USS Phoenix (CL-46)

USS Phoenix (CL-46)

USS Phoenix (CL-46)

USS Fénix (CL-46) era um cruzador leve da classe Brooklyn que participou dos combates no Pacífico Sul, durante o avanço ao longo da Nova Guiné e a invasão das Filipinas, mas que é mais conhecido como cruzador argentino General Belgrano, afundado durante a Guerra das Malvinas de 1982.

o Fénix foi lançado em abril de 1935, lançado em março de 1938 e comissionado em 3 de outubro de 1938. Seu cruzador shakedown o levou a águas sul-americanas. Ela então se juntou à Frota do Pacífico e estava em Pearl Harbor quando os japoneses atacaram em 7 de dezembro de 1941. Ela não foi danificada durante o ataque e estava no mar ao meio-dia, fazendo parte de uma força-tarefa com os cruzadores São Luís (CL-49) e Detroit (CL-8) que fez uma breve tentativa de encontrar a frota japonesa.

o Fénix fez parte da escolta do primeiro comboio de Pearl Harbor aos Estados Unidos, o início de um mês de serviço de comboio nessa rota. Ela então escoltou um comboio de São Francisco a Melbourne, e permaneceu em águas australianas, operando principalmente no oeste do continente. Em fevereiro, ela escoltou um comboio até o Ceilão. Ela também escoltou um comboio até Bombaim e participou da evacuação dos Aliados de Java. Ela então se juntou à Força-Tarefa 44, operando ao lado das forças ANZAC no sudoeste do Pacífico, onde permaneceu até que partiu para uma reforma em julho de 1943.

Ela deixou brevemente o teatro do Pacífico no verão de 1943, quando carregou o secretário de Estado Cordell Hull para Casablanca. Depois disso, ela foi alocada para a Sétima Frota, que operava em apoio ao General MacArthur no Pacífico sul.

Ela fez parte do TG74.2 para o desembarque no Cabo Gloucester, na Nova Bretanha, em 26 de dezembro de 1943. Ela realizou um bombardeio pré-invasão e forneceu apoio de fogo para as tropas.

Em janeiro de 1944, ela participou de um bombardeio das bases japonesas em Madang e Alexishafen, na Nova Guiné. Em fevereiro, ela apoiou a 1ª Divisão de Cavalaria enquanto realizava um reconhecimento em vigor em Los Negros. A resistência japonesa foi menos eficaz do que temia e, portanto, o ataque tornou-se uma ocupação permanente.

No início de março Fénix (junto com Nashville e HMAS Shropshire) bombardeou a Ilha de Hauwei no Grupo do Almirantado. Em abril, ela apoiou os desembarques em Hollandia, na Nova Guiné. No final do mês, ela bombardeou Wakde e Sawar. Em maio, ela apoiou os desembarques em Arare e a invasão de Wakde. Ela então participou da invasão da Ilha Biak, destruindo perigosas baterias de armas japonesas.

Em 4 de junho o Fénix foi atacado por dois caças-bombardeiros japoneses. Um homem foi morto e quatro feridos por quase acidentes durante este ataque. Um ataque semelhante na noite seguinte teve menos sucesso. De 8 a 9 de junho, a força-tarefa interceptou uma força destruidora japonesa que tentava enviar reforços para a Nova Guiné e os forçou a fugir.

No início de julho, ela realizou um bombardeio pré-invasão da Ilha de Noemfoor.

Em setembro, ela fez parte da força de cruzadores que apoiou a invasão de Morotai (Boise, Nashville, Shropshire, Phoenix e HMAS Austrália) Em 15 de setembro, eles bombardearam Halmahera, e apoiando a força de invasão.

Em outubro o Fénix fez parte do Close Covering Group durante a invasão de Leyte. Ela realizou um bombardeio pré-invasão, apoiando então o avanço das tropas. Durante a batalha do Golfo de Leyte, o Fénix fazia parte da frota do Almirante Oldendorf durante a Batalha do Estreito de Surigao, o último tiroteio entre navios de guerra. o Fénix ela mesma atirou no encouraçado japonês Fuso.

Após a batalha, o Fénix voltou à força protegendo a cabeça de praia. Em 1º de novembro, sua força foi atacada por dez torpedeiros japoneses. Durante o ataque, três contratorpedeiros foram atingidos por aeronaves que caíam. Um quarto contratorpedeiro foi atingido no final do mesmo dia.

Em dezembro o Fénix participou da invasão de Mindoro. Mais uma vez ela foi atacada pelos camicases, mas evitou ser atingida. o Nashville teve menos sorte e foi atingido por uma aeronave.

Em janeiro de 1945 o Fénix participou da invasão de Luzon. Ela foi alvo de um submarino anão antes da invasão, mas evitou dois torpedos. Em fevereiro ela apoiou o ataque a Bataan e Corregidor e em março a invasão de Mindanao.

Seu serviço final em tempo de guerra veio durante a invasão de Balikpapan em Bornéu. Entre 29 de junho e 7 de julho, ela apoiou os caça-minas operando dentro do alcance dos canhões costeiros japoneses. Durante este período, onze caça-minas foram danificados ou afundados por tiros e minas, apesar do fogo de contra-bateria fornecido pelo Fénix.

No final da guerra, o Fénix estava a caminho de Pearl Harbor para uma revisão planejada. Ela continuou para o leste e, no início de setembro, juntou-se à Frota do Atlântico. Em fevereiro de 1946 ela foi colocada em comissão na reserva, e em 3 de julho de 1946 ela foi desativada.

Em abril de 1951 o Fénix foi vendido para a Argentina. Depois de uma reforma, ela foi comissionada como a 17 de outubro em 17 de outubro de 1951. Ela foi renomeada como a General Belgrano em 1956, nome pelo qual ela agora é mais conhecida.

o General Belgrano foi afundado em um dos momentos politicamente mais polêmicos da Guerra das Malvinas de 1982. Em 29 de abril, grande parte da frota argentina foi colocada no mar. o General Belgrano dirigiu-se ao sul das ilhas, enquanto uma força-tarefa construída em torno do porta-aviões Veinticinco de Mayo navegou para o norte. Ironicamente, este era o antigo porta-aviões da classe British Colossus Venerável. Ela foi vendida aos holandeses em 1938, onde se tornou a Karel Doorman. Em 1969 ela foi vendida para a Argentina e em 1982 ainda carregava muitos equipamentos britânicos.

Havia agora o potencial para um ataque em três frentes à Força-Tarefa Britânica, a leste das Malvinas, com aviões porta-aviões vindos do noroeste, aeronaves baseadas em terra das Malvinas e do continente argentino e do General Belgrano vindo do sudoeste. Apesar de sua idade, o cruzador argentino representava uma ameaça real para os navios britânicos - seus doze canhões 6in eram os mais poderosos de ambas as frotas na época e ela carregava mísseis Exocet.

Na manhã de 2 de maio, o porta-aviões argentino se preparou para lançar um ataque, armando suas oito aeronaves A-4 Skyhawk. Apenas ventos fracos os impediram de lançar o ataque. Ao sul o Belgrano e seus acompanhantes (dois Allen M Sumner destruidores de classe, também armados com Exocets) ziguezagueavam ao sul das Malvinas, seguidos de perto pelo submarino nuclear britânico Conquistador. O almirante Woodward, comandante da Força-Tarefa, ordenou que o Conquistador afundar o Belgrano antes que ela pudesse entrar em águas muito rasas para o submarino seguir. A ordem foi confirmada pelo Gabinete de Guerra e, pouco antes das 19h00 de 2 de maio, o Conquistador disparou três torpedos no Belgrano. Duas batidas e ela afundou em 45 minutos. 368 marinheiros argentinos foram perdidos com o Belgrano, e 880 foram resgatados. A maioria das causalidades foi causada pelos dois torpedos. Os dois destruidores de escolta (Hipolto Bouchard e Piedra Buena realizou um ataque de carga de profundidade sem sucesso contra o submarino britânico.

O resto da frota argentina voltou rapidamente ao porto, eliminando a ameaça de superfície à Força-Tarefa Britânica. Grande parte da controvérsia veio do Belgrano's localização exata no momento do ataque - ela estava então a 220 milhas das ilhas e navegando para o oeste a 10kts - colocando-a 20 milhas fora da Zona de Exclusão Total. Os argumentos ignoravam em grande parte a realidade militar, que era que os navios de guerra inimigos eram um alvo válido, estivessem dentro ou fora da zona de exclusão, e que o Belgrano estava claramente apenas mantendo a posição no momento, não voltando para casa.

