizadas de acordo com as sugestões do usuário e um cronograma de revisão de rotina. Os autores utilizam fontes secundárias e primárias, como livros, registros de censo, jornais, registros de serviço militar, obituários, diários e cartas para criar entradas historicamente precisas. As fontes são compiladas em uma bibliografia e atualizadas regularmente para fornecer aos leitores os estudos mais recentes. o Manual os editores verificam, editam e formatam entradas usando linguagem apropriada para usuários desde o ensino médio até a faculdade.

o Manual começou como um recurso de referência impresso sem imagens, mas a expansão para seis volumes incluiu o acréscimo de fotografias e outras ilustrações. o Manual a equipe reconheceu a necessidade de atualizar o digital Manual com mídia apropriada, como imagens, vídeos, áudio e mapas interativos. A equipe agora inclui mídia a cada nova entrada e adicionou mídia às entradas mais vistas. Como resultado, o Manual agora inclui milhares de imagens, centenas de amostras de áudio e dezenas de clipes de vídeo do TSHA Texas Talks webinars. As legendas da mídia identificam o título, o proprietário dos direitos autorais e a localização da mídia, bem como o link para a fonte original. A equipe desativou o recurso de clique com o botão direito dentro do Manual site para limitar a reprodução das imagens e incentivar os usuários a visitar os repositórios e arquivos digitais participantes para acesso e republicação. A TSHA compilou eBooks promocionais compostos por Manual as inscrições se concentraram em uma variedade de tópicos, incluindo: Afro-americanos, Guerra Civil, Tejanos, Revolução do Texas, Mulheres e Música no Texas. Além disso, Manual conteúdo facilitou o desenvolvimento de Texas dia a dia, um programa que fornece atualizações diárias para os computadores, tablets e smartphones dos usuários sobre pessoas, lugares e eventos notáveis ​​na história do Texas.

Depois de mais de 69 anos, o Manual O projeto continua promovendo bolsas de estudo e incentivando o estudo da história do Texas. O TSHA e Manual a equipe colabora com associações históricas dentro do Texas e nos Estados Unidos para promover o estudo da história estadual e local. o Manual O projeto oferece oportunidades para estudantes de graduação, historiadores leigos, acadêmicos e professores preservarem a história pesquisando e escrevendo entradas concisas para fins educacionais e melhoria da sociedade. o Manual entradas são citadas em milhares de livros, artigos, documentários e páginas da web, como Wikipedia, Biblioteca de Referência Legislativa do Texas, Find-a-Grave e Ancestry. O professor Webb não poderia ter imaginado as maneiras pelas quais o Manual cresceu e mudou ao longo do tempo, mas ele certamente ficaria satisfeito se a demanda pública por bolsas de estudo continuasse tão forte. Nós nos esforçamos para garantir o Manual permanece acessível, inclusivo, preciso e atende aos padrões acadêmicos atuais.


Texas - História

225 milhões a.C. para 65 milhões a.C.

Pelo menos 16 tipos de dinossauros vagaram pelo Texas de 225 milhões de anos atrás até cerca de 65 milhões de anos atrás, quando os dinossauros desapareceram. . . . (mais)

Exploração e Desenvolvimento Europeu

30 de abril - Uma cerimônia de ação de graças é realizada perto da atual El Paso por Juan de Oñate, os membros de sua expedição e nativos da região. Os espanhóis fornecem caça e os índios fornecem peixe para uma festa, os missionários franciscanos celebram a missa e Oñate reivindica todas as terras drenadas pelo Rio Grande em nome do rei Filipe II da Espanha. . . . (mais)

Revolução e a República do Texas

6 de março e ndash Um cerco de 13 dias ao Álamo pelas tropas mexicanas lideradas por Santa Anna termina neste dia com uma batalha na qual todos os defensores restantes são mortos. . . . (mais)

Anexação e Estado

25 de novembro e o governador do Texas assina o Compromisso de 1850, no qual o Texas desiste de sua reivindicação de terras que inclui mais da metade do que agora é Novo México, cerca de um terço do Colorado, um canto do Kansas, o Oklahoma Panhandle e uma pequena parte do Wyoming em troca da assunção de dívidas de US $ 10 milhões pelos Estados Unidos, o Texas mantém suas terras públicas. . . . (mais)

Secessão e Guerra Civil

13 de fevereiro, Robert E. Lee recebe ordens de retornar a Washington da sede do regimento em Fort Mason para assumir o comando do Exército da União. Em vez disso, Lee renunciou à sua comissão - ele assumiu o comando das forças confederadas em junho de 1862.. . . (mais)


Prisioneiros da união de Camp Ford, perto de Tyler. Biblioteca do Congresso.

