James Graham. Conde de montrose

James Graham. Conde de montrose

James Graham, filho do 4º conde de Montrose, nasceu em 1612. Depois de ser educado no St. Salvator's College, em St. Andrews, ele viajou para a França, Itália e Holanda.

Montrose voltou para a Escócia em 1637 e logo depois foi um dos quatro nobres que redigiram o Pacto Nacional em apoio ao presbiterianismo. No entanto, em 1639, ele expressou dúvidas sobre o Pacto e depois que confessou que estava se comunicando com Carlos I, seu principal oponente político, o conde de Argyll, providenciou para que ele fosse confinado no Castelo de Edimburgo.

Após sua libertação, ele decidiu apoiar o rei durante a Guerra Civil. Em agosto de 1644, ele derrotou os Covenanters sob o comando de Lord Elcho em Tippermuir. Ele então capturou Aberdeen (setembro de 1644) e saqueou o campo. Em Inverlochy (fevereiro de 1645), seu exército matou 1.500 Campbells em batalha. Ele alcançou novas vitórias em Auldearn (maio de 1645) e Alford (junho de 1645).

Montrose foi derrotado por David Leslie em Philiphaugh (setembro de 1645). Ele conseguiu levantar outro exército nas Terras Altas, mas após a rendição de Carlos I, ele fugiu para a Europa.

Montrose recebeu uma oferta de um posto sênior no exército francês, mas comprometido com a causa monarquista, ele retornou à Escócia com um pequeno exército em abril de 1650. Três semanas depois, ele foi derrotado em Carbisdale.

James Graham, 5º conde de Montrose, foi enforcado, desenhado e esquartejado em Mercat Cross em Edimburgo em maio de 1650. Seus membros foram exibidos em Glasgow, Aberdeen, Stirling e Perth.


A Execução de Montrose

Richard Cavendish descreve a execução de James Graham, Marquês de Montrose, em 21 de maio de 1650.

James Graham, marquês de Montrose, soldado, poeta e uma das figuras mais românticas da história britânica, liderou uma campanha de brilhantismo arrojado como capitão-geral monarquista na Escócia contra os Covenanters e seu amargo inimigo pessoal, o marquês de Argyll, no verão de 1645. Com uma pequena força de movimento rápido de Highlanders e irlandeses, ele correu anéis audaciosos em torno de seus oponentes até setembro, quando foi finalmente imobilizado e derrotado por números superiores em Philiphaugh nas Fronteiras.

Montrose fugiu para o continente, mas era um homem de ação que se preocupava com a segurança do exílio e, em 1650, voltou às Terras Altas para lutar por Carlos II. Ele falhou em criar clãs em número suficiente e em abril foi preso e derrotado em Carbisdale. Depois de vagar nas colinas com o hue e gritar contra ele, com tanta fome que foi reduzido a comer suas luvas, ele se refugiou no castelo Ardvreck com Neil MacLeod de Assynt, mas havia uma recompensa substancial a ser conquistada por ele e Macleod o entregou às autoridades. Macleod conseguiu seu dinheiro e seu nome fede nas narinas escocesas desde então.

Os captores de Montrose o levaram para o sul por Inverness e Dundee, precedidos por um arauto que proclamou: "Aí vem James Graham, um traidor de seu país". Montado em um cavalo de carro, ele chegou a Edimburgo em uma tarde fria de sábado de maio, na presença de uma grande multidão. No Water Gate ele foi recebido pelo carrasco, transferido para a carroça do carrasco e amarrado ao assento, para ser levado pelas ruas até a prisão de Tolbooth. Argyll estava observando de uma casa na rota e os olhos dos dois homens se encontraram por um momento enquanto a carroça passava. Longe de apedrejar e insultar o prisioneiro, como se esperava, a multidão que assistia ficou em silêncio e os observadores sentiram um ar de admiração e simpatia relutantes. A carroça chegou à prisão de Tolbooth por volta das sete horas da noite. Montrose passou o domingo em sua cela, incomodado por ministros presbiterianos, que renovaram o ataque na segunda-feira, quando foi levado ao Parlamento para ouvir a sentença de morte.

Na terça-feira de manhã, Montrose se levantou pela última vez na Terra e se aprontou. Penteando cuidadosamente seus longos cabelos, ele foi censurado por um dos teólogos puritanos por prestar tanta atenção à sua aparência em tal época. "Minha cabeça ainda é minha", respondeu Montrose. "Esta noite, quando for seu, trate-o como quiser". Às duas da tarde, ele foi levado a pé pela High Street até a Mercat Cross, onde uma forca de 30 pés de altura havia sido erguida em uma plataforma. O condenado estava vestido com seu melhor escarlate e renda, com luvas brancas, meias de seda, sapatos de fita e chapéu na mão. Ele tinha 37 anos e, segundo um observador, parecia mais um noivo do que um criminoso. Outro viu nele "uma bravura que fortaleceu a multidão". Ele não teve permissão para se dirigir aos espectadores, por medo do que poderia dizer. Ele deu ao carrasco algum dinheiro, seus braços foram presos atrás dele e ele subiu a escada. Suas últimas palavras foram relatadas como "Deus, tenha misericórdia desta terra aflita!" Lágrimas escorriam pelo rosto do carrasco quando ele o empurrou.

O corpo foi deixado pendurado por três horas e, em seguida, foi cortado e desmembrado para que os membros fossem enviados para exibição pública em Stirling, Aberdeen, Perth e Glasgow. A cabeça foi cortada e fixada em um espigão no Tolbooth, onde permaneceu apodrecendo por onze anos, quando a cabeça de Argyll ocupou seu lugar. O resto da carcaça foi enterrado em uma caixa no Burgh-Moor, de onde foi resgatado após a restauração de Carlos II e recebeu sepultamento honroso no Alto Kirk de St Giles, onde um nobre monumento marca a sepultura hoje.


Montrose e a Guerra Civil

Seu nome pode não ser tão conhecido como o de Robert the Bruce e William Wallace - mas James Graham, conde de Montrose, foi um dos maiores heróis que a Escócia já produziu.

Como Bruce e Wallace, Montrose foi um estrategista brilhante e lutador destemido que tinha o dom de ser capaz de inspirar seus homens a vitórias deslumbrantes.

A maior diferença era que enquanto os dois grandes guerreiros medievais da Escócia eram patriotas que lutaram exclusivamente por seu país, Montrose lutou por seu rei e pela causa monarquista dos monarcas Stewart.

As campanhas de James Graham em nome de Carlos I foram tão notáveis ​​que deram ânimo aos monarquistas de toda a Grã-Bretanha que lutavam contra as forças parlamentares na Guerra Civil.

Na Escócia, os inimigos de Montrose eram os Covenantors - os escoceses que assinaram o Pacto Nacional de 1638 em uma tentativa de proteger a fé calvinista reformada contra as tentativas do rei Carlos de impor uma forma de adoração inglesa e anglicana na Escócia.

Em teoria, Montrose deveria ter sido derrotado em praticamente todas as jogadas. Em vez disso, ele lutou com tanta habilidade e determinação que derrotou seus inimigos e reivindicou fatias da Escócia para o rei repetidas vezes.