Fénix (CL-46) ganhou nove estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial.

Deslocamento (padrão)

9.767t

Deslocamento (carregado)

12.207t

Velocidade máxima

32,5kts

Faixa

10.000 nm a 15kts

Armadura - cinto

5 pol em STS de 0,625 pol.

- área coberta

2in

- barbetes

6in

- torres

Rosto de 6,5 polegadas
Telhado de 2 polegadas
1,25 pol. Lateral e traseira

- torre de comando

5in
Telhado de 2,25 polegadas

Comprimento

608 pés 4 pol.

Armamentos

Quinze canhões 6in / 47 (cinco torres triplas)
Oito armas 5in / 25 (/ 38 on São Luís, Helena) (oito posições individuais)
Oito armas de 0,5 pol.
Quatro aeronaves

Complemento de tripulação

868

Deitado

15 de abril de 1935

Lançado

13 de março de 1938

Concluído

3 de outubro de 1938

Vendido para a argentina

17 de outubro de 1951


USS Phoenix (CL-46) - História

9.767 toneladas (padrão)
12.403 toneladas (máximo)
600 'x 61' 7 & quot x 19 '9 & quot
Armamento (1945)
15 (5x3) x 6 & quot / 47 armas cal
8 x 5 & quot AA armas
4 x pistolas AA Quad 40mm
2 x gêmeos 40 mm AA
Canhões 18 x 20 mm

Em 27 de fevereiro de 1944 pela manhã, lançou seu hidroavião para Buna Roads para uma reunião sobre as próximas operações. Às 10h30 entrou no Estreito da China e às 12h09 atracou a bombordo do HMAS Bishopdale (A128) em Milne Bay e embarcou 13 pessoas e o hidroavião retornou às 16h08. Às 16h18 embarcou o General Douglas MacArthur do Exército dos EUA e o Vice-almirante Thomas C. Kinkaid da Marinha dos EUA (USN), Comandante da Sétima Frota e seus assessores. Às 4:35 pm começou e partiu como Grupo de Tarefa 74.2 (TG 74.2) incluindo USS Nashville (CL-43), USS Beale (DD-471), USS Daly (DD-519), USS Hutchins (DD-476) e USS Bache (DD-470) via Raven Channel com destino a Buna Roads.

Em 28 de fevereiro de 1944 às 5h24 durante a rota para Buna Roads. Às 8h05, o Tenente General Walter Krueger do Exército dos EUA e o Contra-Almirante DE Barbey subiram a bordo para uma conferência com MacArthur, em seguida, partiram às 9h30 e, logo depois, a força partiu e se dividiu em Grupo A, incluindo Phoenix, Daly e Huchins e Grupo B incluindo Nashville, Beale e Bache e prosseguiu para as Ilhas do Almirantado.

Em 1 de março de 1944 às 6h00 deixou a formação durante a rota das Ilhas do Almirantado com destino ao Cabo Sudeste. Às 7h59 na ilha de Nussing, perto do Cabo Cretin, a PT Boats veio ao lado e MacArthur e Kinkaid e seus assessores desembarcaram. Antes de partir, o General MacArthur declarou: & quotEste é um navio excelente. Em minha opinião, nunca vi um navio mais eficiente. ”O almirante Kinkaid acrescentou:“ Você tem um navio extraordinariamente bom, limpo e eficiente. Fico maravilhado com a quietude com que tudo é feito. & Quot Depois, retornei ao TG 74.2 e ziguezagueei com um contato sonoro com Buna Roads e às 2:37 atracado a bombordo do USS Trinity (AO-13) para reabastecimento em seguida ancorado às 6:31 no cais 43 em Buna Roads.

Embarcaram o Vice-Almirante Thomas C. Kinkaid e o General MacArthur do Exército dos EUA para observar o desembarque dos EUA nas Ilhas do Almirantado. Em 28 de fevereiro de 1944 ao largo de Los Negros participou do bombardeio pré-invasão.

Em 30 de junho de 1945, Phoenix chega ao largo de Balikpapan, em Bornéu, e fornece suporte de tiros para o bombardeio pré-invasão. Em 1 de julho de 1945 apoia a & quotOperation Oboe Two & quot, o desembarque anfíbio da 7ª Divisão do Exército Australiano, então fornece suporte de tiros e cobertura para caça-minas até 7 de julho de 1945.

Por seu serviço na Segunda Guerra Mundial, Phoenix ganhou onze estrelas de batalha.

Pós-guerra
Em 6 de setembro de 1945 transitou pelo Canal do Panamá e se juntou à Frota do Atlântico. Em 28 de fevereiro de 1946, na Filadélfia, seu status foi reduzido para comissão. Em 3 de julho de 1946 foi desativado na Filadélfia. Em 27 de janeiro de 1951 foi expulso da Marinha.

Em 9 de abril de 1951 vendeu para a Argentina. Em 17 de outubro de 1951 comissionado na Armada de la República Argentina (Marinha Argentina) como Diecisiete de Octubre (C-4). Em 1956 renomeado ARA General Belgrano. Durante 1967 a 1968 foi atualizado com novos radares construídos na Holanda e mísseis antiaéreos Sea Cat britânicos.

História de Afundamento
Em 2 de maio de 1982, durante a Guerra das Malvinas, foi atingido por um torpedo disparado pelo submarino britânico HMS Conqueror com a perda de 323 tripulantes. Essa perda foi responsável por pouco mais da metade das mortes de militares argentinos sofridas durante a Guerra das Malvinas. Este foi o único navio de guerra afundado em combate por um submarino de propulsão nuclear durante uma guerra.

Referências
NavSource - USS Phoenix CL-46 (fotos)
NARA USS Phoenix (CL-46) fevereiro de 1944
NARA USS Phoenix & quotRelatório de ação de bombardeio e ocupação de Momote Airdrome, Ilha de Los Negros, Grupo do Almirantado, em 29 de fevereiro de 1944 & quot, 3 de março de 1944
NARA USS Phoenix (CL-46) março de 1944
NARA USS Phoenix (CL-46) abril de 1944
NARA USS Phoenix (CL-46) maio de 1944

Contribuir com informações
Você é parente ou associado a alguma pessoa mencionada?
Você tem fotos ou informações adicionais para adicionar?


Fénix em seguida, operou na costa oeste e mais tarde foi baseado em Pearl Harbor. Em 7 de dezembro de 1941, durante o ataque a Pearl Harbor, ela estava ancorada a sudeste de Ford Island perto de Consolo. Observadores a bordo Fénix avistou o sol nascente do Japão em aviões vindo baixo sobre Ford Island e alguns segundos depois os canhões do navio os pegaram fogo & # 91 Esclarecimento necessário ] . Fénix escapou do desastre ileso e pouco depois do meio-dia estava em andamento para se juntar São Luís, Detroit e vários contratorpedeiros em uma força-tarefa improvisada procurando, sem sucesso, os porta-aviões inimigos.

Fénix em seguida, escoltou o primeiro comboio para os Estados Unidos de Pearl Harbor após o ataque e voltou imediatamente com outro comboio. Após um mês de serviço de comboio entre os Estados Unidos e o Havaí, ela partiu de São Francisco com uma força com destino a Melbourne, Austrália. Por algum tempo, o cruzador operou em águas australianas escoltando navios de tropa, antes navegando para o norte até Java. Enquanto Fénix estava navegando em direção ao Ceilão em fevereiro de 1942 com um comboio que incluía Langley e SS & # 160Bruxa do mar, esses navios receberam ordens de deixar o comboio e seguir em alta velocidade para Java com os preciosos aviões necessários para conter a invasão japonesa das Índias Orientais Holandesas. Langley foi atacado e afundado por aviões japoneses em 27 de fevereiro, e Seawitch escapou do mesmo destino apenas por ser muito lento para acompanhar o transportador. Durante os meses seguintes, Fénix patrulhou o Oceano Índico, escoltou um comboio até Bombaim e esteve presente na evacuação de Java.