Reconstrução para o século 20

As movimentações de gado, que eram ocasionais na década de 1830, esporádicas durante as décadas de 1840 e 1850, e quase inexistentes durante a Guerra Civil, começam a sério, principalmente para mercados e ferrovias no Meio-Oeste. Eles estão em seu pico por apenas cerca de 20 anos, até que a proliferação de ferrovias os torna desnecessários. . . . (mais)

'Branding Cattle on the Texas Prairie,' por James E. Taylor, 1867. Biblioteca do Congresso.

O século 20

10 de janeiro - Um jorro perfurado pelo engenheiro de minas Capitão A.F. Lucas em Spindletop perto de Beaumont catapulta o Texas para a era do petróleo. . . . (mais)


Um campo de petróleo no condado de Wichita.

Texas - História

O mapa mostra a localização da sede. A maioria era ou não contígua. Clique para ampliar.

Por Mike Cox

On July 16, 1820, Canary Island immigrant Juan Ignacio Perez sat before the proper officials in the Spanish city of San Antonio de Bexar and executed his last will and testament. The document the 59-year-old Perez signed included a declaration that he owned a substantial amount of property along the Medina River in what is now southern Bexar County.

Col. Perez possessed four leagues of land on one side of the river and another league on the opposite side awarded to him by Gov. Manuel María de Salcedo for his service in the Spanish military. A Spanish unit of measurement, a league amounted to 4,428.4 acres. That meant Perez had 22,142 acres.

&ldquoOn this [land],&rdquo the will further recorded, &ldquothere is a stone house and wooden corrals. . . . On these pasture lands there is some large stock both branded and unbranded, which I consider part of the property.&rdquo The veteran Indian fighter also owned &ldquoall the horses and mules marked with my brand. . . . & rdquo

Perez acquired his first league in 1794 and the other four in 1808. One of the oldest ranches in Texas, the land Perez described that long ago summer day would stay in the same family well into the 1990s.

Ranching already had a strong foothold in Texas even before Perez began raising stock along the Medina. Capt. Blas Maria de la Garza Falcon established the Rancho Carnestolendas in 1752 on the Rio Grande where the future town of Rio Grande City would rise nearly a century later. Spanish ranchos along the Rio Grande and stock-raising operations along the San Antonio and Guadalupe rivers, which supplied beef to the missions in San Antonio and Goliad, constituted the beginning of the American cattle industry.

Also in the early 1750s, one of the San Antonio missions, San Francisco de la Espada, established a ranch about 30 miles away near present-day Floresville in Wilson County. Named Rancho de las Cabras (Ranch of the Goats), the new ranch did not represent any desire for expansion or efficiency on the part of the Spanish friars, but came as a response to complaints from San Antonio residents who grew tired of mission cattle trampling their crops. By 1756, the fortress-like ranch had 700 head of cattle, nearly 2,000 sheep, and a remuda of more than 100 horses. Three decades later, Texas still a Spanish province, a ranch connected to one of the Goliad missions had 50,000 head of cattle.

With the closing of the missions, private ranching developed as Texas attracted more settlers.

James Taylor LaBlanc&mdasha Louisianan who Texanized his last name to White&mdashfounded the first Anglo-owned cattle ranch in Texas in 1828 near Anahuac in present-day Chambers County. From an initial stock of only a dozen cattle, White grew his herd to some 10,000 head. One visitor to White&rsquos ranch in the 1840s described the stock as &ldquopure Spanish breed&rdquo (longhorns).

White not only pioneered cattle-raising in Southeast Texas, he developed what would stand for many years as the industry&rsquos prime business model&mdashtrailing cattle from the ranch where they were raised to market. Following the Texas Revolution, White and his cowhands drove cattle to buyers in New Orleans, more than 300 miles to the east.

No trace remains of White&rsquos ranch, but Texas today has more ranches and more cattle than any other state. Texas being Texas, the state also has some of the largest ranches in the world. How much land it takes for a particular holding to be considered a ranch as opposed to simply a piece of rural property depends on its location.