Na época em que a Guerra Civil começou na Inglaterra, Montrose foi feito marquês e oficialmente nomeado Tenente do Rei na Escócia. Além de sua própria astúcia, ele também tinha uma grande vantagem por ter o apoio do brilhante Alastair MacDonald de Colonsay, que veio originalmente da Irlanda e também era conhecido como Coll Keitach. Em 1644, com apenas 2.200 homens, a dupla capturou Dumfries dos Covenantors e então passou a tomar a cidade de Morpeth em Northumberland.

Montrose obteve uma vitória ainda mais espetacular no final daquele ano, quando derrotou o exército do Covenanting em Tibbermore perto de Perth. Ele ainda tinha menos de 3.000 homens, enquanto seu inimigo tinha mais do que o dobro desse número.

A maioria das tropas de Montrose veio das Terras Altas e voltaram para casa depois de ajudar a vencer a batalha em Tibbermore. Montrose, no entanto, seguiu em frente e mudou-se para o norte. Quando ele chegou a Aberdeen, ele tinha apenas 1.500 homens.

Isso, no entanto, não o impediu de lutar mais. Mais uma vez, ele enfrentou um exército do Covenant muito superior e mais uma vez venceu. Ele tomou Aberdeen, onde foi capaz de obter reforços e se preparar para uma nova batalha.

A essa altura, Montrose se sentia confiante o suficiente para tentar atacar o próprio coração do inimigo. Ele decidiu assumir Archibald Campbell, o ferozmente calvinista conde de Argyll, em seu próprio território na fortaleza montanhosa de Inveraray.

Suas táticas pareciam quase lunáticas. O inverno estava chegando e a posição Campbell em Inveraray, com o mar em três lados e as montanhas no quarto, parecia virtualmente inexpugnável. Mas quando Argyll soube que Montrose estava a caminho, ele entrou em pânico e fugiu para o Loch Fyne, deixando centenas de suas tropas como presas fáceis para os homens de Montrose.

Em fevereiro seguinte, Montrose lançou outro ataque a Campbell. Ele encenou um ousado ataque guerrilheiro ao amanhecer, com os MacDonalds de Coll Keitach descendo as encostas de Ben Nevis em Inverlochy. Mais uma vez, o próprio Argyll escapou e, mais uma vez, seus homens foram mortos à espada. A contagem final de corpos foi de 1.500 mortos no Covenanting, enquanto apenas 10 monarquistas morreram.

Vitória após vitória se seguiu. Montrose continuou a usar seus talentos de liderança carismática, velocidade de ataque e surpresa na batalha para derrotar o inimigo. Ele capturou Dundee e venceu uma série de outras escaramuças até que as Terras Altas fossem efetivamente suas.

Tendo desarmado Campbell, Montrose voltou sua atenção para as terras baixas. Ele marchou para Glasgow, embora neste ponto Coll Keitach o tenha deixado para retornar às Terras Altas e, eventualmente, à Irlanda. As tropas das Terras Altas de Montrose também desertaram. Mesmo agora, no entanto, ele foi capaz de tomar Edimburgo, embora os Covenantors mantivessem o controle do castelo.

Com Campbell a uma distância segura em Berwick, Montrose começou a formar um governo escocês em nome do rei Charles. No entanto, sua glória duraria pouco. O melhor general dos Covenantors, David Leslie, voltou para a Escócia com uma força de 4.000 homens, e seu exército bloqueou as tentativas de Montrose de se unir a Charles na Inglaterra.

Os dois lados se encontraram em Philiphaugh, perto de Selkirk. Desta vez, foi o exército pactuante, comandado por Leslie, que deu a surpresa. A luta que se seguiu se transformou em um banho de sangue e quando ficou claro que ele havia perdido o dia, Montrose teve que ser persuadido a fugir do campo de batalha para sua própria segurança.

Com seu maior inimigo escocês neutralizado, as forças do Covenanting assumiram o controle. Sob os termos do Liga e aliança solenes eles haviam assinado com as forças parlamentares anti-monarquistas na Inglaterra, eles já estavam lutando contra Carlos I ao sul da fronteira. Quando ele se rendeu em Southwell, perto de Newark, em 1646, foi para um exército escocês.

Depois de tentar, sem sucesso, persuadir o rei a assinar o Pacto, os escoceses finalmente o entregaram aos ingleses em troca de suas despesas de batalha. No entanto, ainda havia uma saída para o rei derrotado. Um dos principais arquitetos da Solemn League and Covenant, o conde de Lauderdale, viajou para vê-lo e ofereceu a Charles o apoio dos militares escoceses se ele convertesse a Inglaterra ao presbiterianismo por um período experimental de três anos.

O rei, sem mais nada a perder, concordou. Mas o movimento, conhecido como O noivado, dividiu os presbiterianos escoceses e finalmente se extinguiu quando um exército escocês liderado pelo duque de Hamilton e lutando por este acordo foi derrotado pelos parlamentares comandados por Oliver Cromwell em Preston, Lancashire.

Para Charles, foi o fim. Ele foi julgado pelo parlamento inglês, considerado culpado e decapitado fora de Whitehall em janeiro de 1649. Montrose, que a essa altura estava exilado em Bruxelas, jurou que trabalharia para vingar sua morte.

O rei havia deixado um filho de 18 anos, também Carlos, que foi proclamado rei dos escoceses em Edimburgo após a execução de seu pai. No entanto, ele não poderia realmente assumir o trono antes de assinar o documento que seu pai rejeitou - a Liga Solene e o Pacto.

Montrose advertiu Carlos II contra a assinatura do documento, dizendo que, em vez disso, ganharia o trono por meios militares. O rei secretamente continuou a conversar com Argyll sobre a assinatura do pacto, mas concordou que Montrose poderia embarcar em uma campanha para restaurar sua monarquia.

Montrose começou sua nova expedição militar desembarcando em Orkney com uma força de cerca de 500 mercenários recrutados da Alemanha e Dinamarca. Ele então reuniu recrutas locais antes de seguir para o continente. Mas sua aventura foi um desastre.

Quando ele lutou contra as forças escocesas em Carbisdale, seu exército foi destruído. Montrose fugiu do campo de batalha e se escondeu no deserto de Sutherland, mas foi capturado apenas dois dias depois.

Depois de ser levado para Edimburgo, foram feitos os preparativos para sua execução. Não houve necessidade de um julgamento - convenientemente, os Covenantors o declararam um traidor em 1644. Ele deveria ser enforcado, puxado e esquartejado na Cruz de Mercat.

Como sempre acontecia com as execuções, uma multidão se reuniu, mas desta vez eles estavam chorando em vez de zombar. Depois de ser enforcado, sua cabeça foi colocada em uma estaca no Tolbooth de Edimburgo, enquanto outros pedaços de seu corpo foram enviados para Aberdeen, Glasgow, Stirling e Perth.