Sob o comando do Capitão Joseph R. Redman, Fénix fez parte da Força-Tarefa 44 no final de 1942. Com seus contratorpedeiros USS & # 160Leme& # 160 (DD-388), USS & # 160Mugford& # 160 (DD-389) e USS & # 160Patterson& # 160 (DD-392), ela participou da Operação Lilliput, alternando com o cruzador leve australiano HMAS Hobart e seus contratorpedeiros acompanhantes para cobrir os comboios ao sul da Nova Guiné. & # 912 e # 93

Fénix partiu de Brisbane, Queensland, Austrália para uma revisão no Estaleiro da Marinha da Filadélfia em julho de 1943 antes de transportar o Secretário de Estado Cordell Hull para Casablanca. Ela foi então designada para a 7ª Frota e navegou para o sul do Pacífico.

Em 26 de dezembro, na companhia de Nashville, ela bombardeou a área do Cabo Gloucester na Nova Grã-Bretanha, destruindo instalações costeiras em um bombardeio de quatro horas. Fénix cobriu as forças de desembarque enquanto desembarcavam e fornecia fogo de apoio contra os pontos fortes do inimigo que não haviam sido demolidos. Na noite de 25-26 de janeiro de 1944, o navio participou de um ataque noturno em Madang e Alexishafen, na Nova Guiné, bombardeando instalações costeiras.

O vice-almirante Thomas C. Kinkaid (centro esquerdo) com o general Douglas MacArthur (centro) na ponte da bandeira do USS Phoenix durante o bombardeio pré-invasão da ilha de Los Negros.

Fénix em seguida, mudou-se para as Ilhas do Almirantado para apoiar a 1ª Divisão de Cavalaria em um reconhecimento em força na Ilha de Los Negros em 29 de fevereiro. Quando as tropas desembarcaram após o bombardeio antes do desembarque, a resistência inimiga era tão fraca que uma retirada não foi necessária e a ilha foi ocupada. O General Douglas MacArthur estava a bordo durante o curso das operações. & # 913 & # 93

Em 4 e 7 de março, Fénix, Nashvillee HMAS & # 160Shropshire bombardeou a Ilha de Hauwei do Grupo do Almirantado. Os canhões inimigos nesta ilha ameaçaram as posições dos Aliados no Almirantado, particularmente na Ilha Manus e, embora o fogo de retorno da praia fosse pesado, as baterias inimigas pararam de disparar quando os projéteis dos cruzadores explodiram nas proximidades.

Hollandia (atualmente conhecida como Jayapura), na Nova Guiné, foi a próxima a cair na crescente ofensiva anfíbia. Este maior ataque até então realizado pelas forças americanas, foi lançado por 200 navios. Fénix bombardearam a costa na área de Humboldt Bay-Hollandia quando as tropas desembarcaram em 22 de abril, e os apoiaram enquanto consolidavam seus ganhos e se preparavam para novos ataques ao longo da costa noroeste da grande ilha. Fénix bombardearam aeródromos e áreas de dispersão de aviões em Wakde e Sawar na noite de 29-30 de abril para neutralizar o perigo de ataque aéreo às posições Aliadas recém-conquistadas na Nova Guiné.

As tropas do general Douglas MacArthur desembarcaram em Arare em 17 de maio para garantir aeródromos para apoiar futuras operações na área neerlandesa da Nova Guiné. Esta cabeça de praia foi posteriormente estendida para incluir a Ilha Wakde por um movimento de tropas de costa a costa. Fénix bombardeou a área de Toem e escoltou as tropas até a praia de desembarque.

Seguiu-se um ataque anfíbio à Ilha Biak, Baía de Geelvink. Lá, MacArthur planejou estabelecer uma base avançada para bombardeiros pesados. Com Nashville e Boise, Fénix sorteada de Humboldt Bay em 25 de maio e dois dias depois apoiou o desembarque. A resistência era teimosa. Enquanto a força-tarefa disparava contra instalações em terra, dois dos contratorpedeiros que os escoltavam foram atingidos por projéteis de baterias em terra. Fénix apagou a posição da arma com dois salvos de suas baterias de 5 e # 160 pol. (130 e # 160 mm) / 25 cal.

Em 4 de junho, na costa noroeste da Nova Guiné, oito caças-bombardeiros japoneses atacaram Fénix'força-tarefa s. Dois limitaram sua atenção a Fénix. Embora o tiroteio do navio não tenha atingido os aviões, ele desviou seus ataques com bombas. Ambos os aviões lançaram bombas, uma das quais explodiu na água perto de Fénix, matando um homem e ferindo outros quatro com fragmentos. O navio também sofreu algum vazamento subaquático e danos às hélices. Na noite seguinte, a aeronave atacou novamente Fénix. Desta vez, bombardeiros torpedeiros voando baixo atacaram enquanto ela prosseguia pelo Estreito do Japão, entre a Ilha de Biak e a Nova Guiné, mas seus tiros e táticas evasivas evitaram danos.

Fénix e sua força-tarefa frustrou uma tentativa inimiga de reforçar suas guarnições na noite de 8 para 9 de junho. Quando eles contataram os navios americanos, os destróieres japoneses se viraram e fugiram em uma velocidade tão alta que apenas uma divisão de destróieres dos Estados Unidos foi capaz de entrar no alcance de tiro. Depois de uma luta de corrida de três horas a longa distância, Fénix e suas irmãs interromperam a ação.

Com Boise e dez destruidores, Fénix surtiu uma surtida do porto de Seeadler nos Almirantados e bombardeou as defesas da costa antes que as forças americanas pousassem na ilha de Noemfoor em 2 de julho. Após a batalha, muitos japoneses mortos e aviões naufragados foram encontrados na área designada para Fénix.

Boise, Nashville, Shropshire, Fénix e HMAS & # 160Austrália aderiu para a ocupação de Morotai nas Ilhas Molucas em 15 de setembro. Os cruzadores bombardearam nas proximidades da Ilha Halmahera para cobrir o pouso e proteger as forças de assalto enquanto desembarcavam contra a oposição leve contínua.

A tão esperada reconquista das Filipinas começou com o desembarque em Leyte. Fénix, anexado ao Grupo Close Covering, bombardeou fortemente as praias antes do desembarque de grande sucesso em 20 de outubro. Suas baterias silenciaram um ponto forte inimigo que impedia o avanço de um batalhão do 19º Regimento de Infantaria e continuaram a fornecer fogo de chamada eficaz.

Na batalha do Golfo de Leyte, Fénix foi uma unidade do grupo do contra-almirante Jesse Oldendorf que aniquilou a Força Japonesa do Sul na batalha do Estreito de Surigao. Fénix disparou quatro salvas de avistamento e, quando a quarta atingiu, abriu com todas as suas baterias de 6 "(152 mm). O alvo mais tarde provou ser Yamashiro, que afundou após 27 minutos de fogo concentrado da frota americana. Os japoneses também perderam Fusō e três destróieres na batalha, e os aviões americanos afundaram Mogami no dia seguinte.

Fénix então patrulhou a foz do Golfo de Leyte para proteger as posições dos Aliados na costa. Na manhã de 1º de novembro de 1944, dez torpedeiros inimigos a atacaram e os navios que a acompanhavam. Às 09h45, Fénix abriu fogo e cinco minutos depois, Claxton foi atingido por um Kamikaze. Quase no mesmo instante, hits de Fénix Canhões & # 39 s 5 & # 160in (130 & # 160mm) incendiaram outro avião, mas não conseguiram evitar que ele mergulhasse na proa de estibordo de Ammen. Em 0957, um avião fazendo um torpedo rodou Fénix foi abatido pelo fogo da metralhadora do navio, mas em poucos minutos um bombardeiro atingiu Killen.

Depois de uma calmaria de duas horas e meia, mais Kamikazes chegou e, às 1340, acertou em cheio Abner Read. Aviões japoneses atacaram os outros destróieres enquanto eles estavam perto do navio que afundava, mas Fénix abateu um dos invasores.

Fénix foi atacado novamente por aviões inimigos em 5 de dezembro e foi creditado por ajudar na destruição de dois atacantes. Cinco dias depois, um Kamikaze tentou colidir com o navio, mas foi derrubado por um incêndio de 40 mm quando estava a apenas 100 e # 160yd (100 e # 160 m) de distância.

USS Pearl Harbor (LSD 52) Comandante e outros oficiais prestam homenagem a um memorial dedicado ao navio argentino ARA General Belgrano durante um serviço de memória do 25º aniversário

Enquanto prosseguia para a área de assalto ao largo de Mindoro em 13 de dezembro, o navio estava constantemente sob ataque aéreo de um único Kamikazes. Naquele dia, um solitário Kamikaze bater Nashville. Em 15 de dezembro, uma concha de 5 "(127 mm) da Fénix derrubou um avião circulando a 8.500 e # 160yd (7,8 e # 160 km). O navio então forneceu seu suporte de fogo usual e cobriu as forças de desembarque. Isso deu aos Aliados uma base para atacar as rotas marítimas do Japão através do Mar da China Meridional e suavizar Luzon para os próximos desembarques.

