Breve resumo de ‘A Ilíada’: uma epopéia da humanidade

Breve resumo de ‘A Ilíada’: uma epopéia da humanidade


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O tempo é um crítico implacável e feroz. Nada pode escapar do chamado efeito lindy, muito menos literatura. Os clássicos, os monumentos que resistiram com nobreza ao passar dos séculos, são a prova disso.

Um em particular é apoiado por mais de dois milênios de história (e continua crescendo). Nós nos referimos a 'A Ilíada‘, Trabalho que faz parte, junto com‘A odisséia', Do assim chamado ciclo de trojan.

Muita tinta correu desde o seu aparecimento. Esta revisão será apenas uma pequena linha entre todos aqueles que foram escritos sobre o trabalho atribuído a Homer.

Homer e o povo como escritor

A obra nasceu no oralidade e dura graças ao memória coletiva, transmitido de geração em geração graças a aedos (poetas que relataram essas epopéias de cor). É calculado que mal no século 8 aC. foi transferido para um meio escrito.

A composição de A Ilíada Y A odisséia geralmente é atribuído a Homer, um aedo da Grécia Antiga. No entanto, há muita controvérsia a respeito de sua autoria, mesmo sua existência é posta em dúvida. Isso é conhecido como a Questão homérica.

A Ilíada: entre deuses e homens, a ira de Aquiles

A Ilíada narra os eventos que ocorreram durante o guerra de Tróia (também chamado Ilium) Porém, cobre apenas 51 dias do décimo e último ano da guerra.

O confronto entre aqueus e troianos foi devido, segundo o mito, ao rapto de Helena, rainha de Esparta e esposa de Menelau, por parte de Paris, príncipe de Tróia.

O início da Ilíada

A história começa com uma praga que atinge o acampamento aqueu. A solução parece simples: Agamenon, Rei de Micenas, deve devolver a escrava Chryseid para seu pai, Crises. Pressionado por seu exército, o Atrid cede, mas em compensação fica com a escrava de Aquiles, Briseida.

É assim que se estabelece o fio condutor de toda a obra: Raiva de Aquiles. O filho de Thetis se recusará a participar da guerra devido ao ultraje que sofreu.

Enquanto isso acontece, aqueus e troianos se enfrentam vigorosamente. Os deuses também participam.

Personagens da Guerra de Tróia

Esta pequena mesa ajudará a entender a composição de cada lado:

A morte de Patroclus

Vítimas ocorrem em ambos os lados, mas o clímax vem com a morte de Pátroclo, grande amigo e camarada de armas de Aquiles.

Em um dos ataques entre aqueus e troianos, Patroclus veste a armadura de Pelida. Já no campo de batalha, ele é morto por Heitor, príncipe de Tróia.

A notícia chega a Aquiles, que ainda mais enfurece e ele só quer vingança, decidindo participar na guerra de Tróia.

Sua mãe, Thetis, pede a Hefesto para fazer uma nova armadura. Finalmente, Agamenon retorna Briseida.

A descrição do campo de batalha é impressionante. Por um lado, os deuses lutando entre si. Por outro lado, aqueus e troianos lutam incansavelmente.

Zeus, pai dos deuses e dos homens, observe tudo como um grande árbitro. Aquiles, mais por vingança do que por bizarro, avança entre os troianos sem encontrar resistência.

Eles estão guarnecidos atrás das paredes, mas Hector não consegue entrar e há a batalha final entre os dois heróis.

A morte de Heitor: olho por olho, um troiano por um aqueu

o Ira de Aquiles é imparável. Se adicionarmos uma armadura divina a isso, as chances de Heitor são poucas.

A batalha segue e Aquiles mata o príncipe troiano diante do olhar estupefato de seu pai, Príamo. Ele pega o cadáver, amarra-o ao carro e, sem respeitar o protocolo fúnebre dos heróis caídos em combate, leva-o para o seu acampamento.

Doze dias se passaram desde a morte de Heitor, após os quais Priam, com a ajuda de Hermes, consegue entrar no acampamento aqueu e implorar a Aquiles pelo corpo de seu filho.

Abalada, a pelida devolve o cadáver em troca de resgate e Decretam-se onze dias de funerais para Héctor.

As hostilidades cessam. Termine o trabalho.

A Ilíada, valor e legado

Onde, então, está o enorme valor deste épico? A pergunta é enganosa, porque seu valor se move em direções diferentes.

Como um texto histórico, ele delimita estruturas de pensamento e a visão de mundo de um povo inteiro.

Além disso, lembremos que essas obras nasceram da oralidade e fizeram parte da memória coletiva dos gregos.

Seu valor literário está no uso preciso de ornamentos e elementos estéticos. Os epítetos que apresenta A Ilíada são amplamente conhecidos.

Nada está faltando ou sobrando, as ações mais importantes se desenrolam sem elementos de distração de um conto épico fascinante.

Também tem um valor didático e pedagógico. Efetivamente, esses heróis são modelos de valores para um povo.

Como seres quase divinos, cumprem um papel educativo do qual toda uma tradição cultural é resgatada e preservada.

Uma epopéia da humanidade

A imortalidade de A Ilíada a transformou em uma clássico. Seus temas, personagens e ideais não ficam estáticos, mas se atualizam a cada leitura.

Muito foi escrito sobre ele e muito mais será escrito, pois seu valor é inesgotável. Há muito tempo deixou de ser o épico da Grécia Antiga, para se tornar o épico da humanidade.

Com uma revisão, é impossível até mesmo mergulhar em um de seus personagens ou músicas, mas podemos convidá-lo a lê-lo.

Cada página é uma delícia e cada personagem é tão vivo que você nem vai acreditar que é uma obra de mais de dois milênios. E se você já leu, recomendamos que faça o que faria com qualquer bom filme, recomende.

O que você acha desta revisão? Você gostaria que revisássemos outro trabalho? Qual foi sua experiência com A Ilíada? Se você tiver dúvidas ou sugestões sobre nosso conteúdo, deixe-nos seu comentário.

Profissional e Mestre em Letras pela Universidad Nacional Mayor de San Marcos. Tenho me dedicado à docência, trabalho pelo qual tenho muito carinho e admiração. Como profissional, insisto em pesquisas constantes na área de Artes e Humanidades. O resultado disso são artigos especializados publicados em revistas digitais e físicas. Apaixonada pelo estudo da poesia, atualmente intercalo meu tempo entre a escrita, os estudos, o trabalho e o desenvolvimento físico e pessoal.


Vídeo: Ilíada - Resumo