O que Montrose não soube antes de sua morte foi que o desagradável Carlos II o traíra. Ele havia feito um acordo com Argyll e finalmente assinou o Pacto Nacional e a Liga e Aliança Solene.

Para Charles, foi uma vitória vazia. Ele foi forçado a aceitar o governo dos presbiterianos, que não confiavam nele e eram incapazes de governar com eficácia. E havia outro problema. Na Inglaterra, Oliver Cromwell, Lorde Protetor e vencedor na Guerra Civil, tinha planos para a Escócia também ?.


ExecutedToday.com

Nesse dia de 1650, James Graham, conde de Montrose, foi enforcado em Edimburgo.

O trágico & # 8220Great Montrose & # 8221 era conhecido por seu gênio tático no campo de batalha durante as guerras civis que custaram ao rei Carlos I a coroa e a cabeça. Embora Montrose morresse como monarquista, ele entrou pela primeira vez nas listas na Guerra dos anos 1630 & # 8217 Bishops & # 8217 como parte do exército Covenanter resistindo à tentativa do rei & # 8217 de impor o governo religioso de cima para baixo na Escócia.

Mas Montrose era o moderado e pós-guerra dos bispos se tornou um dos principais expoentes da facção pró-reconciliação, duramente combatida pelo chefe do clã Campbell, o marquês de Argyll.

Esses dois se tornaram os pólos opostos para a guerra civil que se seguiu na Escócia, ao mesmo tempo uma guerra de clãs local e o vórtice de um conflito de fronteira que sugou a Irlanda e a Inglaterra também. Embora Montrose, agora tenente-general do rei Charles & # 8217 na Escócia, pudesse chutar o rabo na batalha, sua facção foi dividida e, finalmente, superada em número pelos Covenanters. Montrose teve que fugir da Escócia para o exílio em 1646.

A execução de Carlos I abriu as portas para o fim prematuro de Montrose & # 8217, em um daqueles casos clássicos de traição. O exilado Carlos II, tendo agora herdado a reivindicação, nomeou Montrose seu tenente na Escócia e despachou o paladino de longa data de sua família de volta ao solo nativo para tentar formar um exército. Mas, mesmo enquanto fazia isso, ele estava negociando com os Covenanters de Argyll & # 8217s, que viram uma chance de cumprir seus objetivos políticos e religiosos ao jogarem de fazedores de reis com seu antigo inimigo.

Então, quando Montrose desembarcou em 1650, ele encontrou pouco apoio e foi derrotado na Batalha de Carbisdale. Depois de vários dias errantes, ele buscou refúgio com um ex-amigo que ele não sabia que agora também estava do lado do governo, e foi prontamente preso e entregue a seus inimigos para execução e por indignidades póstumas: sua cabeça foi montada um pique no topo do Tolbooth de Edimburgo e # 8217s, e seus quatro membros pregados nos portões de Stirling, Glasgow, Perth e Aberdeen.

Após o fim do Protetorado de Cromwell & # 8216s e a restauração real de Carlos II, esses restos mortais foram recolhidos e enterrados com reverência na Catedral de St. Giles. Os atuais duques de Montrose são seus descendentes diretos.

James Graham, conde de Montrose e sua execução têm a honra ainda mais considerável de uma homenagem em verso do lendário poeta terrível William McGonagall. (O próprio Montrose também era conhecido por tentar a sorte na poesia.)

A Execução de James Graham, Marquês de Montrose Um Poema Histórico

& # 8216 Foi no ano de 1650 e no dia 21 de maio,
A cidade de Edimburgo foi colocada em estado de consternação
Pelo barulho de tambores e trombetas, que se erguiam no ar,
Que o grande som atraiu a atenção de Montrose.

Quem perguntou ao capitão da guarda a causa disso,
Então o oficial disse a ele, como ele achou mais adequado,
Que o Parlamento, temendo uma tentativa de resgatá-lo,
Os soldados foram chamados às armas, e isso fez o barulho.

Eu, disse Montrose, continuo com esse terror ainda?
Agora, quando esses bons homens estão prestes a derramar meu sangue,
Mas deixe-os olhar para si mesmos, pois depois que eu morrer,
Suas consciências perversas estarão em constante temor.

Depois de comer um farto café da manhã, ele começou a ir ao banheiro,
O que, em seus maiores problemas, ele raramente esquecia.
E enquanto no ato de pentear o cabelo,
Ele foi visitado pelo Registro de Escriturários, que o fez olhar,

Quando ele disse que não deveria ser tão meticuloso com a cabeça,
Pois em poucas horas ele estaria morto
Mas Montrose respondeu: Enquanto minha cabeça é minha, vou vesti-la à vontade,
E amanhã, quando se tornar seu, trate-o como quiser.

Ele era servido pelos magistrados da cidade,
Mas, infelizmente! por ele não tiveram piedade.
Ele estava vestido com uma capa soberba, ornamentada com renda de ouro e prata
E antes da hora da execução, uma imensa assembleia de pessoas rodeava o local.

Da prisão, de cabeça descoberta, em uma carroça, eles o transportaram ao longo do Watergate
Para o local de execução na High Street, onde cerca de trinta mil pessoas esperaram,
Alguns chorando e suspirando, uma visão lamentável de se ver,
Todos esperando pacientemente para ver o carrasco enforcar Montrose, um homem de alto escalão.

Em torno do local de execução, todos eles foram profundamente afetados,
Mas Montrose, o nobre herói, não parecia o menos abatido
E quando estava no cadafalso, disse seu biógrafo Wishart,
Um ar tão grandioso e majestoso, que fez as pessoas começarem.

À medida que se aproximava a hora fatal em que ele teria que dar adeus ao mundo,
Ele disse ao carrasco para se apressar e passar rapidamente,
Mas o carrasco sorriu severamente, mas não disse uma palavra,
Em seguida, ele amarrou o Livro de Montrose & # 8217s Wars em volta do pescoço com uma corda.

Então ele disse ao carrasco que seus inimigos se lembrariam dele no futuro,
E ele estava tão satisfeito como se Sua Majestade o tivesse feito Cavaleiro da Jarreteira
Então ele pediu permissão para cobrir sua cabeça,
Mas sua permissão foi negada, mas ele não sentiu medo.

Ele então pediu licença para manter sua capa,
Mas também foi negado, o que foi um golpe muito doloroso
Então ele disse aos magistrados, se eles pudessem inventar mais torturas para ele,
Ele suportaria todos eles pela causa que sofreu, e pensaria que não era pecado.

Ao chegar ao topo da escada com grande firmeza,
Sua aparência heróica impressionou muito os espectadores,
Então Montrose perguntou ao carrasco por quanto tempo seu corpo ficaria suspenso,
Três horas foi a resposta, mas Montrose não ficou nem um pouco ofendido.

Então ele presenteou o carrasco com três ou quatro moedas de ouro,
A quem ele perdoou livremente, para sua honra, diga-se de passagem,
E disse a ele para jogá-lo fora assim que ele erguesse as mãos,
Enquanto o carrasco assistia ao sinal fatal, fica surpreso.