A caminho do Golfo de Lingayen para a invasão de Luzon, vigias a bordo Fénix avistou a torre de comando de um submarino de mergulho no mar de Mindanao, próximo a Siquijor. O submarino submergiu e disparou dois torpedos que Fénix esquivou-se. Taylor soprou o submarino anão para a superfície e bateu nela.

Em seguida, vieram Bataan e Corregidor, tiradas de 13 a 28 de fevereiro de 1945. Fénix cobriu as operações de remoção de minas em Balikpapan, Bornéu, de 29 de junho a 7 de julho. A resistência dos canhões costeiros era incomumente pesada. Minas e bombardeios afundaram ou danificaram 11 caça-minas. Fénix forneceu apoio ao fogo e as ondas de assalto pousaram.

Fénix estava a caminho de Pearl Harbor para revisão quando o Japão capitulou. Ela voltou para casa e, ao chegar ao Canal do Panamá em 6 de setembro, juntou-se à Frota do Atlântico. Seu status foi reduzido para comissão, na reserva, na Filadélfia em 28 de fevereiro de 1946.


USS Phoenix (CL-46) - História

Do Dictionary of American Naval Fighting Ships, (1970) Vol. 5, pp.291-293.

A terceira PHOENIX (CL-46) foi lançada em 15 de abril de 1935 pela New York Shipbuilding Co., Camden, NJ, lançada em 13 de março de 1938, patrocinada pela Sra. Dorothea Kays Moonan e comissionada no Estaleiro da Filadélfia em 3 de outubro de 1938, Capitão John W Rankin no comando.

Após o shakedown a levou para Port of Spain, Trinidad Santos, Brasil Buenos Aires, Argentina Montevidéu, Uruguai e San Juan, Puerto Rico, o novo cruzador retornou à Filadélfia em janeiro de 1939.

PHOENIX então operou na costa oeste e mais tarde foi baseada em Pearl Harbor, onde na manhã fatídica de 7 de dezembro de 1941 a encontrou ancorada a sudeste de Ford Island perto do navio hospital SOLACE (AH-5). Os observadores a bordo da PHOENIX avistaram o sol nascente do Japão em aviões estranhos chegando baixo sobre a Ilha Ford e alguns segundos depois os canhões do navio os pegaram sob fogo. PHOENIX escapou ilesa do desastre e pouco depois do meio-dia estava a caminho para se juntar aos cruzeiros leves ST. LOUIS (CL-49) e DETROIT (CL-8) e vários destróieres em uma força-tarefa improvisada para procurar os porta-aviões inimigos.

Em seguida, a PHOENIX escoltou o primeiro comboio de Pearl Harbor para os Estados Unidos após o ataque e voltou imediatamente com outro comboio. Após um mês de serviço de comboio entre os Estados Unidos e o Havaí, ela partiu de São Francisco com uma força com destino a Melbourne, Austrália. Por algum tempo, o cruzador operou em águas australianas escoltando navios de tropa, antes navegando para o norte até Java. Enquanto a PHOENIX estava navegando em direção ao Ceilão em fevereiro de 1942 com um comboio que incluía o hidroavião LANGLEY (AV-3) e o navio britânico SEAWITCH, esses navios foram obrigados a deixar o comboio e seguir em alta velocidade para Java com os preciosos aviões necessários para deter os japoneses invasão das Índias Orientais Holandesas. LANGLEY foi atacado e afundado por aviões japoneses em 27 de fevereiro e SEAWITCH escapou do mesmo destino apenas por ser muito lento para acompanhar o porta-aviões. Durante os meses seguintes, a PHOENIX patrulhou o Oceano Índico, escoltou um comboio até Bombaim e esteve presente na evacuação de Java.

PHOENIX partiu de Brisbane, Austrália, para uma revisão no Estaleiro da Marinha da Filadélfia em julho de 1943, antes de transportar o Secretário de Estado Cordell Hull para Casablanca. Ela foi então designada para a 7ª Frota e navegou para o Pacífico Sul.

Em 26 de dezembro, na companhia do cruzador leve NASHVILLE (CL-43), ela bombardeou a área do Cabo Gloucester na Nova Grã-Bretanha, destruindo instalações costeiras em um bombardeio de quatro horas. A PHOENIX cobriu as forças de desembarque quando elas desembarcaram e forneceu fogo de apoio contra os pontos fortes do inimigo que não haviam sido demolidos. Na noite de 25-26 de janeiro de 1944, o navio participou de um ataque noturno em Madang e Alexishafen, na Nova Guiné, bombardeando instalações costeiras.

A PHOENIX então mudou-se para as Ilhas do Almirantado para apoiar a 1ª Divisão de Cavalaria em um reconhecimento em força na Ilha de Los Negros, em 29 de fevereiro. Quando as tropas desembarcaram após o bombardeio antes do desembarque, a resistência inimiga era tão fraca que uma retirada não foi necessária e a ilha foi ocupada.

Em 4 e 7 de março de 1944, PHOENIX, NASHVILLE e o cruzador pesado australiano SHROPSHIRE bombardearam a Ilha de Hauwei do Grupo do Almirantado. Os canhões inimigos nesta ilha ameaçaram as posições aliadas no Almirantado, particularmente em Manus e, embora o fogo de retorno da praia fosse pesado, as baterias inimigas pararam de disparar quando os projéteis dos cruzadores explodiram nas proximidades.

Hollandia, na Nova Guiné, foi a próxima a cair na crescente ofensiva anfíbia. Este maior ataque até então empreendido por nossas forças, foi lançado por 200 navios. A PHOENIX bombardeou a costa na baía de Humboldt - área de Hollandia quando as tropas desembarcaram em 22 de abril, e os apoiou enquanto consolidavam seus ganhos e se preparavam para novos ataques ao longo da costa noroeste da ilha grande. A PHOENIX bombardeou aeródromos e áreas de dispersão de aviões em Wakde e Sawar na noite de 29-30 de abril para neutralizar o perigo de ataque aéreo às posições Aliadas recém-conquistadas na Nova Guiné.

As tropas do general MacArthur pousaram em Arare, em 17 de maio, para garantir aeródromos para apoiar futuras operações na área da Nova Guiné Holanda. Esta cabeça de praia foi posteriormente estendida para incluir a Ilha Wadke por um movimento de tropas de costa a costa. PHOENIX bombardeou a área de Toem e escoltou as tropas até a praia de desembarque.

Seguiu-se um ataque anfíbio à Ilha Biak, Baía de Geelvink. Lá, MacArthur planejou estabelecer uma base avançada para bombardeiros pesados. Com o NASHVILLE e o cruzador leve BOISE (CL-47), a PHOENIX partiu de Humboldt Bay em 25 de maio e dois dias depois apoiou o pouso. A resistência era teimosa. Enquanto a força-tarefa disparava contra instalações em terra, dois dos contratorpedeiros que os escoltavam foram atingidos por projéteis de baterias em terra. PHOENIX destruiu a posição da arma com duas salvas de suas baterias de 5 polegadas.

Em 4 de junho, na costa noroeste da Nova Guiné, oito caças-bombardeiros japoneses atacaram a força-tarefa da PHOENIX. Dois limitaram sua atenção a PHOENIX. Embora os tiros do navio não atingissem os aviões, eles desviaram seus ataques com bombas. Ambos os aviões lançaram bombas, uma das quais explodiu na água a bordo da PHOENIX, matando um homem e ferindo outros quatro com fragmentos. O navio também sofreu algum vazamento subaquático e danos às hélices. Na noite seguinte, a aeronave atacou novamente a PHOENIX. Desta vez, aviões torpedeiros voando baixo atacaram enquanto ela prosseguia pelo Estreito de Japen, entre a Ilha Biak e a Nova Guiné, mas seus tiros e táticas evasivas evitaram danos.

PHOENIX e sua força-tarefa frustraram uma tentativa inimiga de reforçar suas guarnições na noite de 8 para 9 de junho. Quando eles contataram os navios americanos, os destróieres japoneses se viraram e fugiram em uma velocidade tão alta que apenas uma divisão de contratorpedeiros dos EUA foi capaz de entrar no alcance de tiro. Depois de uma luta contínua de três horas a longa distância, PHOENIX e suas irmãs interromperam a ação.

