Um projeto do Google nos mostra como eram as ruas há 200 anos

Um projeto do Google nos mostra como eram as ruas há 200 anos


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Este mapa de código aberto usa inteligência artificial e ferramentas de aprendizado de máquina do Google e permite que outras pessoas aprimorem os materiais já incluídos.

Um engenheiro de pesquisa do Google está trabalhando no desenvolvimento de um mapa 3D para mostrar as mudanças nas paisagens urbanas ecaminhar por reconstruções precisas de muitas cidades dos EUA desde 1800, relata o portal Fast Company.

Raimondas Kiveris estava curioso para saber como era seu bairro em Nova York anos atrás e, não encontrando essa informação de forma organizada, decidiu criar uma forma de fazer uma espécie de “viagem virtual no tempo”.

Três anos depois, seu projeto começa a ganhar forma e mostra modelos tridimensionais de edifícios na perspectiva de um pedestre: algosemelhante ao Google Street View, embora ainda com uma resolução inferior.

Este mapa de código aberto chamado e pronunciado como 'retorno', ele usa as ferramentas de inteligência artificial e aprendizado de máquina do Google e permite que outras pessoas aprimorem os materiais já incluídos.

Volte no tempo com o rǝ, um conjunto de ferramentas de código aberto que alavanca o aprendizado profundo para permitir que desenvolvedores, entusiastas de mapas e criativos gerem reconstruções históricas de cidades em 3D usando mapas e fotos históricos de crowdsourcing. Saiba mais em https://t.co/1CSvW8vB5k pic.twitter.com/BMWz4s3q0x

- Google AI (@GoogleAI) 15 de outubro de 2020

Assim, qualquer pessoa pode fazer upload de imagens de mapas históricos impressos, localizar as coordenadas e convertê-las em formato vetorial rastreando suas características geográficas, informou a empresa de tecnologia em um comunicado.

Compêndio da vida cotidiana

Kiveris e sua equipe esperam ter dados suficientes para terrepresentações realistas de bairros inteiros e até mostrando como foram vistos espaços no interior de edifícios que não têm tanta relevância histórica para se chegar a "um compêndio do cotidiano".

Os envolvidos confiam nessa ferramenta de pesquisa e entretenimento para oferecer uma experiência agradável e, em poucos anos, até servir de cenário para videogames ou filmes.

Até o momento,rǝ oferece um bom nível de detalhes em algumas partes da ilha de Manhattan, cujas ruas podem ser percorridas como se estivéssemos há várias décadas.


Vídeo: Data in Bahia Meetup #5 at UFBA