E no nobre patriota levantando as mãos, o carrasco começou a chorar,
Então, rapidamente, ele puxou a corda para baixo da forca no alto,
E ao redor do pescoço de Montrose ele fixou a corda muito suavemente,
E em um instante o grande Montrose foi lançado para a eternidade.

Em seguida, os espectadores expressaram sua desaprovação por meio de gemidos gerais,
E todos eles se dispersaram silenciosamente e voltaram para casa
E seus mais amargos inimigos que viram sua morte naquele dia,
Seus corações estavam cheios de tristeza e consternação.

Assim morreu, aos trinta e oito anos, James Graham, Marquês de Montrose,
Que foi levado a uma sepultura prematura por seus adversários amargos
Um comandante que adquiriu grande glória militar
Em um curto espaço de tempo, que não pode ser igualado na história.


História da Família Graham

O tratamento e a tortura dispensados ​​a esses religiosos piedosos, que se apegaram tenazmente aos princípios da fé presbiteriana, pela [2] igreja da Inglaterra, sob o falso manto da religião, por si só ocupariam um volume muito maior do que o contemplado nestas páginas, e a referência é feita apenas para mostrar o caráter severo e inabalável de um povo que foi levado de um posto a outro e sofreu dificuldades e degradações quase insuportáveis, em vez de se afastar de um princípio que acreditavam ser os ensinamentos do Bíblia, além de ter a aprovação de sua consciência. Assim, mais de dois séculos atrás, nossos pais ancestrais deixaram suas belas casas em sua terra natal, e procurando pela última vez nas espadas verdes inclinadas das Colinas Grampian e despediram-se para sempre dos túmulos de seus pais e mães, e deixaram para trás tudo o que era próximo e querido para eles, mesmo como sua própria adorável Escócia, e iniciou sua marcha para a Ilha Esmeralda, na vã esperança de que as perseguições e provações que até então haviam tornado a vida hedionda cessassem e eles ficassem livres para exercer sua fé [,] que há tanto tempo era o desejo de sua consciência. [3] Mas, infelizmente! para as expectativas humanas. Sua permanência é apenas por um tempo, até que a ampla e convidativa terra do outro lado do Atlântico os ordenou mais uma vez a retomar sua linha de marcha e plantar suas casas no Novo Mundo, onde seriam livres para adorar a Deus de acordo com os ditames de seus própria consciência, livre da igreja ou do estado. Entre as muitas famílias que assim emigraram da Escócia para a Irlanda e mais tarde da Irlanda para a América, podemos citar os seguintes nomes: Forbesses, Stuarts, Hamiltons, Montgomerys, Alexanders, Grahams, Shaws, Moores, Lewises, Pattons, Mathews, Prestons, Baxtons , Lyles, Grigsbys, Crawfords, Comminses, Browns, Wallaces, Wilsons, Caruthers, Campbells, McClungs, McCues, McKees, McCowns, Lockridges, Boyds, Barclays, McDonals e Baileys, descritos como, & # 147 cavaleiros e cavalheiros da Escócia, cuja prosperidade vale até hoje. & # 148 Eles eram presbiterianos irlandeses, que, sendo de origem escocesa, eram chamados de escoceses-irlandeses.

[4] Esses nomes são hoje familiares palavras de uso doméstico dos nomes de nossa própria terra e são apenas uma repetição, e da mesma descendência linear de seus nobres ancestrais, que, mais de dois séculos atrás sempre estiveram firmes ao Magna Charta dos direitos escoceses, e se reuniram sob seus bravos estandartes, brasonados com a fé de seu próprio credo, nas famosas letras douradas, & # 147Por Cristo & # 146s Coroa e Aliança & # 148, eles esperaram destemidos, a tirania de seus inimigos .

Como já dissemos, sua permanência na Irlanda foi apenas temporária, pois uma grande parte dos que emigraram para lá. Claro, muitos prejudicados pela pobreza e outras causas, sem dúvida, fizeram disso seu lar permanente.

O alívio que buscavam, eles encontraram apenas temporário em suas novas casas encontradas na Irlanda. Sob o governo de reis tiranos, seu sofrimento e punição eram suportáveis ​​apenas por seus contrastes com o sofrimento anterior. Dízimos e impostos exigidos de suas propriedades destruídas para sustentar uma igreja, não por sua própria escolha, impedidos [5] de falar suas próprias opiniões vivendo em uma terra estranha habitando entre inimigos de sua fé, tudo combinado para torná-los um povo infeliz e inquieto. Ansiando por novas casas, os sussurros silenciosos cruzaram o oceano de que o Mayflower, anos antes, havia pousado outros, perseguidos como eles, em segurança do outro lado das águas azuis. Isso lhes deu esperança. & # 147 Pois tu, ó Deus, nos provaste, e nos provaste como a prata é provada, trouxeste-nos à rede, puseste aflições sobre os nossos lombos, fizeste com que os homens passassem sobre as nossas cabeças passamos pelo fogo e pela água mas embora nos tenha levado a um lugar rico. & # 148 Reunindo os poucos bens materiais que possuíam, que eram muito escassos, e freqüentemente nada, exceto sua Bíblia. Eles embarcaram para o Novo Mundo, pousando nas margens do Deleware, [sic] e muitos descansaram por uma temporada na Pensilvânia.

William Penn, tendo sido anteriormente um súdito do Rei da Inglaterra, e testemunhado a perseguição de sua própria igreja (embora ele próprio fosse um dos favoritos do Rei Jaime), era natural que essas pessoas procurassem no Novo Mundo, aqueles que foram perseguidos por causa da consciência no velho mundo.

Entre aqueles que buscavam alívio fresco e novas casas em meio às florestas inexploradas da América, poucos se posicionaram em posições mais elevadas ou ocuparam posições mais exaltadas do que os Graham. Durante aquela luta sangrenta, traiçoeira e sempre memorável na Inglaterra, Irlanda e Escócia, na qual o rei Jaime foi destronado e William, Price of Orange, um presbiteriano, tornou-se seu sucessor & # 151, uma época em que nenhum homem podia permanecer neutro, mas , todos devem declarar, ou para a honrada igreja estabelecida da Inglaterra, o papistério do Rei Jaime, ou para aquela fé que eles acreditavam ser ensinada nas Sagradas Escrituras. De acordo com os ditames de sua própria consciência, os Grahams ocuparam posições de destaque em ambos os lados.

Um certo Richard Graham, conhecido como Visconde Preston, ocupou o cargo de Secretário de Estado da [7] Escócia, sob o rei Jaime, por volta do ano de 1685 e a história nos diz que ele era um [dos] conselhos privados e os mais confiáveis ​​conselheiros da o rei que seus planos e recomendações eram freqüentemente seguidos, ao invés dos do próprio rei. Como líder da Câmara dos Comuns, ele aconselhou o Rei James a remontar as Casas do Parlamento, a fim de assegurar um acordo pacífico para as diferenças entre a Igreja e o Estado. Ele também foi feito Lorde Tenente para os condados de Cumberland e Westmoreland, uma posição muito rara e notável para um homem ocupar.