Com BOISE e dez destróieres, a PHOENIX fez uma surtida de Seeadler Harbor nos Almirantados e bombardeou as defesas costeiras antes de nossas forças pousarem na Ilha de Noemfoor em 2 de julho. Após a batalha, muitos japoneses mortos e aviões naufragados foram encontrados na área-alvo atribuída à PHOENIX.

BOISE, NASHVILLE, SHROPSHIRE, PHOENIX e o cruzador pesado HMAS AUSTRALIA juntaram-se para a ocupação de Morotai nas Ilhas Molucca, em 15 de setembro de 1944. Os cruzadores bombardearam a Ilha Halmahera próxima para cobrir o pouso e protegeram as forças de assalto enquanto desembarcavam contra a oposição leve contínua .

A tão esperada reconquista das Filipinas começou com o desembarque em Leyte. A PHOENIX, ligada ao Close Covering Group, bombardeou pesadamente as praias antes do desembarque de grande sucesso em 20 de outubro. Suas baterias silenciaram um ponto forte inimigo que impedia o avanço de um batalhão do 19º Regimento de Infantaria e continuaram a fornecer fogo de chamada eficaz.

Na agora famosa "Batalha pelo Golfo de Leyte", a PHOENIX foi uma unidade do grupo do Almirante Oldendorf que aniquilou a Força Sul Japonesa ao passar pelo Estreito de Surigao. PHOENIX disparou quatro salvas de detecção e, quando a quarta atingiu, abriu com todas as suas baterias de 6 polegadas. O alvo mais tarde provou ser o encouraçado japonês FUSO, que afundou após 27 minutos. O inimigo também perdeu outro navio de guerra e três destróieres e aviões americanos afundaram um cruzador danificado no dia seguinte.

PHOENIX então patrulhou a foz do Golfo de Leyte para proteger as posições dos Aliados em terra. Na manhã de 1 ° de novembro, dez torpedeiros inimigos a atacaram e os navios que a acompanhavam. Às 09h45min, a PHOENIX abriu fogo e cinco minutos depois o contratorpedeiro CLAXTON (DD-571) foi atingido por um avião suicida. Quase no mesmo instante, os disparos dos canhões de 5 polegadas da PHOENIX incendiaram outro avião, mas não puderam impedi-lo de mergulhar na proa de estibordo do contratorpedeiro AMMEN (DD-527). Às 0957, um avião que disparava um torpedo sobre a PHOENIX foi atingido pelo fogo da metralhadora do navio, mas em poucos minutos um bombardeiro atingiu um terceiro contratorpedeiro, KILLEN (DD-593).

Após uma calmaria de duas horas e meia, os aviões inimigos voltaram e, às 1340, acertaram o contratorpedeiro ABNER READ (DD-769). A aeronave japonesa atacou os outros destróieres enquanto eles estavam perto do navio que afundava, mas a PHOENIX abateu um dos invasores.

A PHOENIX foi atacada novamente por aviões inimigos em 5 de dezembro e recebeu o crédito de ajudar na destruição de dois atacantes. Cinco dias depois, um avião suicida tentou derrubar o navio, mas foi derrubado por um fogo de 40 milímetros quando estava a apenas 100 metros de distância.

Enquanto prosseguia para a área de assalto ao largo de Mindoro em 13 de dezembro, o navio estava constantemente sob ataque aéreo de aviões suicidas individuais. Naquele dia, um camicase solitário atingiu o cruzador NASHVILLE nas proximidades. No dia 15, um projétil de 5 polegadas da PHOENIX derrubou um avião circulando a 8.500 jardas. O navio então forneceu seu suporte de fogo usual e cobriu as forças de desembarque. Isso deu aos Aliados uma base para atacar as rotas marítimas do Japão através do Mar da China Meridional e suavizar Luzon para os próximos desembarques.

Na rota do Golfo de Lingayen para a invasão de Luzon, os vigias a bordo da PHOENIX avistaram a torre de comando de um submarino de mergulho no Mar de Mindanao, perto da Ilha de Siquijor. O submarino submergiu e disparou dois torpedos dos quais PHOENIX se esquivou. O Destruidor TAYLOR (DD-468) soprou o submarino anão para a superfície e o atingiu.

Em seguida vieram Bataan e Corregidor, tomadas de 13 a 28 de fevereiro de 1945. A PHOENIX cobriu as operações de remoção de minas em Balikpapan, Bornéu, de 29 de junho a 7 de julho de 1945. A resistência dos canhões costeiros foi excepcionalmente forte. Minas e bombardeios afundaram ou danificaram 11 caça-minas. A PHOENIX forneceu apoio ao fogo e as ondas de assalto pousaram.

PHOENIX estava a caminho de Pearl Harbor para uma revisão quando o Japão capitulou. She headed home and, upon reaching the Panama Canal 6 September, joined the Atlantic Fleet. Her status was reduced to in commission, in reserve, at Philadelphia 28 February 1946. She decommissioned there 3 July 1946, and remained at Philadelphia until transferred to Argentina, 9 April 1951. She was commissioned in the Argentine Navy as DIECISIETE DE OCTUBRE (C-4) on 17 October 1951. Renamed GENERAL BELGRANO in 1956, she continues to serve the Argentine Navy into 1970.

PHOENIX (CL-46) earned nine battle stars for World War II service.

On 2 May 1982, during the Falklands War, GENERAL BELGRANO was operating some 220 miles from the Falkland Islands and steaming toward the mainland at 10 knots, screened by destroyers HIPOLTO BOUCHARD (D-26) and PIEDRA BUENA (D-29). At 1600 hours, local time, GENERAL BELGRANO was torpedoed twice by nuclear attack submarine HMS CONQUEROR (S-48). The cruiser sank in 45 minutes with the loss of 321 men. Keeping station on the far side of GENERAL BELGRANO from the submarine, HIPOLTO BOUCHARD was reportedly struck by a third torpedo from CONQUEROR, but it did not explode. The destroyers delivered a depth charge attack, but CONQUEROR escaped undamaged. Conway s All The World s Fighting Ships, 1947-1995 p.7


PHOENIX CL 46

Esta seção lista os nomes e designações que o navio teve durante sua vida útil. A lista está em ordem cronológica.

    Brooklyn Class Light Cruiser
    Keel Laid April 15 1935 - Launched March 13 1938

Capas navais

Esta seção lista links ativos para as páginas que exibem capas associadas ao navio. Deve haver um conjunto separado de páginas para cada encarnação do navio (ou seja, para cada entrada na seção "Nome do navio e histórico de designação"). As capas devem ser apresentadas em ordem cronológica (ou da melhor forma que puder ser determinada).

Como um navio pode ter muitas capas, elas podem ser divididas em várias páginas para que não demore para carregar as páginas. Cada link de página deve ser acompanhado por um intervalo de datas para as capas dessa página.

Carimbos

Esta seção lista exemplos de carimbos postais usados ​​pelo navio. Deve haver um conjunto separado de carimbos postais para cada encarnação do navio (ou seja, para cada entrada na seção "Nome do navio e histórico de designação"). Em cada conjunto, os carimbos postais devem ser listados em ordem de seu tipo de classificação. Se mais de um carimbo postal tiver a mesma classificação, eles devem ser posteriormente classificados pela data de uso mais antigo conhecido.

O carimbo postal não deve ser incluído, a menos que seja acompanhado por uma imagem em close-up e / ou a imagem de uma capa mostrando esse carimbo. Os intervalos de datas DEVEM ser baseados SOMENTE NAS CAPAS NO MUSEU e devem mudar à medida que mais capas são adicionadas.
 
& gt & gt & gt Se você tiver um exemplo melhor para qualquer um dos carimbos postais, sinta-se à vontade para substituir o exemplo existente.


Pearl Harbor Attack, USS Phoenix (CL-46)

CL46/A16
(0202)
EUA Fénix
December 11, 1941.

From: The Commanding Officer.
To: Commander-in-Chief, U.S. Pacific Fleet.

Subject: Report of attack on Pearl Harbor -- December 7, 1941.

Enclosure: (A) Brief Narrative of Events.

Enclosure (A) is forwarded as directed.
No direct damage to enemy planes by this vessel can be definitely established. Three planes which were under fire of several ships including Phoenix were seen to crash.
No damage was inflicted on this vessel by enemy fire. Number 3 ? 6" gun was placed out of commission owing to swollen barrel.
There were no individuals who were outstanding in the performance of duty.
[assinado]
ELE. FISCHER.