In his book Historic Ranches of Texas, historian Lawrence Clayton wrote that a piece of land in East Texas with good creek or river frontage can support a cow per acre in years of normal precipitation. With that ratio, Clayton said, a landowner could justifiably call only a few hundred acres a ranch.

Along the 98th meridian, the eastern edge of the half of Texas that sees the least rainfall even in wet years, it takes 20&ndash25 acres per cow. Farther west, the ratio increases three to four times. Accordingly, ranches in West Texas often are described by the number of sections they cover, not acres. (A section is 640 acres, or one square mile.)

The Texas Department of Agriculture says the state has 247,500 farms and ranches totaling 130.4 million acres. For 37 years, the department&rsquos Family Land Heritage Program has been honoring families whose farms or ranches have been in continuous family ownership for more than 100 years. As of 2012, the agency has recognized 5,020 such properties.

Most of the land holdings listed by TDA are known only to their owners and families, or in their local area. But some Texas ranches&mdashpast and present&mdashare Lone Star icons, as much a part of the state&rsquos image as bluebonnets, oil wells, or rangy longhorns. These are some of Texas&rsquos most historic ranches:

The King Ranch reigns not only as Texas&rsquos largest spread (825,000 acres), it also has a larger-than-life history, an epic tale told over the years in numerous books, articles, and films, including a definitive volume, The King Ranch, by artist and author Tom Lea.

This 1952 photo shows Bob Kleberg trading cattle in McMullen County for the King Ranch. UNT Portal of Texas History.

Though the state&rsquos best-known ranch is named for founder Captain Richard King (1824&ndash1885)&mdashan Irish immigrant who came to Texas by way of New York and who piloted steamboats on the lower Rio Grande&mdashit could have turned out differently.

When King met newspaperman and former Texas Ranger Gideon K. &ldquoLegs&rdquo Lewis in Corpus Christi in 1853, the two men decided to go into the cattle business together. They set up a fortified cow camp on high ground near a spring at the head of Santa Gertrudis Creek about 45 miles southwest of Corpus Christi. That summer King bought 15,500 acres for $300, and in November 1853, he sold Lewis an undivided half-interest in the land for $2,000.

Lewis bought some additional land nearby and in turn sold King half-interest. In less than a year, the two men owned more than 68,000 acres and a substantial herd of cattle and horses, called the Santa Gertrudis Ranch.

The partnership likely would have continued had not Lewis, a handsome man with an eye for pretty women, become involved with the wife of a Corpus Christi doctor. The offended doctor prescribed for Lewis a lethal dose of buckshot. With no heirs, Lewis&rsquos estate&mdashwhich included his half interest in the South Texas ranch&mdashwent on the auction block at the Nueces County Courthouse. King successfully bid on Lewis&rsquos share of the ranch, and any possibility that the property would come to be known as the King-Lewis Ranch was as dead as the ex-ranger.

Captain King and his wife, Henrietta Chamberlain King, continued to acquire land over the years. In the spring of 1874, only a couple of decades after its founding, King Ranch gained national publicity when newspapers across the country published a column-long piece on the ranch headlined, &ldquoA Little Texas Farm.&rdquo The anonymous writer observed&mdashquite presciently

&mdashthat, &ldquoThe whole of this immense scope of country consists of the finest pasture lands in Western Texas, and must some future day be of almost incalculable value.&rdquo

When King died in 1885, Henrietta, with help from her husband&rsquos advisors, managed the ranch for a year. In 1886, she appointed her new son-in-law, Robert Kleberg, ranch manager. By the time of Henrietta&rsquos death in 1925, the ranch consisted of well over 1.25 million acres and supported 125,000 head of cattle and 2,500 horses. Robert Kleberg ran the ranch until his health declined. In 1918, Robert Kleberg Jr. (Mr. Bob) took the reins and continued as manager well after his father&rsquos death in 1932.

Though King initially stocked his ranch with the wild longhorns then common all over South Texas, by crossbreeding Shorthorns and Brahmas, the ranch developed its own breed of cattle, the Santa Gertrudis. It is the first American breed of beef cattle recognized by the USDA (in 1940) and was the first new breed to be recognized worldwide in more than a century. In 1994, the ranch introduced the King Ranch Santa Cruz, a composite breed developed to meet the modern consumers&rsquo beef expectations.