Durante a ausência do rei James do trono, que, por causa de seu medo de opositores, fugiu para Salisbury, Richard Graham e quatro associados foram nomeados para um comitê, conhecido como Conselho dos Cinco, para tratar dos negócios do Trono até o tempo que pode ser considerado conveniente para o rei retornar.

Os cargos de alta honra e confiança, detidos e ocupados por este homem eram muitos, e para ensaiar [8] todos eles em detalhes, exigiria mais espaço do que é nosso propósito consumir neste breve esboço, é suficiente dizer que ele parece ter sido um líder de seu partido em assuntos cívicos e militares, um ministro nas cortes de países estrangeiros honrado, confiável e respeitado, e podemos acrescentar, obedecido por reis temidos e estimados pela Câmara dos Comuns, e mantidos no mais alto respeito pelas pessoas comuns. Embora ele fosse verdadeiro e devotado ao rei Jaime, no sentido de patriotismo, não parece que ele fosse um perseguidor daqueles que diferiam dos pontos de vista religiosos do rei.

James Graham, de Claverhouse, visconde de Dundee, também foi um personagem notável naquela luta memorável, e embora sua perseguição àqueles que diferiam das convicções religiosas do rei James deva ser deplorada, nos consolamos no fato de que ele cumpriu os ditames e decretos de seu Mestre. Que sua fidelidade ao rei sempre foi verdadeira por toda a vida, e mesmo na hora da morte, é totalmente comprovado [9] em sua última declaração, depois de ter passado uma vida agitada na causa do rei.

Depois que o rei Jaime desocupou o trono, Guilherme e Maria foram coroados triunfantemente, e os exércitos de Jaime foram abandonados e dispersos, o general Graham, com sua vontade indomável e energia para sempre admirada, esperando contra a esperança, reuniu-se como ele pôde do exército fragmentário remanescente de seu mestre fugitivo e se dirigiu às Terras Altas da Escócia, onde conseguiu interessar os chefes escoceses daqueles clãs das Terras Altas, em nome da causa do falecido rei. O afastamento desses semibárbaros da cena ativa da guerra, juntamente com sua relutância em se informar sobre a natureza do conflito, logo os levou através da fluência do discurso de Graham & # 146 para defender sua causa. Tendo buscado e obtido a simpatia de todos os principais chefes dos vários clãs, ele os reuniu e um conselho foi realizado para decidir o modo de guerra. O fragmentário destacado do exército que [10] Graham até então comandava, desgostoso com as derrotas anteriores, protestou contra uma batalha com aqueles que defendiam a causa do rei Guilherme. Enquanto os líderes dos Clãs das Terras Altas instavam o ataque imediato, dizendo que seus homens estavam prontos e ansiosos para a luta.

O General Graham foi influenciado pelo conselho dos Highlanders, garantindo-lhes que os levaria à vitória que ele próprio marcharia na frente de seu exército para isso, seus oficiais subordinados objetaram, dizendo que ele era um líder valioso demais para expor sua pessoa na frente da batalha, e instou-o a permanecer na retaguarda e ditar os movimentos de seu exército no conflito que se aproximava. A isso Graham respondeu: & # 147Seu povo está acostumado a ver seu líder na vanguarda da batalha, e lá serei visto hoje, mas depois da decisão deste dia, terei mais cuidado com minha pessoa e não me exponho em ação, como até agora tem sido meu costume. & # 148 Depois dessa declaração, seu exército foi comandado a avançar, ele mesmo estando na liderança. [11]

Logo o inimigo foi encontrado e a batalha de Killikrankie foi travada. No início do combate Graham foi baleado, tendo levantado a mão acima da cabeça e ereto nos estribos, dando o comando, o escudo ou armadura levantada acima da cintura, expondo sua pessoa, quando a bola fez efeito, ele caiu do cavalo e um de seus oficiais subordinados se aproximou dele, perguntou se seus ferimentos foram fatais, Graham respondeu dizendo: & # 147Como vai a causa do rei? & # 148 O atendente respondeu, & # 147 a causa do rei está bem, como está Vossa Senhoria? & # 148 Graham respondeu: & # 147não importa para mim, então a causa do rei está segura. & # 148 Estas foram suas últimas palavras. Embora morrendo no campo, seu exército obteve uma grande vitória e a batalha de Killikrankie passou para a história, como um dos eventos mais memoráveis ​​da época. A história nos transmite outros nomes de Graham, que eram mais ou menos notados em seu dia e hora, dos quais podemos citar, Malcolm Graham, que é o último, mas não menos importante, tinha uma posição elevada na sociedade e era [12] ] amarrado com uma corrente de ouro pelo Rei James II a Ellen Douglass, a garota que ele tanto amava, desonrando assim o teu nome leal.

Grilhões e guarda do Greame (Graham)
Sua corrente de ouro o rei desatou
Os elos do pescoço de Malcolm e # 146 que ele atirou,
Em seguida, desenhei suavemente a faixa brilhante,
E colocou o fecho na mão de Ellen.

SCOTT & # 146S LADY OF THE LAKE. A partir da seleção acima, será notado que o nome está escrito Greame. Se o autor se valeu de sua licença poética para esse termo impróprio ou se o nome às vezes era soletrado dessa forma pelos Scotts, não podemos determinar.

No início da colonização deste país, quando as pessoas prestavam pouca atenção à ortografia dos nomes & # 151, o nome era frequentemente escrito Grimes. Parece, no entanto, não ter havido qualquer autoridade para essa contorção do nome.

The only excuse that might be offered for this misapplication of the name is that the names of the early settlers were scarcely, if ever, seen in print and but seldom in writing, but were handed [13] orally from one to another, thus giving plenty of opportunity for misunderstandings. We can recall many names, which in our youth were pronounced differently from what they now are. To illustrate, the name Stevenson was called “Stinson” the name Withrow was called “Watherow” Stodghill was called “Stargeon” and so on. We even find in this day a few of the old-styled fathers and mothers who do not like to discontinue the old-fashioned way of expressing these names.

The Graham name in all English history and in the history of our country, as well as in all the legal writings pertaining to the family, from the earliest settlement in America down to the present time, is spelled as we now have it — Graham.

The people of Scotland of the same family tree were known as clans and these clans seem to have been bound together by very strong and endearing ties.

Such were the adhesion of these family clans that they kept themselves almost entirely aloof [14] from other clans marriage and intermarriage by members of one clan to another was scarcely admissible. If a member of one clan provoked or insulted a member of another clan, the insult was resented by the clan whose member had been insulted thus we find arose many of the clan feuds, with which Scottish history so much abounds.

Each clan had its official head chief or leader, whose duty it was to dictate to his people such a course as seemed to him most wise and discreet or that happened to please the whims of his own fancies. In military affairs this leader or chief was expected to occupy the most dangerous positions and to perform the most daring of the exploits in the heat of battle. He must either win a victory, in which he performed some noble part, or die in defeat.

The Graham clan was a very large and influential one, and, perhaps, at the time of its greatest power, had for its official head James Graham, the Earl of Montrose, who laid down his life for love to his king.