Time marked with an asterix are fairly definite.

TIME
EVENT
0755* First attacking planes sighted from signal bridge attacking from north of Ford Island. Plane had all guns firing, passed over stern of Raleigh and proceeded toward Ford Island Central Tower and dropped bomb.
0800 Bombing attack on battleships (Plane markings: varied "U.S.--", Swastika's and Rising Sun, painted on fuselage).
0806* Phoenix made radio signal to ships of sector four to "prepare to get underway".
0807* One plane burning in water at end of pipe line astern of berth F-8.
0810 Machine gun battery opened fire on attacking planes.
0815 AA Battery opened fire.
0845 Ship ready to get underway.
0900 Formation of 11 planes crossed over fleet on heading 070, high altitude. Approximately 10,000. Planes appeared to be painted silver. Expended approximately 50 rounds of 5". No apparent damage to planes.
0910 (Approx) Second bombing attack on battleships. Expended approximately 60 rounds 5" ammunition.

After planes came out of dive and turned toward berth C-6 planes were brought under fire of machine gun battery.

0900-0915 Dive bombing attack on ships berthed northern side of Ford Island. Attack made at about 30? angle opposed with AA battery and machine gun battery. Expended about 20 rounds 5".

One plane was entirely disintegrated by DD fire.

0900-0930 Effected periodic fire on planes delivering low level bombing attack on Navy Yard and ships berthed there.
1010 Got underway, but returned to berth C-6 on receiving orders not to sortie.
1030 Got underway and started out of north channel, but received message from Tennessee "From Cincpac do not sortie". Turned around in channel and started back to berth C-6. On receipt of orders from Commander Cruisers, Battle Force proceeded via south channel and completed sortie and joined Commander Task Force One.

TOTAL AMMUNITION EXPENDED:
353 ? 5"/50 Cal.
35 ? 3"/25 Cal.
4500 ? 50 Cal. Machine Gun.


USS Phoenix (CL-46) - History

The Strange History of the Fénix

The light cruiser USS Fénix (CL46) - sixth ship of the Brooklyn Class - was launched on 12 March 1938.

On 7 December 1941 she was lying at anchor in Pearl Harbor, at a point north-east of Ford Island. When the Japanese surprise attack took place she got under way and sortied from the base, as did her sister ship São Luís e o cruzador Detroit. After the attack these three ships were ordered to join the heavy cruiser Minneapolis, and proceed westwards to meet the USS Empreendimento and Task Force 16 - which were on their way back to Pearl Harbor after ferrying aircraft to Wake Island.

Ironically a search aircraft mistook the group of four cruisers for a Japanese force, with the result that American efforts to find the carriers which had made the Pearl Harbor attack were then concentrated in the wrong direction - south of Oahu.

Fénix went on to establish a distinguished combat record in the Pacific, most of her wartime service being with Seventh Fleet - the naval arm of General Douglas Macarthur's South-West Pacific Forces - commanded by Admiral Thomas Kinkaid. She became the flagship of Task Force 75, a formation built around Fénix and her sister ships Boise e Nashville and commanded by Rear Admiral Russell S. "Count" Berkey. In April 1944 she led Task Force 75 in providing fire support for the landings at Hollandia in western New Guinea.

In the Leyte operation Fénix again served as Admiral Berkey's flagship, Berkey this time commanding Task Group 77.3 - the Close Covering Group of Seventh Fleet - a group which included Phoenix, Boise and the Australian heavy cruisers Shropshire e Austrália.

On October 24 1944 - during the Battle for Leyte Gulf - Berkey's Task Group was organised as part of Rear Admiral Oldendorf's force, which was deployed to stop the advancing Japanese Southern Force in Surigao Strait, south of Leyte Gulf. The Berkey group was placed on the right flank of the US disposition, close to the shore of Leyte Island.

In the small hours of 25 October - during the main gunfire phase of the Battle of Surigao Strait - she was in action against the Japanese flagship Yamashiro, firing her main armament at a rate of four 15-gun salvos per minute (Phoenix, Boise e Shropshire together firing a total of 1,181 rounds from their main batteries in the 17 minutes between 0351 and 0408).

From Leyte she went on to support the landings at Mindoro, Lingayen Gulf and Borneo. After World War Two she was decommissioned, and in 1951 sold to Argentina, becoming a major unit of the Argentinian Navy, finally acquiring the name General Belgrano. In the 1970's she was modernised and equipped with British Seacat short-range missiles, and Dutch radar, although she retained her original battery of fifteen 6-inch guns as her "main" armament.

She was to have been fitted with French Exocet sea-skimming surface-to-surface missiles, but these were in the event never installed.

On 26 April 1982, in the opening stages of the "South Atlantic War" between Britain and Argentina, she sortied from the port of Ushuahia, escorted by two guided-missile destroyers. On 2 May, in controversial circumstances, she was attacked without warning by the British nuclear-powered hunter-killer submarine Conquistador, and hit with two torpedoes. She sank rapidly, with the loss of 368 of her crew.


USS Phoenix (CL-46)


Figure 1: Pearl Harbor Raid, December 7, 1941. USS Fénix (CL-46) steams down the channel off Ford Island's "Battleship Row", past the sunken and burning USS West Virginia (BB-48), at left, and USS Arizona (BB-39), at right. Fotografia do Centro Histórico Naval dos EUA. Clique na fotografia para ampliar a imagem.


Figura 2: USS Fénix (CL-46) firing her 6"/47 guns during the pre-invasion bombardment of Cape Gloucester, New Britain, circa 24-26 December 1943. Photographed from the ship's fantail, looking forward. Fotografia oficial da Marinha dos Estados Unidos, agora nas coleções dos Arquivos Nacionais. Clique na fotografia para ampliar a imagem.


Figura 3: USS Fénix (right) screening escort carriers (CVE) off Leyte, 30 October 1944. Photographed from one of the CVEs. Note flight deck barriers rigged in the foreground. Fotografia oficial da Marinha dos Estados Unidos, agora nas coleções dos Arquivos Nacionais. Clique na fotografia para ampliar a imagem.


Figure 4: Port bow view of ARA General Belgrano (ex-USS Fénix) sometime prior to her sinking in 1982. Photo from NavSource Online: Cruiser Photo Archive. Clique na fotografia para ampliar a imagem.


Figura 5: General Belgrano sinking after having been attacked by the British submarine HMS Conquistador on 2 May 1982 during the Falklands war. Note that the ship’s bow has been blown off by one of the HMS Conquistador’s torpedoes. Photo courtesy of Gerhard L. Mueller-Debus. Clique na fotografia para ampliar a imagem.


Figure 6: General Belgrano sinking after having been attacked by the British submarine HMS Conqueror on 2 May 1982 during the Falklands war. Photo courtesy of Robert Hurst. Clique na fotografia para ampliar a imagem.


Figura 7: General Belgrano sinking after having been attacked by the British submarine HMS Conqueror on 2 May 1982 during the Falklands war. Photo courtesy of Robert Hurst. Clique na fotografia para ampliar a imagem.

Named after the capital of Arizona, the 9,575-ton USS Fénix (CL-46) was a Brooklyn class light cruiser that was built at the New York Shipbuilding Company in Camden, New Jersey, and was commissioned at the Philadelphia Navy Yard on 3 October 1938. The ship was approximately 608 feet long and 61 feet wide, had a top speed of over 33 knots and a crew of 868 officers and men. o Fénix was armed with 15 6-inch guns, eight 5-inch guns, and 8 .50-caliber machine guns, although additional smaller-caliber guns were added during the war.