Under the leadership of Robert Kleberg Jr., who studied genetics in college and had an avid interest in livestock breeding, the King Ranch also achieved a legacy with both Thoroughbred and Quarter horses. By acquiring and breeding superior foundation stallions, the King Ranch Quarter Horse program produced Wimpy, which was awarded the number-one registration in the American Quarter Horse Association Stud Book and Registry, as well as Mr. San Peppy and Peppy San Badger, two of the all-time leading money-making sires in the National Cutting Horse Association.

In addition to its Quarter Horse lineage, the ranch produced numerous prized Thoroughbreds, including Assault, the 1946 Triple Crown winner (the only Texas horse to win the Triple Crown), and Middleground, the 1950 winner of the Kentucky Derby and Belmont Stakes.

Organized as a private corporation in 1934, King Ranch land in South Texas was designated a National Historic Landmark in 1961 by the U.S. Department of the Interior. Its properties near Kingsville cover nearly 1,300 square miles on four divisions&mdashSanta Gertrudis, Laureles, Norias, and Encino&mdashand is larger than the state of Rhode Island. These divisions are located in six counties (Brooks, Jim Wells, Kenedy, Kleberg, Nueces, and Willacy) and contain terrain that varies from fertile black farmland to low-lying coastal marshes to mesquite pastures that mark the beginning of the Texas brush country.

King Ranch is still owned by the descendants of its founder and, today, is a diversified agribusiness corporation, with interests in cattle ranching, feedlot operations, farming (cotton, milo, sugar cane, and turfgrass), citrus groves, pecan processing, commodity marketing, and recreational hunting. Its retail operations include luggage, leather goods and home furnishings, farm equipment, commercial printing, and ecotourism.

One summer day in 1876, Charles Goodnight and a Mexican guide, who had told Goodnight of a giant canyon that nature had gouged through the High Plains, reined their horses at the rim of Palo Duro Canyon, south of present-day Amarillo. Taking in the vastness that lay before him, the former Texas Ranger and pioneer cattleman immediately realized he had found perhaps the best location for a ranch anywhere in the Southwest. The canyon&rsquos steep walls afforded a natural fence, and on its floor ample water flowing along the Prairie Dog Fork of the Red River would keep the mouths of his livestock wet and nourish the grass that would fill their bellies.

That visit marked the beginning of the JA Ranch, which Goodnight founded later that year with Irish-born investor John George Adair, who operated out of Denver. What began as a high-interest loan evolved into a business partnership, with Adair having two-thirds interest in the ranch and Goodnight the other third plus a salary for managing the property. Growing from an initial herd of 1,600 cattle on 2,500 acres, at its peak, the ranch grazed 100,000 head on 1.3 million acres extending across six Panhandle counties.

When Adair died in 1885, his widow, Cornelia Wadsworth Ritchie, assumed her late husband&rsquos ownership of the sprawling ranch. Two years later, Goodnight quit the partnership and started his own ranch. The ranch is still owned by Adair heirs.

At its largest, the King Ranch never covered more than a third the size of the storied XIT&mdasha Panhandle ranch that no longer exists. However, the XIT&rsquos failure to survive into the modern era does not diminish its significance to Texas history.

XIT cowboys, 1891. UNT Portal of Texas History.

Its founders were bean-counting businessmen from Chicago, not rugged individualists like Richard King, and by the time the ranch started stringing barbed wire across its vast holdings, the buffalo and the Indians had vanished from the High Plains like so many mirages. What makes the ranch unique is its connection to the red-granite State Capitol in Austin. Then cash poor but land rich, the state conveyed public land in the far northwest corner of the Panhandle to the group of investors in 1882 to finance construction of the new statehouse, an imposing structure that would architecturally rival the nation&rsquos Capitol.

Once the biggest ranch in the world, the XIT spread over 3 million acres and stretched nearly 200 miles long and up to 30 miles wide from Hockley County on the south all the way north to the Oklahoma border. The ranch covered parts of ten High Plains counties. At its height, enclosed by 6,000 miles of barbed wire fence, the ranch ran 150,000 head of cattle, had 1,500 horses, and kept 150 cowboys on its payroll.

In the early 1900s, the XIT&rsquos owners&mdashstruggling for a return on investment they had yet to realize&mdashdecided to discontinue raising cattle. Their strategy would be to make back their money by breaking up the huge acreage the syndicate owned and selling smaller parcels as ranches or farms. Two-thirds of the ranch had been sold by 1906, and by 1912, the last XIT cattle had been sent to market. The final piece of XIT land was conveyed to another owner in 1963.