[15] It is claimed in Scottish history that the Graham family dates back for a thousand years, and has been conspicuous in the annal of their country, “from hovel to the palace, in arts, in eloquence and in song”. “It was a daring man by the name of Graham that first broke through the walls of Agricola which the Roman general had built between the firths of the Clyde and Forth to keep off the incursions of the Northern Britons, and the ruins of which, still visible, are called to this day the ruins of Graham’s Dyke”.

From Scotland to Virginia

The first immigration of the Grahams to this country, of which we have any account, occurred about the year 1720 to 1730, the exact date of which cannot now be known.

It is, however, a matter of history that one Michael Graham settled in Paxtong Township, Lancaster County, Pennsylvania, about the date referred to and that he was a direct descendant of the Earl of Montrose, who was beheaded. The descendants of Michael Graham afterwards settled in the Valley of Virginia and became noted [16] for their scholarly attainments, as well as their religious zeal.

Of these, however, we may speak further on. It is known that at or near the same period of the coming of Michael to this country other members of the same family, kith and kin, also settled in this country, among whom were John Graham (the writer’s great grandfather), who settled for a time, it is believed, in Pennsylvania and later moved to the Great Calf Pasture River in Augusta county, Virginia. It is to be regretted that we cannot give the exact date of the settlement on the Calf Pasture River, but conclude that not earlier than the year 1740, nor later than 1745.

We find that he purchased a tract of six hundred and ninety-six acres of land in the year 1746, from John Lewis and James Patton. It will be remembered that John Lewis was the first settler in Augusta county, or rather in the territory which afterwards became Augusta, having planted his home in the then remote wilderness in the [17] year 1732, at Belle Fontaine Springs near Staunton. He was the father of General Andrew Lewis who commanded in the famous battle of Point Pleasant in 1774. John Graham (whom we will call senior) reared a family of four sons and five daughters on the banks of the Calf Pasture and died there about the year 1771, born about the year 1700. His oldest son’s name was Lanty (Lancelot). The names of the other three were John, James and Robert. His daughters’ names were Jane, Elizabeth, Anne, Rebecca and Florence, who was the writer’s grandmother on his mother’s side, she having married James Graham (her cousin).


The Grahams: These Are Your People

…prayed a 17th century laird whose land was bordered by all four. And indeed, the pride of the Grahams was famous throughout Scotland for they were a close knit race deeply loyal to kith and kin. They also took pride in their unswerving devotion to their monarch even when this was sometimes rewarded with scant thanks. And lastly, they took pride in following their personal conscience, whatever the consequences.

Tradition says the first Graham was a Caledonian chief called Graym who attacked and burst through the mighty Antoine Wall which divided Scotland in two, and drove the Roman legions back to Hadrian’s Wall on the English border. More likely, the chiefs spring from an Anglo-Norman family who originally came to England with William, o conquistador in 1066, and are recorded in his Doomsday Book as holding the lands of Graegham or Grey Home.

David I, king of Scots, was brought up in England and given a Norman education. He married a Norman heiress and through her acquired vast estates in England. Thus when he succeeded to the Scottish throne in 1124 he brought with him many of his Anglo-Norman friends to help create order in what was then a very primitive and savage land. He granted them large estates in the Lowlands and without exception these barons then intermarried into the local Celtic aristocracy. Within a generation or two they had become totally integrated with the older race and were soon exclusively Scottish.

William de Graham, the first recorded of that name, was granted land around Dalkieth and Abercorn in Midlothian and appears as a witness on David I’s charter of 1128 founding the Abbey of Holyroodhouse. His descendant, Sir David Graham, acquired the lands of Dundaff in Strathcarron in 1237, and built a castle there. This was probably a wooden fortification on a motte or artificial earth mound in the Norman style. The remains of the later stone castle can still be seen. Sir John de Graham of Dundaff era William wallace’s right hand man and close friend in the first struggle for Scottish independence in the late 13th century. The contemporary poet Blind Harry calls him ‘’Schir Jhone the Grayme’’ and records his brave death at the battle of Falkirk in 1298 when the small, ragged Scottish army was crushed beneath the hooves of the heavy armoured cavalry of the English army of Edward I. Sir John’s gravestone and effigy can be seen today at Falkirk Old Church and bear the inscription ‘”Here lyes Sir John the Grame, baith wight and wise, Ane of the chiefs who rescewit Scotland thrise, Ane better knight not to the world was led, Nor was gude Graham of truth and hardiment”.

Although principally a Lowland and Border clan the Grahams never forgot the Highlanders who had fought for them. o 3rd Duke of Montrose, quando Marquis of Montrose and a Member of Parliament, was responsible in 1782 for the repeal of the law forbidding the wearing of Highland dress. Mugdock was the principal seat of the Graham chiefs until 1680 when they acquired the lands of the Buchanans and moved to Old Buchanan House near Drymen. In 1707 James Graham, 4th Marquess, was created the 1st Duke of Montrose by Queen Anne. He is perhaps better known for being firstly the partner, and then the foe, of the Highland folk-hero Rob Roy McGregor.

The Grahams had become the largest landowners in Stirlingshire by Victorian times and in 1857 built the huge Gothic Buchanan Castle on the foundations of a much older fortification. This became the residence of the Dukes of Montrose until the beginning of the Second World War when it was requisitioned as a military hospital. Here was kept Rudolf Hess, Hitler’s deputy, after he made his mysterious flight to Scotland in 1940. The roof was removed after the war and the castle is now a ruin. James Angus Graham, b. 1907, was the 7th Duke of Montrose and was also Earl of Kincardine Viscount Dunduff, Lord Graham Aberuthven Mugdock and Fintry. He became a farmer in Rhodesia (now Zimbabwe) and was a cabinet minister in the Rhodesian Government of Ian Smith. He moved to South Africa and later returned to Scotland before his death in 1992. His son, James, the 8th Duke of Montrose lives on the ancestral estates, at Auchmar near Loch Lomond. The name of Graham is an honourable one not only in Scottish history but also in more modern times. For example, it was the 6th Duke of Montrose who invented the aircraft carrier during the First World War. Others of note include the evangelist Billy Graham Kenneth Graeme who wrote the classic “Wind in the Willows: Admiral Sir Cunningham Graham of the last war and many others too numerous to mention.

The “pride of the Grahams” is perhaps best summed up in the famous verse by James Graham, the Great Montrose,

He either fears his fate too much,
Or his deserts are small,
Who dare not put it to the touch,
To win or lose it all.

Sir John’s elder brother, Sir Patrick Graham, had fallen two years before at the battle of Dunbar in 1296 while carrying the royal banner of the King of Scots. Their father, Sir David Graham, had married into the ancient Celtic Earldom of Strathern and acquired land around Kincardine in south Perthshire. He was also the first to acquire land around Loch Lomond on the verge of the Highlands, still held today by the present Duke of Montrose. Sir Patrick’s son, also Sir David, supported the cause of Robert de Brus, another Anglo-Norman-Scot whose mother was a Celtic countess and he descended from the younger son of David I. When de Brus or Bruce became King Robert I, and independence was achieved, he granted Sir David land around Montrose in Angus in exchange for Graham lands near the River Clyde. The hero king built a fortified house for himself at the latter where he died in 1329. A branch of the Graham – the Cunningham – Grahams – continued to live nearby until recent years.