After an initial shakedown cruise that took her along the Atlantic Coast of South America, the Fénix returned to Philadelphia in January 1939. She was then transferred to the Pacific Fleet and was based at Pearl Harbor. On the morning of December 7, 1941, the Fénix was anchored peacefully at Pearl Harbor just to the southeast of Ford Island, next to the hospital ship Consolo. Lookouts on board the Fénix spotted the Japanese planes coming in low over Ford Island and sounded the alarm. o Fénix went to “Battle Stations” and soon the ship’s guns were firing at the Japanese planes. Miraculously, the Fénix was unharmed during the attack and was able to raise steam. She left Pearl Harbor shortly after noon and joined the light cruisers São Luís (CL-49) and Detroit (CL-8), along with several destroyers, in a spontaneous search for the Japanese task force. It is fortunate that they did not locate the enemy because it seems doubtful that three light cruisers and a handful of destroyers would have lasted long against the enormous Japanese task force, which possessed several aircraft carriers and a large number of escorts.

o Fénix spent the first month of the war escorting ships between Hawaii and the West Coast. The ship was then sent to Australia, where she was based throughout 1942 and much of 1943. During this time, the Fénix witnessed the horrible Allied defeat in the Dutch East Indies, escorted convoys in the Indian Ocean and the South Pacific, and worked with US and Australian naval forces along the coast of New Guinea. On 26 December 1943, the Fénix, along with the light cruiser USS Nashville (CL-43), bombarded the Cape Gloucester area of New Britain in New Guinea for nearly four hours, destroying numerous Japanese targets. o Fénix also provided fire support for the Allied landing on New Britain, eliminating enemy targets that had not been destroyed during the initial bombardment. On the night of 25-26 January 1944, the Fénix also took part in a night raid that shelled Japanese shore installations on Madang and Alexishafen, New Guinea.

For the rest of the war, the Fénix was attached to the US Seventh Fleet in the Pacific. From March to September 1944, she took part in the Allied invasions of the Admiralty Islands, the Northern and Western coasts of New Guinea, and the island of Morotai. In addition to her duties of escorting convoys and invasion task forces, as well as providing fire support against enemy shore targets, the Fénix also assisted in the pursuit of a group of Japanese destroyers on the night of 8-9 June that were trying to bring reinforcements to the island of Biak. None of the Japanese ships were sunk because they quickly retreated after making contact with the Fénix and the other American warships that were steaming with her.

o Fénix then took part in the enormous invasion of the Philippine Islands. o Fénix was assigned to the landing on Leyte and she bombarded the beaches there before the successful Allied landing on 20 October 1944. Her guns demolished Japanese coastal targets and provided invaluable fire support to American troops that landed on shore. On the night of 24-25 October, the Fénix also took part in the famous Battle of Surigao Strait, in which American naval forces under the command of Admiral Jesse Oldendorf faced the Japanese “Southern Force” under the command of Admiral Shoji Nishimura. o Fénix fired four spotting salvoes and, when the fourth salvo hit its target, the ship began firing all of its 6-inch guns. The enemy warship the Fénix was firing at turned out to be the Japanese battleship Fuso, which sank in 27 minutes after being pounded by the Fénix and the other ships in her task force. During the battle the Japanese lost another battleship and three destroyers. A Japanese cruiser was also damaged during the battle and was sunk the next day by American aircraft. Admiral Nishimura was killed during the confrontation, which turned out to be one of the last major surface battles in naval history.

o Fénix continued serving off the coast of the Philippines for several more months, fighting off numerous Japanese air attacks and bombarding shore targets in support of American assaults on Mindoro, Lingayen Gulf, and Manila Bay. From May to July 1945, the Fénix also assisted in the landings on Borneo.

When the war in the Pacific ended on August 1945, the Fénix was steaming back to the United States for an overhaul. She reached the Panama Canal on 6 September and, after transiting the canal, was assigned to the Atlantic Fleet. She was placed in reserve at the Philadelphia Navy Yard on 28 February 1946 and was decommissioned on 3 July 1946. The Fénix received nine battle stars for her service in World War II.

o Fénix remained in Philadelphia in “mothballs” until 9 April 1951, when she was transferred to Argentina. The ship was renamed the 17 de Octubre and re-commissioned into the Argentinean Navy on 17 October 1951. In 1956 the ship was renamed yet again and called the General Belgrano. The ship served Argentina for more than 30 years, but on 2 May 1982, the Belgrano’s luck ran out. During the war with Great Britain over the Falkland Islands, the General Belgrano was torpedoed by the HMS Conquistador, a British nuclear-powered submarine. o Belgrano was hit by two Mk. 8 torpedoes (which were designed in the 1920s) and the order to “abandon ship” was given approximately 20 minutes after the attack. Shortly after that the ship rolled over and sank, taking 323 men with her. Approximately 770 men were eventually rescued by nearby Argentinean ships. o General Belgrano was the only ship ever to have been sunk by a nuclear-powered submarine.

No doubt the USS Fénix had an amazing career. She managed to survive the attack on Pearl Harbor and the entire war in the Pacific, as well as one of the largest naval confrontations in naval history, the Battle of Surigao Strait. She also went on to serve the Argentinean Navy for more than 30 years before meeting her violent end in the South Atlantic in 1982. It does seem ironic that a nuclear-powered submarine sank a cruiser that was built before World War II using a torpedo that was also designed prior to World War II. But those are the types of ironies that make naval history eerie as well as intriguing.


Conteúdo

Fénix then operated off the West Coast and was later based at Pearl Harbor where the fateful morning of 7 de dezembro de 1941 found her anchored southeast of Ford Island perto Consolo. Observers on board Fénix sighted the rising sun of Japão on strange planes coming in low over Ford Island and a few seconds later the ship's guns took them under fire. Fénix escaped the disaster unharmed and shortly after noon was underway to join São Luís, Detroit and several destruidores in an impromptu task force searching, unsuccessfully, for the enemy aircraft carriers.

Fénix next escorted the first convoy to the United States from Pearl Harbor after the attack and returned at once with another convoy. After a month of convoy duty between the Estados Unidos e Havaí, she departed São Francisco with a force bound for Melbourne, Austrália. For some time the cruiser operated in Australian waters escorting troop ships, once steaming as far north as Java. Enquanto Fénix was steaming toward Ceylon in February 1942 with a convoy which included Langley e HMS Seawitch, these ships were ordered to leave the convoy and proceed at top speed to Java with precious airplanes needed to stem the Japanese invasion of the Índias Orientais Holandesas. Langley was attacked and sunk by Japanese planes on 27 February, and Seawitch escaped the same fate only by being too slow to keep up with the carrier. During the following months, Fénix patrolled in the oceano Índico, escorted a convoy to Bombay, and was present at the evacuation of Java. [2] [3]Fénix passing West Virginia e Arizona no Pearl Harbor in 1941.Under the command of Captain Joseph R. Redman, Fénix was a part of Task Force 44 in late 1942. With her accompanying destroyers USS Helm (DD-388), USS Mugford (DD-389) e USS Patterson (DD-392), she participated in Operação Lilliput, alternating with the Australian light cruiser HMAS Hobart and her accompanying destroyers to cover the convoys south of New Guinea. [2]

Fénix departed Brisbane, Queensland, Australia for overhaul in the Filadélfia Navy Yard in July 1943 before carrying Secretary of State Cordell Hull para Casablanca. She was then assigned to the 7th Fleet and sailed for the South Pacific.

On 26 December, in company with Nashville, she bombarded the Cape Gloucester area of New Britain, smashing shore installations in a four-hour shelling. Fénix covered landing forces as they went ashore and furnished support fire against enemy strong points which had not been demolished. On the night of 25–26 January 1944, the ship took part in a night raid on Madang e Alexishafen, Nova Guiné, shelling shore installations. [4][5]Vice Admiral Thomas C. Kinkaid (left center) with General Douglas MacArthur (center) on the flag bridge of USS Phoenix during the pre-invasion bombardment of Los Negros Island.Fénix then moved to the Admiralty Islands to support the 1ª Divisão de Cavalaria in a reconnaissance-in-force on Los Negros Island on 29 February. When the troops went ashore after the prelanding bombardment, enemy resistance was so weak that a withdrawal was not necessary and the island was occupied. Em geral Douglas MacArthur was on board during the course of the operations. [3]

On 4 March and 7 March, Fénix, Nashville, e HMAS Shropshire bombardeado Hauwei Island of the Admiralty Group. Enemy guns on this island had threatened Allied positions in the Admiralties, particularly on Manus Island and, although return fire from the beach was heavy, enemy batteries ceased firing when shells from the cruisers burst in their vicinity.

Hollandia (currently known as Jayapura), New Guinea, was next to fall to the mounting amphibious offensive. This largest assault till then undertaken by American forces, was launched by 200 ships. Fénix shelled the shore in the Humboldt Bay-Hollandia area as the troops went ashore on 22 April, and supported them as they consolidated their gains and prepared for further attacks along the northwest coast of the big island. Fénix shelled airfields and plane dispersal areas at Wakde e Sawar on the night of 29–30 April to neutralize the danger of air attack on newly-won Allied positions on New Guinea.