Matador Ranch

The Matador Ranch is the third historic Texas ranch that once had more than a million acres inside its fence lines. Col. Alfred M. Britton, his nephew Cata (whose full name seems to have been lost to history), Henry Harrison Campbell, Spottswood W. Lomax, and John W. Nichols founded the ranch in 1879. By 1882, the Matador consisted of 1.5 million acres west of Wichita Falls in Cottle, Dickens, Floyd, and Motley counties. Later that year, several investors from Scotland bought the ranch, renaming it the Matador Land and Cattle Co.

Under its Scottish management, the ranch prospered and grew. At its peak period of operation, the company controlled 3 million acres, counting substantial holdings in Montana, Nebraska, South Dakota, and Canada.

By 1951, the ranch had been sold down to roughly 800,000 acres. Lazard Freres and Co. of London bought the ranch and then subdivided it for resale. A year later, Fred C. Koch, co-founder of what later became Koch Industries, purchased a substantial amount of Matador acreage. When Koch died in 1967, his son Charles inherited the business. Today, the ranch is owned by the Matador Cattle Co., a division of the Koch Agricultural Co. In addition to continuing its long history as a cattle and horse-raising operation, the Matador offers paid hunting and guest lodging.

Four Sixes Ranch

Legend holds that Samuel Burk Burnett won the Four Sixes Ranch in a poker game holding a nearly unbeatable hand of four sixes. That makes a great story, but the 6666 brand that gave the ranch its name traces to 1868, when the then 19-year-old Burnett bought 100 head of cattle with 6666 burned on their flanks from a cattleman in Denton County.

Four Sixes cowboys. Undated, UNT Portal of Texas History.

Originally from Missouri, Burnett drove longhorn herds up the Chisholm Trail from South Texas and ranched elsewhere on leased land before acquiring the acreage in King County in 1900 that became the Four Sixes. During its peak years, the Four Sixes had four separate divisions sprawling across nearly a third of a million acres.

In 1917, Burnett built a $100,000 ranch house at Guthrie to serve as residence for his manager and guests, as well as ranch headquarters. Stone quarried on the ranch went into the construction of the giant 11-bedroom structure, which Burnett rightly called &ldquothe finest ranch house in West Texas.&rdquo

Three years later, though Burnett already was a wealthy man, producing oil wells came in on his Dixon Creek Ranch near the town of Panhandle in Carson County. Shortly before his death in 1922, Burnett opined that oil might make a rancher more money than cattle.

The Burnett family holdings now consist of 275,000 acres, including the Dixon Creek Ranch. Today the ranch still raises cattle and thoroughbred quarter horses. The current owner is Burnett&rsquos great-granddaughter, Anne Burnett Windfohr Marion.

Swenson Ranches

Swedish immigrant Swante M. Swenson, who came to Texas in 1838, personified the American rags-to-riches dream. When he arrived virtually pennyless in the U.S., he didn&rsquot even speak English. When he died in 1896, he owned one of Texas&rsquos largest and most famous ranches, the SMS.

As a merchant and hotelier in Austin in the 1850s, Swenson began acquiring vast tracts of public land well beyond the frontier line in unsettled West Texas. Forced to leave Texas in 1863 because of his opposition to secession, Swenson stayed in Mexico until after the Civil War. Moving to New York, he began a banking business.

Meanwhile, Swenson retained all his inexpensively purchased land in Texas. But that asset became a liability when the Texas Legislature began organizing new counties in West Texas and his extensive land holdings suddenly became subject to taxation.

In 1881, he tried to sell all his Texas real estate but either couldn&rsquot find a buyer or didn&rsquot like the offers he got. Determined to begin realizing a return on his investment, in 1882, Swenson turned management of his property over to his two sons, Eric and S. Albin Swenson. After visiting the Texas property for the first time, they divided the land into three ranches that Swenson named after his children: Ericksdahl, Mount Albin, and Elenora. Later, the Elenora was renamed the Throckmorton Ranch and Mount Albin became the Flat Top Ranch.

The Swensons, having found that they could make money off their property, continued to buy land, including in 1898 the Tongue River Ranch in King, Motley, and Dickens counties.