The Grahams continued a steady rise. They had acquired land at Mugdock to the north of Glasgow and began to build a huge castle here from about 1370. This became the principal seat of the chiefs until the beginning of the 18th century. In 1445 Sir Patrick was created Lord Graham and in 1460 gave his land around Loch Lomond to the chief of the Buchanans in exchange for some land around Mugdock. These lands were regained later when the bankrupt Buchanan chief was forced to sell his ancestral estates to the Grahams in 1682.

An unfortunate episode began in 1413 after the then chief’s half brother, Patrick Graham, was murdered by the Drummonds. He had been created Earl Palatine of the royal Earldom of Strathearn after marrying the grand-daughter of Robert III, and had acquired the vastly rich estates. He had left his infant son in the care of his younger brother, Sir Robert Graham of Kilpont but in 1427 King James I seized the wealthy earldom and gave the boy only the poor Highland parish of Aberfoyle and the empty title of Earl of Menteith. He also sent the unfortunate child as a hostage to England where he was imprisoned for nearly twenty five years.

The Grahams always resented injustice and Sir Robert Graham of Kilpont protested loudly. He tried to arrest the king in Parliament, and then publicly renounced his allegiance to a tyrant. On February 21, 1437, Sir Robert led a band of Highlanders to Perth where they trapped the king in the cellar of the Blackfriars Monastery and stabbed him to death. For this crime Sir Robert and his sons were tortured and executed in a most horrible manner at Stirling.

William, 7th Earl of Menteith, was restored to the Earldom of Strathearn in 1603. He rose to high office as Justice – General of Scotland and President of the Scots Privy Council. But the pride of the Grahams was his undoing. His casual remark that he had a better right to the crown than the king reached the ears of Charles I who promptly stripped him of the Strathearn earldom. In 1680 the last Earl of Menteith, childless and in debt, left all his estates to his chief, the Marquess of Montrose, who thus regained all the old Graham land around Loch Lomond plus the lands of the Buchanans and also the land in Menteith. The Grahams now held a vast estate stretching right across Scotland from Loch Lomond to near Perth, and roughly comprising the ancient earldoms of Strathearn and Menteith. There were many cadet families established throughout these lands on the very verge of the Highlands. William, 3rd Lord Graham, chief of the Clan, had been created Earl of Montrose in 1504 but had died with the rest of the Scottish nobility around their king James IV on Flodden field in 1513.

But without doubt the most famous Graham was James, 5th Earl, born in 1612, and created a Marquis in 1644. He was the first to be given the Gaelic patrynomic An Greumach Mor, The Great Graham, or as he is better known to history, The Great Montrose. He was a poet and intellectual who was happiest in his study in one of his many castles or stately homes in Angus, Perthshire or Stirlingshire. In 1638 he was persuaded to sign the National Covenant which declared its opposition to the Episcopalian religion King Charles I wished to force upon Scotland. He then actively fought against the king’s forces who tried to enforce the king’s edicts. But as time went on James Graham became increasingly uneasy about the motives of the ultra-Protestant party headed by Archibald Campbell, Marquess of Argyll. In 1643 the Solemn League and Covenant was drawn up which declared the Scottish Covenanters would assist the English Parliament in a Civil War against the king provided England would adopt a Presbyterian form of worship. This was more than James Graham could stomach. He left the Covenanters and offered his services to the king. He was created Captain-General of the King’s army in Scotland although this comprised a mere 400 men, mainly Grahams. Then they were joined by a 1000 Highlanders led by Alasdair MacColla MacDonald, a giant of a man and a fearsome fighter from the western isles.

During 1644 – 45 James Graham won a series of brilliant victories against far superior odds and became renowned as probably the finest strategist the world has ever seen. Unfortunately, with all Scotland almost conquered, the Highlanders slipped away to harry the Campbell lands in Argyll. James Graham’s small force was cut to pieces at Philiphaugh in the Borders and he was forced to flee into exile. He returned in 1649 but was captured and taken to Edinburgh where he was hung, drawn and quartered. His quiet dignity on the scaffold won him the respect of all who watched. In 1660, when Carlos II was restored to the throne, David Graham of Gorthie took his kinsman’s head off its spike and had the other remains gathered together for honorable burial in the Montrose Aisle of St. Giles Cathedral in Edinburgh. All the various branches and cadets of the family attended the funeral – the Grahams of Inchbrakie Orchill Morphie Balgowan Cairnie Deuchrie Drums Duntroon Fintry, Killearn Monzie and Potento.

Another Graham entered the history books in 1689 when John Graham of Claverhouse raised a Highland army in the name of the exiled Stuart king James VII. He was created Viscount Dundee and was variously known as “Bonnie Dundee” or “Bloody Claverhouse”, depending on which side one was on. He met a government army on the hill above Killiecrankie gorge in Perthshire on July 27, 1689, and within minutes his screaming Highlanders had devastated the enemy with their claymores. But in the moment of victory Dundee fell dead. It is said he was killed by a silver button fired from a gun because his enemies believed he was the Devil incarnate and only silver would kill him. It is remarkable that although the Grahams were really a feudal Lowland family only these two were able to bring out the highland clans in a national cause and devise strategies which used their peculiar fighting methods to advantage.

The other principal Graham area was in the Borders. Sir John Graham of Kilbride, one of the cadet families, fell out of favor with the king towards the end of the 14th century and led his followers south into the Border country where they settled in Eskdale. They met violent opposition from the other unruly Border clans and also from the hostile English in this disputed area. Yet the Grahams not only flourished here but became the largest and strongest family in the Borders. By 1552 they held over thirteen Border towers and could raise over 500 mounted troopers. They continued to dominate the Borders by right of the sword until the early 17th century when measures were taken against them by the Commission for the pacification of the Borders. In truth this was an attempt by the English Earl of Cumberland to seize their lands for no action was taken against the other unruly Border families of Maxwells, Elliots, Armstrongs, Scotts e Kerrs. The Grahams were hanged, transported, banished and imprisoned. Some came back with assumed names and the McHargs e Mahargs in Scotland and Northern England are simply Border Grahams with the name reversed.

The coat-of-arms of Sir David de Graham appears on the earliest known roll of Scottish arms dated 1332. These shows three scallop shells, used as pilgrim’s begging bowls, and indicate an early Graham had made the pilgrimage to the shrine of Santiago de Compostella in Spain. The scallops are also found on the earliest known Graham seal dated 1230.

The personal arms of the Duke of Montrose shows three scallop shells in the 1st and 4th quarters, and in the 2nd and 3rd quarters the rose for the title of Montrose.

The crest, entitled to be warn by clansmen, shows a falcon killing a stork. The motto is “Ne oublie” (Forget Not).