General Douglas MacArthur's troops next landed at Arare on 17 May to secure airfields to support further operations in the Netherlands New Guinea área. This beachhead was later extended to include Wakde Island by a shore to shore movement of troops. Fénix bombarded the Toem area and escorted the troops to the landing beach.

An amphibious assault on Biak Island, Geelvink Bay, followed. There, MacArthur planned to establish a forward base for heavy bombers. Com Nashville e Boise, Fénix sortied from Humboldt Bay on 25 May and two days later supported the landing. Resistance was stubborn. While the task force fired on shore installations, two of the escorting destroyers were hit by shells from shore batteries. Fénix wiped out the gun emplacement with two salvos from her 5 in (130 mm)/25 cal baterias.

On 4 June, off the northwest coast of New Guinea, eight Japanese fighter bombers atacado Phoenix's task force. Two confined their attention to Fénix. Although the ship's gunfire did not hit the planes, it diverted their bomb runs. Both planes dropped bombs, one of which burst in the water close to Fénix, killing one man and wounding four others with fragments. The ship also suffered some underwater leakage and damage to her propellers. The following night, aircraft again attacked Fénix. This time, low-flying torpedo bombers struck as she proceeded through Japan Strait, between Biak Island and New Guinea, but her gunfire and evasive tactics prevented damage.

Fénix and her task force frustrated an enemy attempt to reinforce their garrisons on the night of 8–9 June. When they contacted the American ships, the Japanese destroyers turned and fled at such high speed that only one US destroyer division was able to get within firing range. After a running fight of three hours at long range, Fénix and her sisters broke off action.

Com Boise and ten destroyers, Fénix sortied from Seeadler Harbor in the Admiralties and bombarded shore defenses before American forces landed on Noemfoor Island on 2 July. After the battle, many dead Japanese and wrecked planes were found in the target area assigned to Fénix.

Boise, Nashville, Shropshire, Fénix e HMAS Austrália joined for the occupation of Morotai no Molucca Islands on 15 September. The cruisers shelled nearby Halmahera Island to cover the landing and protect the assault forces as they went ashore against continuing light opposition.

The long-awaited re-conquest of the Filipinas began with the landing on Leyte. Fénix, attached to the Close Covering Group, heavily bombarded the beaches before the highly successful landing on 20 October. Her batteries silenced an enemy strong point holding up the advance of a battalion of the 19th Infantry Regiment and continued to furnish effective callfire.

No battle of Leyte Gulf, Fénix was a unit of Rear Admiral Jesse Oldendorf's group which annihilated the Japanese Southern Force in the battle of Surigao Strait. Fénix fired four spotting salvoes, and when the fourth hit, opened up with all of her 6" (152mm) batteries. The target later proved to be Yamashiro, which sank after 27 minutes of concentrated fire from the American fleet. The Japanese also lost Fusō and three destroyers in the battle, and American planes sank Mogami no dia seguinte.

Fénix then patrolled the mouth of Leyte Gulf to protect Allied positions on shore. On the morning of 1 November 1944, ten enemy torpedo-bombers attacked her and accompanying ships. At 0945, Fénix opened fire and five minutes later, Claxton was hit by a Kamikaze. Almost at the same instant, hits from Fénix ' s 5 in (130 mm) guns set another plane afire but could not prevent it from diving into the starboard bow of Ammen. At 0957, a plane making a torpedo run on Fénix was shot down by the ship's machine-gun fire, but in a few minutes a bomber hit Killen.

After a lull of two and a half hours, more Kamikazes arrived and, at 1340, scored a hit on Abner Read. Japanese aircraft attacked the other destroyers as they stood by the sinking ship, but Fénix shot down one of the raiders.

Fénix was attacked again by enemy planes on 5 December and was credited with assisting in the destruction of two attackers. Five days later, a Kamikaze attempted to crash into the ship but was brought down by 40mm fire when only 100 yd (100 m) away. [6][7]USS Pearl Harbor (LSD 52) Commanding Officer and fellow officers pay homage to a memorial dedicated to the Argentinean ship ARA General Belgrano during a 25th anniversary remembrance serviceWhile proceeding to the assault area off Mindoro on 13 December, the ship was constantly under air attack by single Kamikazes. That day, a lone Kamikaze bater Nashville. On 15 December, a 5" (127mm)shell from Fénix brought down a circling plane at 8,500 yd (7.8 km). The ship then furnished her usual fire support and covered the landing forces. This gave the Allies a base from which to strike at Japan's shipping lanes through the South China Sea and to soften up Luzon for forthcoming landings.

Em rota para Lingayen Gulf for the invasion of Luzon, lookouts on board Fénix sighted the conning tower of a diving submarine no Mindanao Sea desligado Siquijor. The submarine submerged and fired two torpedoes which Fénix dodged. Taylor blew the midget sub to the surface and rammed her.

Next came Bataan e Corregidor, taken from 13–28 February 1945. Fénix covered minesweeping operations at Balikpapan, Borneo, from 29 June to 7 July. Resistance from coastal guns was unusually heavy. Mines and shellfire sank or damaged 11 minesweepers. Fénix furnished supporting fire and the assault waves landed.

Fénix was en route to Pearl Harbor for overhaul when Japan capitulated. She headed home and, upon reaching the Canal do Panamá on 6 September, joined the Frota atlântica. Her status was reduced to in commission, in reserve, at Philadelphia on 28 February 1946.


USS Phoenix (CL-46) (1938)

Question &ndash What American built ship was torpedoed and sunk by a British submarine during the Falklands War?

Answer &ndash USS Phoenix also known as ARA General Belgrano (Argentina)

mv2.jpg/v1/fill/w_185,h_114,al_c,q_80,usm_0.66_1.00_0.01,blur_2/USS%2520Phoenix%2520-%2520Broadside%2520View%2520P.jpg" />

mv2.jpg/v1/fill/w_143,h_114,al_c,q_80,usm_0.66_1.00_0.01,blur_2/220px-USS_Phoenix_(CL-46)_steams_down_th.jpg" />

USS Phoenix (CL-46) - Leaving Pearl Harbor after Japanese attack December 1941

USS Phoenix - Built by New York Shipyard and commissioned in 1938. USS Phoenix was anchored in Pearl Harbor 7 December 1941 but away from the main Japanese target area and escaped damage. She was a light cruiser, 600 feet long, 61 foot beam, draft of 20 feet, 4 screws and capable of 32 knots. Armament included 15 six inch guns and 8 five inch guns. After the attack she was part of a task force that unsuccessfully tried to locate the Japanese carrier that launched the attack. Highlights of the ships WWII activities are:

1942 Escorted a convoy of military ships from San Francisco to Australia and Indian Ocean. Escorted convoys from Australia to Bombay (now Mumbai) India, at evacuation of Java after Japanese invasion, escorted ships just north and east of Australia.

1943 & 1944 Staying in the area north and east of Australia. Provided covering support for landing forces as they went ashore in areas north of New Guinea (about 1000 miles north of Australia).

October &ndash December 1944 &ndash Return to Philippine Islands. USS Phoenix supported operations in returning General MacArthur to the Philippine Islands and was under frequent kamikaze attacks. The attacks caused much damage to surrounding ships of the task force but Phoenix escaped major damage.

1945 &ndash provided support for operations in or near South China Sea between Philippines and Indonesia.

1946 &ndash Placed in reserve status.

1951 &ndash Sold to Argentina and renamed ARA General Belgrano.

mv2.jpg/v1/fill/w_134,h_94,al_c,q_80,usm_0.66_1.00_0.01,blur_2/300px-ARA_General_Belgrano_underway.jpg" />

ARA Belgrano (Argentine) - Sunk in Falkland War

Falklands War &ndash 2 April 1982 - There was a longstanding dispute between the United Kingdom and Argentina over sovereignty of the Falkland Islands in the South Atlantic. The islands were the sovereignty of the British. The population of the islands is mostly British and they did not want the sovereignty status to change. The Argentine government was controlled by a series of military personnel and was not popular with many of the Argentine people. At least partially for political reasons, the government decided to invade the islands. A very hot war ensued. The war resulted in the sinking of ARA General Belgrano by the British nuclear submarine HMS Conqueror and the sinking of HMS Sheffield by an Exocet guided missel fired by the Argentine Navy. It also resulted in a land battle to regain control over the capital city of Stanley. The war lasted for about 10 weeks and resulted in a victory for the United Kingdom.