In 1902, the Swensons hired Frank S. Hastings as SMS manager. Over the next 20 years, Hastings produced and marketed high-grade beef and brought about numerous ranching innovations. A pioneer public relations practitioner, Hastings crafted the ranch&rsquos slogan, &ldquoIt takes a great land to produce great beef!&rdquo

The Swensons donated land for the town of Stamford on the Jones-Haskell county line, built a hotel, attracted a rail line, and even assisted in getting the town a Carnegie Library. In 1924, they constructed a brick-and-stone office building in Stamford to serve as the ranch headquarters.

Swenson family members also played a prominent role in organizing the Texas Cowboy Reunion in 1930, a rodeo and celebration held in Stamford every July 4th weekend since then. Over the years, many of the old cowboys honored at the event were waddies who had spent their entire career on one of the Swenson ranches.

In 1978, the Swenson family split the SMS Ranches into four separate companies, each owned by a group of family members. Since then, the ranches have been sold outside the family.

Through the 1920s, if a person wanted to take a deer off someone&rsquos land, about all he needed to do was ask. But starting in the 1930s, with cattle prices suppressed by a national depression, it occurred to some ranchers that they could charge for the privilege of hunting on their land. Today, some Texas ranches make a large portion of their income by leasing land for hunting, or charging by the day or by the game animal.

One of the first ranches to diversify in this way is also one of Texas&rsquos most historic, the famed YO Ranch in Kerr County.

Former Texas Ranger captain Charles A. Schreiner acquired more than a half million acres on the Edwards Plateau beginning in 1880. He got his start rounding up and selling longhorns, but diversified into banking and retail sales. In 1914, he divided his holdings among his eight children.

Son Walter got 69,000 acres about 40 miles west of Kerrville, the property still known as the YO. Walter managed the ranch through the terrible drought of 1917&ndash1918 and into the Great Depression. When he died in 1933, his widow, Myrtle Schreiner, took over the operation of the ranch. A particularly forward-thinking businesswoman, she is credited with being the first Texas rancher to come up with the idea of leasing a ranch for deer and turkey hunting.

Her son Charles Schreiner III began managing the ranch in the 1950s about the time a drought even worse than the 1917 dry spell took hold. Money earned from hunters helped mitigate the impact of the drought on the ranch. Later, Schreiner started a registry for longhorn cattle and almost single-handedly saved the historic breed. He also introduced imported exotic wildlife to the ranch, pioneering another new way to make money off the land by offering hunts for trophy African game animals in the Texas Hill Country.

Schreiner&rsquos son Louie took over operation of the ranch in the late 1980s. Following Louie&rsquos death, Charles IV and his wife, Mary, began running the ranch, which continues to flourish as a hunting and outdoor recreation destination, as well as a working traditional ranch.

The Waggoner Ranch

While not as well known as the King Ranch, this Northwest Texas spread is three years older and at 550,000 acres, more than half its size. But unlike the King Ranch, which is made up of several non-contiguous divisions, the Waggoner Ranch is Texas&rsquos largest cattle fiefdom behind a single fence. It stretches from near Wichita Falls eastward to Vernon, covering parts of Archer, Baylor, Foard, Knox, Wichita, and Wilbarger counties.

Dan Waggoner acquired 15,000 acres in 1850 in Wise County, registering a brand for his longhorns that consisted of three backward-facing Ds. Four years later, he dropped two of the Ds, but for years the Waggoner Ranch was best known as the Three D Ranch.

When Waggoner died in 1903, his son W.T. took over operation of the property. In 1910, he divided the ranch among his children, but in 1923 the holdings were reunited and placed into a family trust.

Cowboy humorist Will Rogers was a close friend of the Waggoner family and often visited the ranch. &ldquoI see there&rsquos an oil well for every cow,&rdquo Rogers famously observed on one visit to the ranch in the early 1930s.

Rogers&rsquo comment aside, Texas etiquette holds that it&rsquos impolite to ask a rancher how many acres or sections he owns. Nor is it considered proper to inquire as to how many head a rancher runs on his place. One writer found that out when he visited the ranch in the early 1960s. When he asked a long-time Waggoner hand how many cattle grazed on the Three D, he replied, &ldquoNot as many as before the drought of the fifties.&rdquo So, how many cattle was the ranch running on the place prior to the drought, the writer asked. &ldquoMore than now,&rdquo the cowboy answered.

Like its top-tier peers, the Waggoner Ranch raises cattle and quarter horses, its bottom line bolstered by oil and gas production. The company also has round 26,000 acres in cultivation.