Reprinted with permission from The Highlander, Angus J. Ray Associates, Inc., 560 Green Bay Road, Suite 204, Winnetka, IL 60093


James Graham, Earl of Montrose / Famous Historical Figures

'Betrayed by a MacLeod and hanged in Edinburgh, enemies marvelled at his courage'.

Graham was the 5th Earl and 1st Marquess of Montrose, and was brought up in Kincardine Castle. Education was at St Andrews University. He was one of four noblemen who drew up the National Covenant at Greyfriars' Kirkyard in Edinburgh in 1638.

This Covenant renewed and expanded that of the one drawn up in 1581 into a public petition which presumed a direct Scottish relationship with God, without the interference of a king (in this case Charles I of course) and without 'all kinds of Papistry'. It was emotive and drew from upwards of 60 Scottish Acts of Parliament and many theological statements. In the end, over 300,000 signatures were appended in churches throughout Scotland.

Montrose was a moderate Presbyterian, and though fighting initially for the Covenant in the Bishops' War, he later distanced himself from the more extreme Presbyterians. After he refused to support the union of the Scottish Parliament with the English Roundheads, in effect bonded by the Solemn League and Covenant of 1643, he was imprisoned in Edinburgh Castle for five months. Made a change from the Tower of London.

The following year he was appointed King's Lieutenant in Scotland. He showed a great flair for military strategy and leadership, winning six battles in one year, despite leading an undisciplined Scottish-Irish force. With depleted forces however he was defeated by David Leslie at Philiphaugh near Selkirk, in 1645.

He escaped to Norway, having been ordered to disband by the captured King, but returned to Scotland to avenge the death by execution of Charles I. His return was fated shipwrecked in Orkney he survived with only 200 men. This small force was defeated at Carbisdale on 27 April 1650 and Montrose was betrayed by MacLeod of Assynt for a sum of £25,000, a huge sum in those days.

In Edinburgh, the Scottish Parliament were obviously in no mood for clemency or even justice without a trial they sentenced him to death and he was hanged and disembowelled on 21 May. His remains were given a proper tomb and monument in St Giles, Edinburgh, in 1888. Along with high standards of honesty, generosity and decent dealing (all conspicuously absent otherwise in 17th century Scottish politics), he has a claim to be a fair poet, with the publication of his collected works in 1990.

'Scotland's glory, Britain's pride, As brave a subject as ere for monarch dy'd Kingdoms in Ruins often lye But great Montrose's Acts will never dye'.


Census records can tell you a lot of little known facts about your Graham Earl Van Montrose ancestors, such as occupation. A ocupação pode lhe dizer sobre seu ancestral e sua posição social e econômica.

There are 3,000 census records available for the last name Graham Earl Van Montrose. Like a window into their day-to-day life, Graham Earl Van Montrose census records can tell you where and how your ancestors worked, their level of education, veteran status, and more.

There are 642 immigration records available for the last name Graham Earl Van Montrose. As listas de passageiros são o seu bilhete para saber quando seus ancestrais chegaram aos EUA e como eles fizeram a viagem - do nome do navio aos portos de chegada e partida.

There are 1,000 military records available for the last name Graham Earl Van Montrose. For the veterans among your Graham Earl Van Montrose ancestors, military collections provide insights into where and when they served, and even physical descriptions.

There are 3,000 census records available for the last name Graham Earl Van Montrose. Like a window into their day-to-day life, Graham Earl Van Montrose census records can tell you where and how your ancestors worked, their level of education, veteran status, and more.

There are 642 immigration records available for the last name Graham Earl Van Montrose. As listas de passageiros são o seu bilhete para saber quando seus ancestrais chegaram aos EUA e como eles fizeram a viagem - do nome do navio aos portos de chegada e partida.

There are 1,000 military records available for the last name Graham Earl Van Montrose. For the veterans among your Graham Earl Van Montrose ancestors, military collections provide insights into where and when they served, and even physical descriptions.


James Graham. Earl of Montrose - History

"../mp3/dundee.mp3" type="audio/mpeg">

John Graham was the elder son of Royalists, and related to the Marquis of Montrose. Claverhouse spent his childhood in Glen Ogilvy near Dundee. He studied at St. Andrews University.

He began his career as a soldier in France, as a volunteer for Louis XIV (under the Duke of Monmouth and MacKay of Scourie). He joined William of Orange (of Holland, 1674) and is said to have saved William's life in battle. He was recommended to James, Duke of York at William's marriage to Mary Stuart (1677), and became one of James's personal advisors.

In 1678 he was assigned the duty of suppressing the Covenanters (Presbyterian rebels who opposed Anglicanism) in Dumfries and Galloway. In 1679 Covenanter's rebellion he was defeated at Drumclog. He also helped defend Glasgow, and fought at Bothwell Brig.

The years of 1681-1685 are known as the Killing Times because of the autrocities committed. James Graham was among those who committed them. He earned the name "Bloody Clavers" by his brutal suppression of the Coventanters. Two of those he dealt with were the Wigtown Martyrs - women who were tied to a post to be drowned by the incoming tide.

Although Claverhouse's reputation is for one of ruthless suppression in dealing with the convenanters, in 1674 he had married, Jean Cochrane, who was from a prominent Covenanter family. In addition, at one point he urged moderation.

Learning of Lochiel's Highland confederacy (to restore James II to the throne), and declared a rebel, Claverhouse left his wife and new born son in Glen Ogilvy and rode north-east to rally support for the Jacobite cause. In 1688 when William of Orange invaded, James II made Graham second-in-command of the Scottish army and named him Viscount Dundee.

In four months Dundee covered 800 miles (from Inverness on 8 May, he crossed Corrieyairack and Drumochter Passes to raid Perth on the 10th). General Hugh MacKay was dispatched to deal with the rebellion in Scotland. MacKay commanded met four thousand musketed men, Lowland Scots and veterans of the Dutch wars.

MacKay's Government army had to go through the pass of Killiecrankie. Dundee's troops hid in the braken and waited for MacKay. MacKay's troops outnumbered Dundee two to one. On July 17, 1689 Graham ambushed General Hugh Mackay at the Pass of Killicrankie.

The Battle of Killicrankie was one of the last last battles that saw the effective use of claymores and the highland charge. Graham's forces attacked Mackay's right flank. MacKay's forces firing a musket volley. However, because of their inexperience and the ferocity of the highland charge, they were too slow to reload. The Highlanders overwhelmed them. Mackay's left flank also retreated in disarray. Graham's troops performed the classic pincer movement and crushed the remainder of Mackay's troops. Graham's victory was absolute.

However, Graham himself had been mortally wounded. Surviving long enough to direct the battle and learn of his victory, he died soon after. The Jacobites had no leader as capable to replace Dundee. In August the Jacobites, under Colonel Alexander Cannon, were defeated at the Battle of Dunkeld by veterans of the Covenanter's Uprising led by William Cleland. The First Jacobite Uprising ended May Day, 1690.

Other Historical Links

Resources include:
The Encyclopedia Britannica
Encyclopedia Britannica, Inc.
Chicago, Copyright 1977


Assista o vídeo: James Graham 1st Marquis of Montrose; Battlefield Band: John, Braemar Gathering