Its cow herd is approximately 60 percent straight Hereford with 40 percent Angus-Hereford and Brangus-Hereford cross. Horses are bred for ranch work, and many still carry the bloodline of the famous quarter horse Poco Bueno.

Since its origin in the mid-1700s when Texas was a Spanish colonial province, ranching in Texas has changed dramatically. But writer-academician J. Frank Dobie, a man who grew up on a South Texas ranch before deciding that wrangling words and students beat punching cattle, remained bullish on the industry, and ranches in particular.

&ldquoAs long as Western land grows grass but does not receive enough rainfall to make farming practicable,&rdquo he wrote in Up the Trail from Texas, &ldquothere will be cattle ranches and cowboys.&rdquo

&ndash written by Mike Cox for the Texas Almanac 2014&ndash2015. Mr. Cox is an author of many books, articles, and columns about Texas.


How to Order a Driver Record

You may order a driver record for a Texas driver license, commercial driver license or identification card online or by mail. The Department cannot provide in-person driver record services at any of our locations. To determine the types of driver records available, see below.

If you would like to review the current status of your driver license, please visit our driver eligibility page.

Order Your Driver Record Online

The most convenient way to obtain a driver record is online. To order a record online, you must know the type of driver record you need and have the following information available to begin the online transaction.

  1. Your most recently issued Texas driver license, commercial driver license or identification card number, and the audit number from that card (See below to locate your audit number) or be able to answer security questions to verify your identity
  2. Your date of birth
  3. Last 4 digits of your Social Security Number
  4. Adobe Reader (Download Adobe Reader)
  5. The latest version of one of the following browsers*:
    1. Google Chrome
    2. Internet Explorer
    3. Mozilla Firefox
    4. Safári

    *The Microsoft Edge Browser is not compatible with this service at this time. If you utilize Microsoft Edge to purchase your record, you will not be able to print. Please use one of the approved browsers listed above to complete your request.

    Order your driver record online and print or email instantly

    Companies that want to order driver records may email License and Record Service for information.

    Order a Driver Record by Mail

    To order a driver record by mail, complete a driver record request form (PDF) by following the instructions on the form and submit with the appropriate payment to:

    Texas Department of Public Safety
    PO Box 149008
    Austin, Texas 78714-9008

    Please allow three weeks from the date your request is received for processing. For more information on Driver Record services please visit our Frequently Asked Questions.

    Driver Record Type

    Em formação

    Tipo 1
    Status record
    $4.00

    Tipo 2
    3-year history
    $6.00

    • Type 1 information, plus
    • List of crashes (if a ticket was received), and all moving violations for three years from date of offense.

    Type 2A
    Certified 3-year history
    $10.00

    • Certified version of type 2.
    • This record type não pode be used for a defensive driving course (DDC).

    Type 3
    List of all crashes and violations
    $7.00

    • Type 1 information, plus
    • List of all crashes (even if no ticket was received), and all moving and nonmoving violations in the record.
    • Type 3 is provided only to the person the record belongs to.
    • This record type não pode be used for a defensive driving course (DDC).

    Type 3A
    Certified list of all crashes and violations
    $10.00

    • Certified version of type 3.
    • Type 3A is provided only to the person the record belongs to.
    • This is the only record type that can be used for a defensive driving course (DDC).

    Type AR
    Certified abstract of complete driver record
    $20.00

    • Type 3 information, plus
    • All suspensions in the record.
    • Type AR contains all information in a driver record.

    For questions about Crash Reports and Records, contact the Texas Department of Transportation.


    Texas State Historical Association

    Organized in Austin on March 2, 1897, the Texas State Historical Association is the oldest learned society in the state. Its mission is to "foster the appreciation, understanding, and teaching of the rich and unique history of Texas and, by example and through programs and activities, encourage and promote research, preservation, and publication of historical material affecting the state of Texas."

    Contributions

    The association's publications include the Southwestern Historical Quarterly, more than 150 scholarly books, the Texas Almanac, and the well-known Handbook of Texas Online. The online Handbook, the nation's preeminent state history encyclopedia, attracts 400,000 visitors per month from more than 200 countries and territories around the world. Through its varied education programs, the Association directly serves more than 50,000 elementary through college-aged students each year, while indirectly reaching an additional 86,000 through its teacher training opportunities.

    Contato

    Endereço

    Texas State Historical Association
    3001 Lake Austin Blvd.
    Suite 3.116
    Austin, TX 78703